Água no joelho é perigoso?

Popularmente, a sinovite é conhecida como “água no joelho” e é caracterizada como uma inflamação da membrana sinovial, uma fina camada de tecido conjuntivo que reveste estruturas como tendões musculares, cápsulas articulares e bolsas sinoviais.

Se ainda não teve, é provável que conheça alguém que já recebeu o diagnóstico de água no joelho, ou sinovite, termo utilizado pelos especialistas.

Agendar sua Avaliação

Após sofrer um impacto ou lesão no joelho, pode ocorrer o acúmulo de líquido na articulação.

Esse líquido, popularmente chamado de “água no joelho”, é denominado líquido sinovial e é produzido pela membrana sinovial, responsável por revestir internamente as articulações e lubrificar a articulação.

Quando o joelho é traumatizado, o líquido sinovial é produzido em excesso, resultando em um quadro clínico de edema (inchaço). Além disso, ocorre uma alteração na qualidade e características físicas desse líquido.

Agendar sua Avaliação

A água no joelho impacta a cartilagem e os meniscos, sendo os atletas as principais vítimas desse problema.

Algumas condições, como artroses, artrites, gota e sinovites, também podem desencadear o acúmulo do líquido sinovial.

O que é a Sinovite ou água no joelho?

foto de Água no joelho

A membrana sinovial desempenha um papel crucial na produção e absorção do líquido sinovial, um gel viscoso com composição muito semelhante à do plasma.

Esse líquido tem a função de lubrificar as estruturas que alcança, reduzindo o atrito entre elas.

Quando ocorre uma inflamação na membrana sinovial do joelho, o equilíbrio no processo de produção/absorção do líquido sinovial é comprometido, resultando no acúmulo de líquido na articulação do joelho, caracterizando a condição conhecida como sinovite ou “água no joelho”.

Dentre as causas que podem levar à inflamação da membrana sinovial, incluem-se:

  • Traumas diretos;
  • Uso excessivo ou repetitivo da articulação;
  • Infecção;
  • Doenças reumáticas que influenciam na destruição do tecido, entre outras.

Água no joelho: Sintomas

foto de Água no joelho

Normalmente, o paciente percebe o problema quando retorna de algum treino e nota que seu joelho está mais rígido, apresentando um volume anormal, além de sentir dificuldade significativa para dobrá-lo.

Assim, o paciente pode inicialmente associar os sintomas a um excesso de treino, como fadiga muscular.

Entretanto, o problema pode ser atribuído à popularmente chamada “água no joelho,” uma condição bastante comum em atividades esportivas.

O surgimento dessa condição pode ser imediato, ocorrendo algumas horas após a prática esportiva, mas também pode demorar alguns dias para se manifestar.

O paciente afetado percebe uma perda de mobilidade, cuja intensidade dependerá do grau de tumefação (inchaço) que gera tensão na região.

Além da dor no joelho, que pode se tornar insuportável, dependendo da causa do acúmulo de fluido na articulação, há um aumento da temperatura local, vermelhidão na articulação, fraqueza nos músculos da coxa e da perna, além do inchaço no joelho afetado.

Diagnóstico

O diagnóstico preciso depende da identificação da causa subjacente do acúmulo de fluido.

Exame físico

O especialista geralmente começa avaliando a história clínica do paciente e realizando um exame físico.

Durante o exame, o especialista pode observar o inchaço, verificar a amplitude de movimento do joelho e avaliar a presença de dor.

foto de Água no joelho

Exames de imagem

Radiografias: Podem ser solicitadas para avaliar a estrutura óssea do joelho e excluir lesões ósseas.

Ultrassonografia: Pode ser utilizada para visualizar o fluido na articulação e avaliar estruturas como tendões e ligamentos.

Ressonância magnética (RM): Proporciona imagens detalhadas dos tecidos moles, incluindo músculos, tendões e ligamentos, e é útil para identificar lesões ou inflamações.

Aspiração do fluido

Se o especialista suspeitar de derrame articular, pode realizar uma aspiração do fluido sinovial da articulação do joelho.

Esse procedimento envolve a inserção de uma agulha na articulação para retirar uma amostra do fluido, aliviar a pressão e diagnosticar a causa do derrame.

Análise do fluido sinovial

O fluido aspirado é enviado para análise laboratorial para determinar a presença de células inflamatórias, cristais, bactérias ou outros indicadores que possam ajudar no diagnóstico.

Avaliação da causa subjacente

Uma vez que o derrame articular é confirmado, o especialista procura identificar a causa subjacente, que pode incluir lesões, artrite, infecções ou outras condições.

Tratamento para água no joelho

foto de Água no joelho

O tratamento para “água no joelho” visa aliviar os sintomas, reduzir o acúmulo de fluido e tratar a causa subjacente.

A abordagem terapêutica pode variar dependendo da gravidade do derrame e da condição subjacente.

Aspiração do fluido (Artrocentese)

Em casos de derrame significativo, o médico pode realizar a aspiração do fluido sinovial para aliviar a pressão na articulação e proporcionar alívio imediato dos sintomas.

Injeções de corticosteroides

Podem ser administradas diretamente na articulação para reduzir a inflamação mais eficazmente.

Fisioterapia

Exercícios específicos: Um fisioterapeuta pode desenvolver um programa de exercícios personalizado para fortalecer os músculos ao redor do joelho, melhorar a amplitude de movimento e promover a estabilidade articular.

Modalidades físicas: Terapias como ultrassom e eletroterapia podem ser utilizadas para reduzir a inflamação e aliviar a dor.

Mobilização articular: Técnicas de fisioterapia podem incluir mobilizações articulares suaves para melhorar a mobilidade da articulação.

Tratamento da Causa Subjacente

Identificar e tratar a condição subjacente é essencial para prevenir a recorrência do derrame.

Isso pode incluir o tratamento de lesões, controle da artrite, ou gestão de outras condições.

Reabilitação Pós-Aspiração

Após a aspiração do fluido, a fisioterapia pode desempenhar um papel crucial na reabilitação, ajudando a restaurar a função normal do joelho.

Como prevenir?

A prevenção da “água no joelho” (sinovite) envolve medidas voltadas para a manutenção da saúde articular e a redução do risco de inflamação na membrana sinovial.

Fortalecimento Muscular

Incorporar exercícios de fortalecimento para os músculos ao redor do joelho, especialmente os quadríceps e os isquiotibiais. Um programa de exercícios bem equilibrado ajuda a estabilizar a articulação.

Flexibilidade e Alongamento

Praticar regularmente exercícios de alongamento para manter a flexibilidade dos músculos e articulações. Isso pode ajudar a prevenir desequilíbrios musculares e reduzir o risco de lesões.

Controle do Peso

Manter um peso saudável é crucial para reduzir a carga nas articulações, especialmente nos joelhos. O excesso de peso pode aumentar o estresse nas articulações e contribuir para problemas como a sinovite.

Evitar Atividades de Alto Impacto

Limitar ou evitar atividades de alto impacto, como correr em superfícies duras, pode reduzir o estresse nas articulações do joelho. Optar por atividades de baixo impacto, como natação ou ciclismo, pode ser benéfico.

Técnica Adequada

Ao praticar esportes ou atividades físicas, garantir uma técnica adequada pode ajudar a prevenir lesões nos joelhos. Isso inclui o uso de calçados apropriados e a adoção de posturas corretas.

Descanso Adequado

Permitir tempo suficiente para a recuperação após atividades físicas intensas é fundamental. O descanso adequado ajuda a prevenir o desgaste excessivo nas articulações.

Monitoramento da Intensidade do Exercício

Evitar aumentos abruptos na intensidade ou duração do exercício. Um aumento gradual permite que o corpo se ajuste e reduz o risco de sobrecarga nas articulações.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A base da proposta do Instituto TRATA está centrada na ideia de inovação no tratamento das extremidades inferiores, abrangendo quadril, joelho e pé. A asseguração de resultados eficazes espelha os métodos seguidos pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente passa por uma avaliação clínica detalhada realizada por um especialista da equipe. Esse inicial procedimento possibilita uma orientação direcionada ao tratamento, considerando o quadro individual de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

Posteriormente, o paciente passa por uma avaliação cinemática dos movimentos corporais. O objetivo é examinar a organização dos ossos e músculos em resposta à gravidade e às forças que atuam no corpo humano. Para essa finalidade, empregamos um software especializado de análise de movimento chamado TrataScan. Sua tecnologia avançada permite identificar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que podem resultar em quadros inflamatórios ou dolorosos, por exemplo.

Durante essa fase, é possível avaliar assimetrias, padrões motores, lesões associadas, presença de compensações e determinar quais estruturas necessitam de intervenção.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

A etapa final envolve a implementação do protocolo de tratamento para lesões nas extremidades inferiores, desenvolvido pela rede e embasado em evidências científicas.

A atenção é direcionada para o alinhamento biomecânico das extremidades inferiores, visando aprimorar a condição do paciente (evitando recidivas) e, consequentemente, proporcionar uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Não há um atendimento padronizado. Analisamos as necessidades individuais de cada paciente e desenvolvemos a abordagem de tratamento mais adequada para cada caso.

A incorporação da tecnologia é uma parte integral do nosso programa de tratamento, com o propósito de proporcionar aos pacientes as mais avançadas técnicas no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: