O que sente uma pessoa que tem artrose no quadril?

A artrose do quadril é uma condição degenerativa que afeta a articulação do quadril, levando ao desgaste da cartilagem articular.

Essa doença pode resultar em dor, rigidez e perda de mobilidade na articulação afetada, impactando significativamente a qualidade de vida do indivíduo.

Agendar sua Avaliação

Descubra a seguir quais são as causas, sintomas e como funciona o tratamento dessa condição.

Estrutura do quadril

foto de artrose no quadril

O quadril é a articulação formada pela junção do osso da coxa (cabeça do fêmur) e o osso da pelve (cavidade acetabular).

Agendar sua Avaliação

Em um quadril normal, a cabeça femoral está anatomicamente encaixada na cavidade do acetábulo, e isso garante uma boa estabilidade para essa articulação, permitindo ampla liberdade de movimento para o membro inferior.

As superfícies ósseas que compõem a articulação do quadril são revestidas por cartilagem (cartilagem hialina), um tecido mole e macio, composto por água e colágeno.

Esta estrutura é responsável, sobretudo, pela redução do atrito entre um osso e outro e por facilitar o deslizamento entre as superfícies articulares.

O que é artrose quadril?

foto de artrose no quadril

Artrose é um termo genérico utilizado para descrever, basicamente, o desgaste de uma articulação.

Assim, a artrose de quadril, também conhecida como coxartrose, osteoartrose de quadril ou artrose coxofemoral, é uma patologia articular crônica, inflamatória e degenerativa, caracterizada pelo desgaste progressivo da cartilagem articular (cartilagem hialina), seguido da exposição e lesão do osso subcondral (porção do osso protegida pela cartilagem articular) da articulação do quadril.

A degeneração e, consequentemente, a perda da função da cartilagem ocasionam atrito direto entre os ossos da articulação.

Como esta porção dos ossos é altamente inervada, a progressão da doença geralmente é acompanhada de dores que podem reduzir a funcionalidade e a independência do indivíduo.

Particularmente, as articulações do quadril e do joelho são as mais suscetíveis à degeneração, e isso está muito relacionado ao fato de estas articulações suportarem muita carga durante atividades diárias e também durante atividades recreacionais ou esportivas de alto rendimento.

O desgaste articular obedece a algumas fases:

O início do processo é caracterizado pela desorganização da estrutura do colágeno, responsável por fazer com que a cartilagem apresente afinamento ou algumas irregularidades.

Porém, ela ainda está presente e desempenhando seu papel.

Fases mais avançadas desta patologia são marcadas pelo desaparecimento de algumas porções da cartilagem. É nesta fase que o osso subcondral fica exposto a atritos diretos com outros ossos.

Esta fricção entre os ossos durante movimentos corriqueiros, como caminhar, subir e descer escadas ou sentar e levantar de uma cadeira, pode deformar as estruturas articulares, alterar a capacidade de dissipação das cargas que passam pelo quadril e favorecer a inflamação da articulação.

foto de artrose no quadril

Isso gera um processo intensamente doloroso, resultando em limitação da função do quadril e das atividades de vida diária do paciente, o que compromete diretamente sua independência e qualidade de vida.

A artrose clássica normalmente afeta indivíduos mais velhos, estando presente em cerca de 10 a 20% da população acima de 60 anos.

É mais comum em mulheres após os 45 anos, devido a alterações hormonais, mas também ocorre em homens até os 50 anos.

Normalmente, não há predominância para o aparecimento da doença no quadril direito ou esquerdo. Sabe-se que a artrose bilateral (quando presente nos dois quadris) está normalmente relacionada ao desgaste progressivo das articulações inerente ao envelhecimento, enquanto a artrose unilateral (quando afeta apenas um quadril) está relacionada a causas secundárias, como traumas, fraturas, cirurgias prévias, lesões ligamentares ou doenças da infância que afetaram apenas um quadril.

Quais são as causas da artrose de quadril

foto de artrose no quadril

As causas mais comuns de doenças da infância que favorecem o aparecimento da artrose de quadril incluem a Displasia de Desenvolvimento do Quadril e a Doença de Legg-Calvé-Perthes.

Existem duas categorias principais de artrose: a artrose primária (ou idiopática) e a artrose secundária, diferenciadas pelos fatores que causam a doença.

A artrose primária, responsável por cerca de 48% dos casos, não tem uma causa específica identificável.

Ela é caracterizada por uma combinação de fatores, incluindo predisposição genética, estilo de vida com intensa sobrecarga (atividades repetitivas de alto impacto nas articulações, grande mobilidade da articulação do quadril e atividade física intensa), desequilíbrios musculares e sedentarismo, todos contribuindo para o seu desenvolvimento.

Por outro lado, a artrose secundária, que representa aproximadamente 52% dos casos, decorre de condições que afetam diretamente a saúde da articulação, como malformações genéticas.

Entre as causas mais frequentes estão doenças infantis como a displasia do desenvolvimento do quadril (anormalidade na formação do acetábulo, que afeta a junção entre a cabeça do fêmur e a cavidade acetabular, formando a articulação do quadril), a doença de Legg-Calvé-Perthes (degeneração da cabeça do fêmur devido à falta de suprimento sanguíneo), epifisiólise (deslizamento da cabeça do fêmur), impacto femoroacetabular, processos inflamatórios ou infecciosos no quadril, distúrbios metabólicos e hormonais, e obesidade.

Especificamente, distúrbios metabólicos e hormonais têm uma relação importante com o desenvolvimento de artrose, especialmente em mulheres, frequentemente relacionados à alteração na produção e concentração de hormônios, como o estrogênio, que afeta diretamente o metabolismo ósseo após a menopausa.

O que sente uma pessoa que tem artrose no quadril?

foto de artrose no quadril

A osteoartrose de quadril é frequentemente acompanhada de dores progressivas, especialmente durante atividades como caminhar, subir ou descer escadas e rampas.

Como uma doença de progressão gradativa, os sinais e sintomas da artrose no quadril também evoluem de leves e pouco limitantes para intensos e altamente restritivos.

Os primeiros indícios incluem rigidez articular, particularmente matinal; dor ao redor da articulação, como na nádega, virilha e lateral da coxa; e dor associada à limitação de movimentos do quadril em atividades cotidianas, como entrar e sair do carro ou calçar sapatos.

Inicialmente, os sintomas são brandos, com a rigidez na articulação do quadril melhorando ao longo do dia, a dor diminuindo ou desaparecendo após descanso e a limitação de movimento sendo mínima.

No entanto, à medida que a doença avança, a rigidez articular torna-se mais persistente, as dores intensificam-se, podem irradiar para outras áreas (como a coluna lombar ou o joelho) e não melhoram com o repouso, enquanto a restrição de movimentos do quadril aumenta progressivamente.

Se o comprometimento articular for significativo, o desconforto pode tornar-se permanente, independentemente de o paciente estar em pé, deitado ou em movimento.

Como tentativa de controlar a dor, o paciente pode tornar-se menos ativo e começar a mancar para minimizar a sobrecarga no membro afetado.

Embora essas estratégias possam parecer benéficas inicialmente, elas, de fato, contribuem para o agravamento da condição, enfraquecendo os músculos da perna e da nádega, cruciais na proteção da articulação do quadril.

O avanço da artrose do quadril é quase inevitável, reforçando a importância de buscar tratamento assim que os primeiros sintomas aparecerem.

foto de artrose no quadril

Segue uma lista dos principais sinais e sintomas da artrose de quadril (coxartrose):

  • Dor na nádega, coxa ou virilha, nas proximidades da articulação do quadril;
  • Rigidez articular, dificultando o movimento, principalmente pela manhã;
  • Crepitação articular durante o movimento (estalidos na articulação);
  • Dificuldade em realizar atividades diárias, como permanecer em pé por períodos prolongados, sentar em assentos baixos, caminhar, entrar e sair do carro, cruzar as pernas, calçar sapatos e meias ou lavar os pés;
  • Deformidade articular;
  • Posição antálgica, deslocando o peso para o quadril saudável (causando sobrecarga no quadril e pelve opostos);

Diagnóstico e exames

foto de artrose no quadril

O diagnóstico é realizado principalmente através de avaliação clínica, durante a qual o profissional da saúde recolhe o histórico completo da doença e coleta informações sobre a força dos músculos glúteos, da coxa e da perna.

Ele também avalia a amplitude de movimento do quadril em várias direções e realiza testes específicos para analisar a condição funcional do paciente, tudo com o objetivo de identificar os sinais e sintomas mencionados anteriormente.

Além disso, é feita uma análise detalhada dos exames de imagem, como radiografias e ressonância magnética nuclear (RMN) do quadril.

Esses exames são cruciais para determinar o grau de comprometimento das estruturas articulares, especialmente a cartilagem e o osso subcondral.

Também é possível identificar a redução do espaço articular (espaço entre a cabeça do fêmur e o acetábulo), a presença de deformidades nas superfícies articulares e as proeminências ósseas ao redor da articulação do quadril (osteofitos), indicativos de um nível significativo de sobrecarga na articulação.

Fisioterapia para artrose de quadril e melhora da qualidade de vida

Quanto ao tratamento da artrose de quadril, é importante destacar que cada abordagem deve ser personalizada conforme as expectativas de vida e níveis de atividade de cada paciente.

Comumente, a primeira opção é o tratamento conservador, empregando métodos não cirúrgicos.

Esta abordagem inclui o uso de medicamentos anti-inflamatórios e condroprotetores, além de exercícios físicos específicos prescritos pela fisioterapia.

Os músculos desempenham um papel crucial como estabilizadores e protetores das articulações, fazendo com que a reabilitação focada e exercícios direcionados ganhem reconhecimento como uma opção eficaz de tratamento conservador.

A fisioterapia visa inicialmente aliviar a dor, reduzir o processo inflamatório e promover a amplitude de movimento do quadril utilizando recursos eletrotermofototerapêuticos (como TENS, CIV, LASER, Ultrassom) e técnicas de liberação miofascial e mobilizações articulares.

foto de artrose no quadril

Posteriormente, a ênfase do tratamento se desloca para o fortalecimento dos músculos responsáveis pela estabilização da articulação do quadril, melhorando a capacidade da musculatura de absorver as cargas durante as atividades cotidianas ou esportivas e, consequentemente, prevenindo o desgaste da cartilagem e do osso subcondral, uma fonte significativa de dor.

Além de melhorar a função do paciente, essa abordagem visa aliviar os sintomas e aprimorar sua capacidade física, impedindo a progressão da artrose através da estabilização da articulação e redução do atrito e sobrecarga nas superfícies desgastadas.

foto de artrose no quadril

O tratamento avança para o reequilíbrio muscular do tronco e membros inferiores, treino de controle de movimento, estabilidade em superfícies estáveis e instáveis, e treino específico para retornar o paciente às suas atividades de maneira otimizada.

Embora a fisioterapia não possa reverter os danos já presentes na articulação afetada pelo desgaste, ela é fundamental no controle da dor, melhora da funcionalidade e, principalmente, na prevenção da progressão da doença para estágios mais debilitantes.

Adicionalmente, a perda de peso e a fisioterapia são estratégias valiosas contra a artrose em qualquer uma das articulações dos membros inferiores, seja no quadril ou joelho.

Embora a cirurgia de substituição da articulação por prótese de quadril possa ser inevitável em alguns casos, um tratamento conservador bem conduzido pode restaurar significativamente a função do quadril e reduzir os sintomas, melhorando a qualidade de vida do paciente e, potencialmente, adiando a necessidade de cirurgia.

Cirurgia para artrose de quadril

Dependendo do grau de comprometimento da articulação, a cirurgia é considerada a última opção de tratamento.

Geralmente, ela se torna uma alternativa após o insucesso dos métodos conservadores ou diante de um estágio avançado de desgaste do quadril.

Para a artrose do quadril, a artroplastia, ou prótese de quadril, é o procedimento mais recomendado. Esse procedimento envolve a substituição total ou parcial das superfícies articulares desgastadas por implantes feitos de cerâmica ou metal, replicando a forma dos ossos originais da articulação.

Embora seja uma cirurgia bastante invasiva, apresenta altas taxas de sucesso, especialmente na redução da dor e na melhora da mobilidade do paciente.

Importante ressaltar que essa intervenção exige um período extenso de recuperação.

Além disso, é essencial que o paciente passe por um processo de reabilitação com fisioterapia especializada após a cirurgia, para alcançar a maior independência e a menor limitação possível.

Quais são as melhores atividades físicas para quem tem artrose no quadril?

foto de artrose no quadril

Para quem tem artrose no quadril, os melhores exercícios são aqueles de baixo impacto que auxiliam na manutenção da amplitude de movimento e no fortalecimento dos músculos ao redor da articulação, sem sobrecarregá-la.

A natação e a hidroginástica são altamente recomendadas porque a água diminui o impacto nas articulações, enquanto ainda permite um bom trabalho muscular.

Andar de bicicleta, seja estacionária ou ao ar livre, também é benéfico por ser uma atividade de baixo impacto que promove o fortalecimento das pernas sem provocar dor intensa.

Além disso, exercícios de fortalecimento específicos orientados por um fisioterapeuta podem ajudar a melhorar a flexibilidade, reduzir a rigidez e aumentar a força muscular, contribuindo para a estabilidade da articulação do quadril e diminuição dos sintomas.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A base da proposta do Instituto TRATA está centrada na ideia de inovação no tratamento das extremidades inferiores, abrangendo quadril, joelho e pé. A asseguração de resultados eficazes espelha os métodos seguidos pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente passa por uma avaliação clínica detalhada realizada por um especialista da equipe. Esse inicial procedimento possibilita uma orientação direcionada ao tratamento, considerando o quadro individual de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

Posteriormente, o paciente passa por uma avaliação cinemática dos movimentos corporais. O objetivo é examinar a organização dos ossos e músculos em resposta à gravidade e às forças que atuam no corpo humano. Para essa finalidade, empregamos um software especializado de análise de movimento chamado TrataScan. Sua tecnologia avançada permite identificar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que podem resultar em quadros inflamatórios ou dolorosos, por exemplo.

Durante essa fase, é possível avaliar assimetrias, padrões motores, lesões associadas, presença de compensações e determinar quais estruturas necessitam de intervenção.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

A etapa final envolve a implementação do protocolo de tratamento para lesões nas extremidades inferiores, desenvolvido pela rede e embasado em evidências científicas.

A atenção é direcionada para o alinhamento biomecânico das extremidades inferiores, visando aprimorar a condição do paciente (evitando recidivas) e, consequentemente, proporcionar uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Não há um atendimento padronizado. Analisamos as necessidades individuais de cada paciente e desenvolvemos a abordagem de tratamento mais adequada para cada caso.

A incorporação da tecnologia é uma parte integral do nosso programa de tratamento, com o propósito de proporcionar aos pacientes as mais avançadas técnicas no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: