Corrida recreativa ou competitiva aumenta o risco de artrose?

Você pode ter ouvido a frase “exercício é remédio”. Isso porque o exercício, como correr, é bom para a saúde geral e, especificamente, nossos corações, pulmões, músculos, ossos e cérebros. A corrida também pode ajudar com a perda de peso, reduzir os níveis de colesterol, aumentar o sistema imunológico, combater a depressão, reduzir o estresse e melhorar o humor. No entanto, algumas pessoas estão preocupadas com o que pode acontecer no longo prazo quando se pratica este tipo de exercício. A corrida leva a maiores taxas de artrite e artrose nos joelhos e quadris?

Um estudo publicado na edição de junho de 2017 da Journal of Orthopaedic & Sports Physical Therapy® (JOSPT) sugere que a diferença dessas taxas depende da frequência e intensidade da corrida. Os pesquisadores analisaram 25 estudos que incluíram 125.810 pessoas e, ultimamente, selecionaram 17 estudos com um total de 114.829 pessoas. Os autores deste estudo descobriram que apenas 3,5% dos corredores recreativos apresentavam artrite do quadril ou joelho. Isso era verdade para os corredores masculino e feminino. Nestes mesmos estudos, os indivíduos que eram sedentários e não corriam tinham uma taxa maior (10,2%) da artrite do quadril ou do joelho.

A maioria dos estudos que os pesquisadores avaliaram mostrou um aumento no risco de artrite decorrente de atuação focada em corredores que estavam na elite, ex-elite ou nível profissional. Esses atletas profissionais ou de elite ou indivíduos que participaram de competição internacional tiveram a taxa mais alta de artrite do joelho ou do quadril: 13,3%. O estudo atual não avaliou o impacto da obesidade, carga de trabalho ocupacional ou lesão prévia sobre o risco futuro de artrite do quadril e joelho em corredores.

“O estudo publicado muda tudo que se pensava até então, ou seja, ele conclui que a corrida é um fator de cuidado e prevenção de artrose no joelho desde que seja recreacional, praticado de 2 a 3 vezes por semana. A corrida protege o joelho e quadril da artrose quando comparado ao sedentarismo total e, também, se comparado a esporte competitivo”, explica Thiago Fukuda, doutor em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), membro da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva (SONAFE) e diretor-clínico do Instituto Trata – Joelho e Quadril.

Fonte: Journal of Orthopaedic & Sports Physical Therapy® (JOSPT): www.jospt.org

4 comentários em “Corrida recreativa ou competitiva aumenta o risco de artrose?

  1. Muito interessante essa matéria. Particularmente, esses assuntos ligados a tratamentos fisioterápicos, principalmente em joelhos pois já passei por 3 artróscopias em cada um, por conta de contusões na época em que jogava com muito mais frequência que hoje e não gostaria de deixar minha peladas dos finais de semana. pois para isso, pratico exercícios físicos três vezes na semana em academia e 3 vezes na praia praticando treino de areia. Pois adoro jogar, mais hoje em dia com uma certa dose de cuidados com minhas articulações do joelhos principalmente, até porquê já sofri muito com essas intervenções e não gostaria de parar com as minhas práticas esportivas.

  2. Tenho artrose e para mim o melhor exercício e corrida, mas tinha dúvidas se era bom para mim. Diante desse artigo agora fico mais tranquila, corro só 3 vezes por semana, faço 7km em uma hora, mas ficava preocupada se eu podia ou não. Obrigada

    1. Lourdes, a literatura já tem mostrado que o ato de correr, desde que feita na forma de recreação, é totalmente indicado para quem tem OA de joelho. Entretanto, é importante que se faça este esporte sem dor. Caso apresente dor ou desconforto durante ou após os treinos, sugiro procurar um especialista para fazer um trabalho de prevenção em paralelo. Siga nossas páginas no face e instagram, bem como nosso website: http://www.institutotrata.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *