Síndrome do piriforme: saiba como tratar

síndrome-do-piriforme-quadrilQuando a dor surge no quadril e irradia para as pernas acompanhada de dormência e formigamento, muitas pessoas procuram logo um médico por acreditar que está com uma inflamação no nervo ciático. Entretanto, a origem do problema pode não ser a coluna e sim no quadril, tratando-se de uma síndrome do piriforme.

Na região dos glúteos, encontra-se o músculo piriforme. A partir do momento que essa estrutura sofre uma sobrecarga ou uma fraqueza, o nervo ciático pode inflamar provocando a síndrome do piriforme.

Essa disfunção ocorre em indivíduos que apresentam alterações anatômicas. Neste caso, a pessoa pode desenvolver a síndrome quando corre com a ponta do pé virada para fora, principalmente em corridas que têm declives.

Os principais sintomas desta síndrome são dormência, formigamento e dor intensa na região lateral e posterior da coxa.

Ao notar os sintomas, é importante procurar um médico para fazer um diagnóstico e identificar se a origem do problema é na coluna ou no quadril. O médico deve examinar as costas, quadril, membro inferior e analisar se há alguma inflamação presente no nervo ciático.

Exames como ressonância nuclear magnética da coluna e raio-X podem ser solicitados.

O tratamento é conservador por meio de Fisioterapia. O paciente pode fazer compressa de gelo e aplicar sob o local, manter-se em repouso e iniciar um programa de reabilitação o mais rápido possível.

Para aliviar a dor, a fisioterapia é indispensável no tratamento da síndrome. Diversas técnicas de relaxamento muscular e liberação miofascial do piriforme podem amenizar a dor e os sintomas.  Além disso, equipamentos de Eletrotermofototerapia, ultrassom e terapia combinada podem ser utilizados durante o procedimento.
Se você está na dúvida se a sua dor é uma problema de coluna ou quadril, não hesite em procurar um fisioterapeuta ou médico para fazer um diagnóstico disfuncional.