Reabilitação do quadril: saiba como é o pós-operatório

reabilitação-do-quadril-pós-operatórioA dor que começa na região do quadril, coxas e irradia para o joelho podem ser sinais de artrose, principal doença que acomete os quadris em pessoas após 45 anos. A artrose consiste na degeneração da articulação entre o fêmur e o acetábulo, gerando uma dor muito intensa e que não responde a tratamentos como analgésicos e repouso. A doença pode progredir e impedir que o paciente consiga caminhar, dirigir ou realizar tarefas simples do dia a dia.

Um estudo feito pelo laboratório farmacêutico em parceria com quatro importantes sociedades médicas apontou que o número de brasileiros com artrose tende a crescer 23% nos próximos três anos. A doença já atinge 10 milhões de brasileiros.
A artrose pode incomodar e evoluir. Ela é mais comum em idosos, sendo possível tratar com medicamentos e Fisioterapia, mas em alguns casos a dor é tão intensa que é necessário à cirurgia de substituição.

A cirurgia de prótese de quadril – chamada de artroplastia de substituição de quadril consiste na troca da articulação do quadril pela prótese. O procedimento pode ser parcial, quando a cabeça do fêmur é trocada, ou total, quando substitui a região do acetábulo (bacia).

As próteses duram cerca de 15-25 anos (dependendo da idade do paciente e do nível de atividade), segundo a Sociedade Brasileira de Quadril.

Depois da cirurgia o paciente necessita seguir algumas recomendações para garantir o sucesso da cirurgia. A reabilitação é mais precoce, com exercícios e treino de marcha com auxilio de andador, muletas ou bengalas são bastante recomendadas pelos fisioterapeutas. Estas medidas auxiliam na prevenção de complicações que acontecem quando o paciente fica muito tempo deitado e imóvel (como por exemplo, a trombose venosa profunda e complicações cardio-respiratórias).
A cada um ou dois anos, o paciente deve se consultar e fazer uma avaliação para analisar a funcionalidade da prótese, o posicionamento dos implantes e quaisquer sinais de desgaste.

A cirurgia não é a única solução. Se você notou uma dor diferente no quadril, procure um médico ou fisioterapeuta.