Alongamento para Fascite Plantar: Qual é o Melhor?

A fascite plantar é responsável por uma dor aguda na sola e no calcanhar do pé, geralmente ao acordar. Portanto, a pergunta que muitos se fazem é: qual é o melhor alongamento para fascite plantar?

Fazer alongamentos ajuda a aliviar a fascite plantar? Ele é recomendado para prevenir a inflamação da fáscia plantar? Abordaremos essas questões a seguir, confira!

Agendar sua Avaliação

O que é fascite plantar?

esportista no chão com fascite plantar e dor no pé

A fascite plantar é caracterizada pela inflamação da fáscia plantar, um tecido fibroso que cobre os músculos e ossos do pé.

Quando essa fáscia se inflama, o paciente experimenta intensa dor na parte de baixo do pé, especialmente no calcanhar, que se manifesta principalmente após um período prolongado de repouso.

Agendar sua Avaliação

Em outras palavras, quando o paciente acorda, a dor é aguda, podendo, em alguns casos, até impedir que ele coloque o pé no chão e se levante da cama.

Portanto, exercícios específicos para essa condição podem auxiliar temporariamente no alívio do quadro, permitindo que o paciente execute movimentos com mais facilidade.

Alongamento funciona?

Sim, o alongamento é uma das maneiras de tratar e prevenir a inflamação da fáscia plantar.

Isso ocorre porque, com essa condição instalada, há tensão e inflamação na fáscia e nos músculos subjacentes.

Com o alongamento, o objetivo é relaxar a musculatura e aliviar as tensões concentradas na região da fáscia plantar.

Qual é o melhor exercício?

Entre todos os exercícios, um bom alongamento é considerado o mais eficaz para essa condição.

No entanto, para obter alívio, ele deve ser realizado com regularidade e da maneira correta. Veja como fazer os exercícios a seguir.

Como fazer?

alongamento para fascite plantar

Existem várias maneiras de fazer alongamentos para tratar a inflamação da fáscia plantar. Vamos detalhar cada um deles:

1 – Relaxamento da fáscia com bola de tênis:

Uma massagem na planta do pé com uma bola de tênis pode ajudar a relaxar a região e minimizar a dor. Para isso, siga estes passos:

  • Utilize uma bola de tênis.
  • Role-a sobre a sola do pé dolorido várias vezes.
  • Faça movimentos circulares com a bola na parte de baixo do pé, usando o peso do pé com cuidado.
  • É aconselhável realizar esses movimentos enquanto estiver sentado(a).
  • Para evitar que a bola escorregue, faça os movimentos em cima de um tapete.

2 – Alongamento das panturrilhas:

Usando um degrau de uma escada, siga estas instruções:

  • Posicione o meio do pé perpendicularmente ao degrau, deixando o calcanhar para fora.
  • Desça os calcanhares o máximo que conseguir para alongar e esticar as panturrilhas, conhecidas como “batatas da perna”.
  • Retorne à posição original e repita o movimento pelo menos 10 vezes.

3 – Relaxamento da fáscia com garrafa congelada:

O gelo pode ajudar a diminuir a inflamação. Para combinar relaxamento e resfriamento, siga estas etapas:

  • Use uma garrafa de água congelada.
  • Posicione a garrafa no meio do pé e faça movimentos circulares e de vai e vem.

4 – Alongamento com toalha:

Deite-se em uma superfície plana e mantenha as pernas esticadas. Siga estes passos:

  • Coloque uma toalha no meio do pé e segure-a com as mãos.
  • Puxe a toalha em sua direção, fazendo com que os dedos se aproximem do peito.
  • Vá até onde sentir um alongamento, mesmo que isso cause desconforto.
  • Repita o movimento pelo menos 15 vezes com cada pé.
  • Além disso, eleve uma perna e puxe o pé em direção a você usando a toalha.
  • Mantenha a perna elevada por alguns segundos e, em seguida, repita o movimento com a outra perna.

5 – Massagem na sola do pé:

Siga estas orientações:

  • Posicione seu pé na coxa oposta.
  • Massageie toda a região do pé com as mãos, indo da polpa dos dedos até o calcanhar.
  • Concentre-se também no arco plantar, a região curva interna do pé.
  • Deixe o calcanhar por último.
  • Outra área importante para massagear é o centro da sola do pé.
  • Se preferir, use um creme hidratante para melhor deslizar as mãos na superfície da parte de baixo do pé, tornando a massagem mais eficaz.

Dica adicional: fazer essa massagem antes de dormir pode relaxar a musculatura do pé para uma noite de sono melhor.

Por que o alongamento é importante?

alongamento para fascite plantar no chão

O alongamento é fundamental para aliviar a dor e relaxar os músculos na fáscia plantar.

A causa principal dessa condição é a contração excessiva da musculatura dos pés e da fáscia, resultando em inflamação.

Normalmente, isso ocorre devido ao acúmulo de tensão na região. Fatores de risco comuns para a inflamação da fáscia plantar incluem sobrepeso e problemas biomecânicos, como problemas na marcha ou corrida.

Portanto, ao realizar alongamentos para essa condição, você ajuda o organismo a reduzir a inflamação local e aliviar as tensões na área afetada.

Com o tempo e a melhora dos fatores de risco e causas subjacentes, as crises de fascite plantar tendem a diminuir. O alongamento desempenha um papel importante na prevenção e no tratamento dessa condição.

Para aqueles que sofrem frequentemente com a fascite plantar, a fisioterapia é altamente recomendada, pois os fisioterapeutas podem orientar os alongamentos de forma correta.

Além disso, a correção da biomecânica, especialmente no caso da corrida, pode ser essencial para evitar recorrências da fascite plantar.

Portanto, se você está enfrentando a fascite plantar, invista em alongamentos. Se as crises persistirem, busque um diagnóstico preciso e apoio especializado de um fisioterapeuta para melhorar sua saúde e reduzir os sintomas da fascite plantar.

Assista ao vídeo do Dr. Thiago Fukuda, diretor-clínico do Instituto Trata, para mais informações sobre o assunto.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé).

A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe.

É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo.

Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas.

O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro.

A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: