Musculação X joelho: aprenda a evitar uma lesão

musculação-joelho-relaçãoA prática de qualquer tipo de exercício – com acompanhamento profissional – é indispensável para o bem-estar e a saúde. Mas, quando há pressa em se obter resultados, principalmente uma coxa mais definida, à região da perna pode ficar sobrecarregada, levando ao envelhecimento das articulações do joelho.

Se pensarmos em uma aula, de forma geral, qualquer deslize é prejudicial, desde movimentos errados, postura inadequada e falta de intervalos entre as séries.

Na musculação os problemas que mais afetam os joelhos são desgaste da cartilagem, dos meniscos, lesões nos tendões e ligamentos.

Os exercícios de agachamento são os mais temidos dos joelhos. Eles podem forçar o ligamento, os meniscos e os tendões, gerando inflamação e até degeneração das partes afetadas.

A cadeira extensora não fica atrás, durante a série a pessoa tende a pressionar a cartilagem e aumentar as chances de um processo de degeneração. Sem contar que se a carga for muito pesada pode haver corte no menisco.

Os flexores de joelho também não são vistos com bons olhos. Eles prejudicam os tendões e inflamam a região posterior do joelho.

Mas, o pior problema está por vir, é a condromalacia patelar. Essa lesão afeta a cartilagem entre a patela e o fêmur provocando dor, inchaço e limitações de movimentos. Se não houver mudanças de hábitos a condromalacia pode evoluir para uma artrose.

 

Dicas para malhar

A indicação fisioterapêutica para evitar uma lesão é sempre aquecer o joelho. Alguns minutos na esteira ou na bicicleta ergométrica vão ajudar.

Ter um profissional orientando os exercícios é fundamental. No agachamento, por exemplo, o quadril deve sempre ficar para trás, evitando o excesso de peso nos joelhos.

Em caso de lesão o melhor é parar de malhar por alguns dias e iniciar um trabalho de fortalecimento do joelho, do quadril e do glúteo médio, com um fisioterapeuta especializado.