Bursite de quadril

 

bursite-de-quadrilO que é?

A bursite do quadril trata-se de um processo inflamatório que ocorre em uma bolsa (bursa – pequeno saco gelatinoso que, normalmente, contém uma pequena quantidade de fluido) que tem função de diminuir o impacto ou atrito entre os tendões e o osso. Quando ocorre no quadril, pode acometer a bursa subtrocantérica – localizada lateralmente ao quadril, logo abaixo do trocânter maior ou isquiática – localizada na região abaixo da linha glútea, posteriormente ao quadril.

Os atletas não são os únicos afetados pela bursite de quadril, qualquer pessoa está suscetível ao acometimento. Mas a ocorrência em mulheres é consideravelmente maior.

 

Causas

A inflamação destas bursas no quadril ocorre por atrito excessivo, ocasionado por diminuição de flexibilidade, fraqueza muscular, disfunções biomecânicas ou até mesmo traumas diretos. Alguns fatores de risco para a bursite de quadril são: lesão por estresse repetitivo, doenças da coluna, artrite reumatoide, cirurgia anterior, bicos-de-papagaio, lesão no quadril, dentre outros.

Veja também:

Sintomas

A dor da bursite de quadril é bem característica: ocorre na lateral do quadril nas bursites trocantéricas e posterior nas bursites isquiáticas. O paciente pode referir dor espontânea ou à palpação. É comum que a dor sofra irradiação para a lateral da coxa. Nos estágios iniciais, a dor é descrita pelos pacientes como aguda, sendo acompanhada também por uma queimação. Com o avanço da condição, a dor tende a ser mais intensa e espalhada, piorando à noite.

 

bursite-de-quadrilDiagnóstico e exames

No exame físico completo o fisioterapeuta tem como objetivo avaliar a sensibilidade na área sobre o trocânter maior ou abaixo da tuberosidade isquiática. Os testes de força dos músculos abdutores e extensores do quadril tende a ser doloroso pois há tração tendínea e compressão destas bursas. O exame complementar de ressonância nuclear magnética (RNM) pode complementar o diagnóstico.

 

Tratamentos

O tratamento inicial para a bursite de quadril não envolve cirurgia. A fisioterapia tem como objetivo diminuir a inflamação, aliviar a dor e diminuir o atrito sobre estas bursas. Recursos de Eletrotermofototerapia, liberaçãomiofascial, alongamento muscular, terapia manual e correção biomecânica com exercícios de fortalecimento muscular e treinamento sensório-motor devem ser empregados para uma completa resolução do caso.

Em casos mais graves é necessário Fisioterapia para fortalecimentos dos músculos, correção biomecânica e técnicas antiinflamatórias e analgésicas como Laser, terapia combinada, entre outras. Caso não seja tratada a bursite pode evoluir para um quadro crônico de difícil tratamento.

 

Assista ao vídeo:

 

Entenda a Bursite Trocantérica do Quadril (na lateral do quadril)

A articulação no quadril é muito complexa, possuindo 32 músculos que com frequência sofrem um grande impacto durante atividade física. Para se ter uma ideia, uma simples caminhada pode ofertar até três vezes o peso do corpo na articulação e na corrida cinco vezes em cada apoio do pé no chão. Está carga pode acabar sobrecarregando o quadril.

Dentre as várias bursas encontradas nesta articulação, a inflamação da bursa trocantérica é a mais comum e também a mais conhecida por causar dor na região lateral da coxa.

A bursite trocantérica pode ser causada pela sobrecarga dos tendões e fáscias sobre o trocânter maior. Esse tipo de bursite causa dor na lateral do quadril e na coxa, podendo causar dificuldade para caminhar. Quem tem essa síndrome pode ser diagnosticado com outras doenças como na lombalgia; doença na articulação sacroilíaca; artrose e tendinopatias.

Para a confirmação do diagnóstico, geralmente são necessários exames como ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética. O diagnóstico ajuda a descartar outras doenças e facilitar na escolha do tratamento.

Na maioria dos casos, o clínico acaba indicando o tratamento não cirúrgico que conta com o auxilio de analgésicos, anti-inflamatórios e a fisioterapia. A fisioterapia consegue evoluir o quadro do paciente para melhor apresentando uma diminuição na dor e até na cura da bursite. As sessões costumam contar com exercícios de relaxamento muscular dos tecidos que fazem pressão sobre a bursa. Em alguns casos, a fisioterapia pode corrigir alteração na marcha, correção biomecânica e controle muscular.

O tratamento cirúrgico é indicado para os pacientes em que os sintomas causam limitação.