Sinovite (Água no joelho)

sinovite-água-no-joelhoPopularmente, a sinovite é referenciada como “água no joelho” e é caracterizada como uma inflamação da membrana sinovial, que consiste em uma fina camada de tecido conjuntivo que reveste estruturas como tendões musculares, cápsulas articulares e bolsas sinoviais.

Se você ainda não teve, deve conhecer alguém que já foi diagnosticado com água no joelho, ou sinovite, nome utilizado pelos especialistas.

Após sofrer uma pancada ou uma lesão no joelho ocorre um acúmulo de líquido no joelho. Esse líquido é conhecido popularmente como “água no joelho”, sendo denominado de líquido sinovial, que é produzido pela membrana sinovial, responsável por revestir internamente as articulações e lubrificar a articulação.

Quando o joelho sofre um trauma, o líquido passa a ser produzido em excesso provocando este quadro clínico de edema (inchaço). Além disso, também acontece uma alteração na qualidade e características físicas desse líquido.

A água no joelho afeta a cartilagem e os meniscos. Os atletas são as principais vítimas desse problema. Algumas doenças como artroses, artrites, gota, sinovites podem desencadear o acúmulo do líquido sinovial.

 

Sinovite do joelho

 

A membrana sinovial é responsável pela produção e absorção do líquido sinovial, um gel viscoso que possui a composição muito semelhante a do plasma. O líquido sinovial tem a propriedade de lubrificar as estruturas que alcança, reduzindo o possível atrito entre elas. Quando ocorre uma inflamação da membrana sinovial do joelho, o processo de produção/absorção do líquido sinovial sofre um desequilíbrio e, como resultado, a articulação do joelho se enche de líquido, por isso a denominação sinovite ou  “água no joelho”. Entre as causas para a inflamação da membrana sinovial estão: traumas diretos, uso excessivo ou repetitivo da articulação, infecção, doenças reumáticas que influenciam na destruição do tecido, dentre outras.

Leia também:

Sinovite: Sinais e sintomas

 

Normalmente, o paciente percebe o problema quando retorna de algum treino e o seu joelho parece mais duro, com um volume anormal e ele sente bastante dificuldade para dobrá-lo. Então, o paciente pode até imaginar que os sintomas são de um excesso de treino, por exemplo, que ocasionou a fadiga. Mas o problema pode ser a popular água no joelho, uma vez que ela é bastante frequente nos esportes.

O surgimento da água no joelho pode ser imediato, ou seja, com poucas horas após a prática esportiva. Mas também pode demorar alguns dias para se manifestar. O paciente acometido sente uma perda da mobilidade, cuja intensidade vai depender do grau da tumefação (inchaço), que ocasiona tensão na região.

Além da dor no joelho, que pode se tornar insuportável dependendo da causa de acúmulo de fluido no joelho, há um aumento da temperatura local e vermelhidão na articulação; fraqueza dos músculos da coxa e da perna e inchaço do joelho afetado.

 

Diagnóstico e exames

 

Por meio do exame físico o médico ou fisioterapeuta consegue confirmar o diagnóstico de sinovite. Radiografia, ultrassonografia e ressonância magnética também podem ser feitos.

 

sinovite-água-no-joelhoTratamento para água no joelho

 

O tratamento da sinovite depende da sua causa. Em alguns casos o médico pode retirar o excesso de líquido intra-articular através de uma punção. Mas a maioria pode ser tratada com fisioterapia, que busca uma diminuição do edema, aumento circulatório, drenagem linfática, fortalecimento muscular e o ganho de amplitude articular. Para estes objetivos, condutas como Laserterapia de baixa intensidade, Terapia combinada, técnicas de liberação miofascial, drenagem manual linfática, método de RICE (gelo, compressão, repouso e elevação), exercícios de amplitude de movimento, fortalecimento e propriocepção podem ser utilizadas.

Para o sucesso do tratamento é muito importante descobrir o que originou a inflamação da membrana sinovial para aplicar os procedimentos adequados. Lembrando que o tempo necessário para a recuperação também vai depender da causa da inflamação.

 

Remédio para sinovite

A indicação de qualquer tratamento para sinovite, inclusive o medicamentoso, deve ser feita por um profissional da saúde.  Dentre outras formas de tratamento, a indicação de remédio é bastante comum e vai depender das causas da sinovite. Entre os medicamentos mais indicados estão analgésicos e antiinflamatórios para controlar a dor e o processo inflamatório. os mais comuns são aspirina, ibuprofeno, paracetamol e corticoides.

Como tirar água do joelho?

 

Além dos procedimentos mencionados anteriormente, podem ser realizados tratamentos caseiros, como terapia de frio e repouso. A terapia de frio consiste na aplicação de gelo por cerca de 15-20 minutos e a cada 3 horas. Ao invés do gelo direto, pode ser aplicada também uma toalha gelada arrefecida no congelador. Mas qualquer procedimento deve ser sempre orientado por um médico.

Veja o passo a passo de como fazer a terapia de frio:

1 – Coloque gelo picado ou cubos de gelo num saco plástico, o tamanho deve ser grande o suficiente para envolver todo o joelho;

2 -A seguir, umedeça um pano fino;

3 – Coloque o pano úmido ao redor do joelho;

4 – Aplique o gelo sobre o joelho, envolvendo-o totalmente com o saco;

5 – Depois amarre um pano em torno do saco de gelo, de modo a comprimir o joelho;

6 – Você deve deitar e elevar a perna, colocando umas almofadas ou travesseiro embaixo do pé.

7 – Retire o gelo após 15-20 minutos;

8 – O procedimento pode ser repetido a cada 3 horas.

Você pode estar se perguntando como o gelo vai ajudar a tirar água do joelho. Vamos explicar… O gelo reduz o calibre dos vasos sanguíneos, o que vai diminuir o fluxo sanguíneo e, por conseguinte, o inchaço da articulação e também a dor. Na terapia de frio, o procedimento de compressão ajuda a reduzir também o inchaço. A elevação contribui para o retorno de sangue ao coração, o que também favorece a diminuição do inchaço que a água no joelho promove.

 

Como prevenir a água no joelho?

 

Já a prevenção da água no joelho pode ser feita controlando o peso corporal, não forçando o joelho em atividades do dia a dia, alongando os músculos das pernas antes de começar qualquer atividade física e fortalecendo a região que sustenta o  joelho.

Mantenha uma boa condição muscular das pernas antes de iniciar qualquer atividade física. Evite fazer movimentos que possam sobrecarregar o joelho e não force o membro em exercícios ou atividades cotidianas. Converse com o seu fisioterapeuta, siga todas as suas recomendações e faça movimentos que fortaleçam os músculos que sustentam a articulação do joelho.

 

Sinovite: Fisioterapia

 

Em um primeiro momento, o fisioterapeuta lança mão de recursos de eletrotermofototerapia (LASER, ultrassom e outros), liberação miofascial e terapia manual para garantir a redução da inflamação e alívio da dor.

Logo em seguida são propostos exercícios com a finalidade de fortalecer a musculatura da articulação envolvida e demais músculos do membro inferior, como músculos glúteos, quadríceps, posteriores da coxa e panturrilha, na tentativa de reduzir a sobrecarga articular e reestabelecer o equilíbrio muscular de todo o membro inferior.

Por fim, é realizado um treino de controle biomecânico, com o objetivo de restaurar o controle motor e a absorção das cargas que passam pela articulação em questão durante atividades de vida diária e principalmente das atividades esportivas, sendo estas recreacionais ou esporte de alto rendimento.

 

Sinovite de quadril

 

A sinovite de quadril nada mais é do que a inflamação da sinóvia, membrana que recobre essa articulação e que tem a função de produzir o líquido sinovial. Esse líquido é produzido e absorvido pela membrana sinovial e diante de um processo inflamatório, esse equilíbrio entre produção e absorção é perdido e observa-se edema na articulação do quadril.

O edema nessa articulação normalmente é observado apenas através de exames de imagem como a ressonância magnética, por exemplo, já que é uma articulação “profunda”e encoberta por muitos músculos.