Mobilidade e Alongamento Para Dor No Quadril

Já ouviu falar em mobilidade e alongamento para dor no quadril? A dor no quadril pode afetar um grande número de pessoas por diversas razões.

Muitas pessoas sofrem diariamente com essas dores e, em função disso, podem ter dificuldades em executar suas ações diárias.

Agendar sua Avaliação

Para aliviar dores no quadril, existem alguns tipos de alongamento indicados.

Vamos descrever quais são esses alongamentos e como você pode executá-los com segurança.

Confira a seguir!

Agendar sua Avaliação

O que causa dor no quadril? 

A dor no quadril pode ser um resultado de vários fatores diferentes.
A dor no quadril pode ser um resultado de vários fatores diferentes.

 

Ela pode ser causada por diversos fatores.

Geralmente, em casos de dores leves, repouso e alívio na região, com compressas, ajudam a minimizar os incômodos.

Caso a dor persista por mais de 15 dias é essencial que você procure um especialista para um diagnóstico correto.

De fato, o especialista poderá avaliar o grau de mobilidade e alongamento para dor no quadril, solicitar exames e então, dar um diagnóstico preciso do que está causando a dor.

Nunca se automedique, principalmente em casos de dor com mais de 15 dias, porque você estará mascarando a dor e agravando o real problema.

Vamos falar sobre as principais causas de dor no quadril a seguir.

1 – Bursite 

A bursite ocorre quando há inflamação da bursa, que é uma pequena bolsa que faz o acolchoamento da articulação entre quadril e o osso da perna, o fêmur.

Nesse tipo de quadro, a dor é mais profunda e pode se irradiar para a coxa. Inclusive, a região do quadril pode até se apresentar dolorida ao toque ou com leve inchaço.

2 – Tendinite 

Bastante comum em praticantes de atividade física intensa frequente, a tendinite significa inflamação dos tendões.

Ela ocorre quando há demanda excessiva de um grupo muscular, fazendo com que haja força excessiva sendo aplicada justamente no tendão, que não foi feito para suportar isso.

Assim, o tendão se inflama e o resultado disso é a dor localizada naquela região.

3 – Artrite ou artrose 

Mais comum em indivíduos com mais de 60 anos, representa uma doença que afeta as articulações do corpo.

Pessoas com artrite ou artrose começam a ter dificuldades de se movimentar e as dores podem se tornar frequentes.

4 – Luxação 

A luxação ocorre quando há o deslocamento da cabeça do fêmur para fora do local ideal da articulação do quadril. Dessa forma, a pessoa não consegue se movimentar mais.

Essa condição ocorre geralmente após uma queda, sendo bem frequentes em indivíduos com mais idade.

Ela pode afetar também indivíduos com doenças degenerativas, como artrite ou artrose, após tentativa de movimentação com mais amplitude, causando o deslocamento.

É necessário chamar um atendimento especializado tal como uma ambulância, para que o paciente seja imobilizado de maneira correta e então levado a um hospital.

Não tente movimentar o membro afetado e reposicioná-lo. Isso pode levar a mais danos ao local. Aguarde o atendimento especializado.

5 – Nervo ciático 

O nervo ciático é uma das principais causas de dores na região de quadril, glúteos e posterior de coxa.

É um nervo que pode ser comprimido em função de atividades frequentes, como ficar muito tempo sentado ou em praticantes de atividade física, como corrida ou ciclismo.

A dor no caso de inflamação do nervo ciático costuma percorrer todo o trajeto do nervo, passando pela região do quadril e trazendo muito incômodo ao indivíduo.

6 – Dor no quadril na gravidez 

A gravidez é um momento na vida da mulher que, infelizmente, pode vir acompanhado de dor nas costas e no quadril.

Isso ocorre uma vez que há maior peso sendo suportado pela coluna vertebral, em função do crescimento do bebê no útero, bem como relaxamento das articulações.

Inclusive, esse relaxamento é fisiológico e ocorre como preparação do corpo da mulher para passagem do bebê pelo canal vaginal.

Muitas vezes, em adição a isso, a gestante também não adota um estilo de vida saudável, ganhando muito peso durante a gestação, o que certamente contribui para a piora do quadro.

Além disso, a gestante também pode adotar uma postura muito relaxada, o que aumenta o grau de curvatura da coluna, resultando em mais dor na região lombar e no quadril.

7 – Síndrome da banda iliotibial 

A banda iliotibial é uma faixa fibrosa, localizada na lateral da coxa e que se insere na região lateral do joelho e na lateral do quadril.

Quando inflamada, os sintomas são dor na lateral do joelho e no quadril, que são justamente as regiões de sua inserção.

Essa síndrome é bastante comum em corredores, sendo conhecida popularmente como “joelho de corredor”.

Exercícios de Mobilidade e Alongamento para dor no quadril

Existem vários exercícios de mobilidade e alongamento para dor no quadril.

Agora que já descrevemos as principais causas de dor no quadril, vamos descrever alguns alongamentos que podem ajudar a aliviar dores na região.

1 – Ponte 

A ponte é um exemplo de exercício para mobilidade e alongamento para dor no quadril e ajuda a aliviar a contração da musculatura do quadril
A ponte é um exemplo de exercício para mobilidade e alongamento para dor no quadril e ajuda a aliviar a contração da musculatura do quadril

 

Esse exercício é bastante indicado para bursite e tendinite, pois ajuda a aliviar a contração da musculatura do quadril, o que contribui com o alívio da dor.

De fato, a ponte trabalha os músculos flexores do quadril, isquiotibiais, quadríceps e glúteos.

Deitada de costas, em uma superfície firme, posicione os pés com as solas no chão e as pernas ligeiramente afastadas, com os joelhos alinhados com o quadril.

Assim, levante o seu quadril e permaneça com o quadril elevado por alguns segundos.

Desça e repita o movimento ao menos 10 vezes.

Você pode aumentar o número de repetições, chegando até 20 e aumentar a quantidade de vezes que faz o exercício, podendo fazer 3 séries ou até 5 séries por dia.

Lembre-se sempre de respeitar os limites do seu corpo.

2 – Elevação lateral da perna 

A elevação lateral da perna é um bom exercício para quem apresenta inflamação na banda iliotibial
A elevação lateral da perna é um bom exercício para quem apresenta inflamação na banda iliotibial

 

Esse é um exercício bastante útil para quem já apresentou alguma inflamação na banda iliotibial, pois, conforme já descrevemos, a banda se insere na lateral do joelho e na lateral do quadril.

Assim, quando inflama, são essas duas regiões que se apresentam dolorosas.

Para executar esse exercício, deite-se de lado, mantendo o alinhamento do corpo e eleve a perna lateralmente.

Procure executar o movimento dentro da sua amplitude.

Faça o exercício ao menos 15 vezes para cada perna. Se estiver confortável, aumente as repetições de cada lado.

3 – Ostra 

A ostra é um exercício para se fazer deitado.
A ostra é um exercício para se fazer deitado.

 

Ainda deitado (a) de lado, flexione as pernas 45º.

Você pode colocar uma faixa elástica ao redor dos joelhos, o que ajudará na execução do exercício.

Apoie os pés um sobre o outro. Então, abra e feche as pernas, sem encostar os joelhos.

O exercício pode ser realizado sem a faixa elástica, mas a faixa oferece maior controle e resistência.

Faça 3 séries de 15 repetições cada uma.

4 – Posições de Yoga 

Algumas posições de Yoga são excelentes para alongar a região do quadril.

Dentre as posturas mais indicadas para melhorar a flexibilidade do quadril, temos a postura do pombo com a perna estendida.

A postura do pombo com a perna estendida é indicada para melhorar a flexibilidade do quadril
A postura do pombo com a perna estendida é indicada para melhorar a flexibilidade do quadril

 

Para essa posição, coloque sua canela para frente e o joelho abaixado, mantendo-se na mesma linha do corpo.

Então, estenda a outra perna para trás. Abaixe o quadril para o chão. Coloque sua cabeça no chão, apoiada nos braços. Respire. Repita para a outra perna.

postura do bebê feliz também ajuda a trazer alívio para a região. Deite de costas e abrace os joelhos.

A postura do bebê feliz também ajuda a trazer alívio para a região do quadril.
A postura do bebê feliz também ajuda a trazer alívio para a região do quadril.

 

A seguir, abra as pernas e segure a lateral dos seus pés. Você notará que os seus joelhos irão em direção às suas axilas. Permaneça na posição ou balance lentamente para um lado e para o outro, se sentir confortável.

5 – Pilates 

A prática do Pilates pode ser excelente para quem procura melhorar a flexibilidade e a amplitude do quadril, saindo de um quadro doloroso.

A prática do Pilates pode ser excelente para quem procura melhorar a flexibilidade e a amplitude do quadril

O Pilates ajuda a movimentar os músculos da região, sem causar danos à coluna.

Assim, pode ser uma ótima opção de prática frequente.

6 – Fisioterapia 

A fisioterapia pode ajudar muito a melhorar quadros de dor no quadril.

A fisioterapia pode ajudar muito a melhorar quadros de dor no quadril. 

Com liberações miofasciais, terapia manual, procedimentos analgésicos e exercícios específicos, as dores no quadril podem ser tratadas com grande especificidade pela fisioterapia.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé). A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

– O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe. É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

– A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo. Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

– O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas. O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro. A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Conclusão para mobilidade e alongamento para dor no quadril

As dores no quadril podem ser minimizadas através de exercícios de alongamento para o quadril.

Verifique as opções de exercício e tratamento dadas para o seu caso, mas caso as dores não melhorem em alguns dias, busque um especialista para o diagnóstico do seu quadro.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: