Tendinites/Tendinopatias do quadril

tendinite-do-quadrilO que é?

No quadril, os tendões dos músculos glúteos (máximo, médio e mínimo) são os mais acometidos por tendinites. A dor se localiza na região lateral do quadril (sobre o trocanter do fêmur) podendo irradiar pela face lateral da perna. O tendão do músculo ílio-psoas e dos músculos adutores também são regiões comumente acometidas por processo inflamatório e/ou degenerativo. Os atletas que praticam atividades físicas que envolvem o uso excessivo das pernas são os mais afetados por tendinites, é o caso de esportes como ciclismo, futebol e corrida. Idosos também podem ser acometidos pela doença, isso acontece em virtude do desgaste progressivo da articulação do quadril

 

Causas

O aumento da carga de exercício de forma abrupta e o excesso de impacto do tendão contra proeminências ósseas são as causas das tendinites. Além disso, pacientes que apresentam algumas anormalidades biomecânicas como o “valgo dinâmico” podem potencializar a sobrecarga nestes tendões e acelerar o aparecimento das tendinites ou tendinopatias. Estas alterações podem acometer, principalmente, corredores de longa distância e aqueles que fazem muitas provas de intensidade alta, por exemplo, que incluem subidas. Entretanto, muitos pacientes sedentários com sobrepeso ou com disfunções biomecânicas podem apresentar este mesmo quadro clínico.

 

Sintomas

A dor normalmente ocorre perto da articulação, que aumenta com os movimentos e costuma piorar à noite. A espessura do tendão pode se apresentar aumentada. A condição dolorosa pode irradiar do quadril para a perna. O paciente pode sentir dificuldades para movimentar as pernas ou para caminhar, deitar e sentar sobre o lado afetado e também pode sentir cãibras (especialmente, após um longo período em repouso).

 

tendinite-do-quadrilDiagnóstico e exames

O diagnóstico é feito por meio de um exame físico em que busca sinais de dor, sensibilidade e perda de função. O paciente poderá fazer um exame de ressonância nuclear magnética (RNM) ou ultra-som (USG) do quadril para que seja realizada avaliação do nível de comprometimento do tendão e indicar o melhor tratamento.

 


Tratamento

O tratamento das tendinites pode ser dividido em dois tempos: a etapa 1 de alívio da dor, inflamação e edema, utilizando-se de técnicas de Eletrotermofoterapia com laser, ultra-som e terapia combinada, além de liberação miofascial e terapia manual. E a etapa 2 visa a correção das prováveis disfunções biomecânicas por meio de exercícios de fortalecimento, flexibilidade, mobilização articular e treinamento sensório-motor. O tratamento conservador apresenta ótimos resultados, podendo resolver completamente o caso em algumas semanas.

Assista ao vídeo: