Bursite No Quadril Aposenta? 

A bursite no quadril é um problema que afeta um grande número de pessoas e a questão se bursite no quadril aposenta também é alvo de muitas dúvidas. 

Assim, vamos descrever o que é esse problema e como ele é encarado juridicamente no Brasil. Afinal, bursite no quadril aposenta? Confira! 

Agendar sua Avaliação

O que é bursite no quadril?

pessoa curvada com bursite no quadril
Bursite no quadril aposenta quando a dor é muito forte.

O quadril é uma complexa estrutura formada pelo osso da bacia, diversos músculos e ligamentos e pela articulação com a cabeça do fêmur. 

Nessa região, há um tecido sinovial, na porção lateral do quadril, que serve de proteção entre o músculo lateral da coxa e a parte mais proeminente da cabeça do fêmur, que é o osso da coxa. Essa estrutura é denominada bursa. 

A função da bursa, no quadril, é atuar como se fosse uma “almofada”, facilitando o deslizamento dos tendões e estruturas musculares sobre o osso. 

Agendar sua Avaliação

Com a bursa, esse deslizamento é feito de maneira suave, sem causar dor aos músculos. 

Porém, em algumas situações, a bursa pode ficar inflamada, dando origem ao quadro conhecido como bursite. 

De fato, a bursite no quadril é também conhecida como bursite trocantérica, uma vez que a região mais proeminente da cabeça do fêmur recebe o nome de trocanter maior. 

Bursite no quadril – sintomas 

O principal sintoma de bursite no quadril é a dor na região lateral do quadril, mas que também pode se irradiar para a lateral da coxa e até para a região das nádegas. 

Essa dor pode se manifestar como uma pontada ou queimação nessa região e afeta mais mulheres do que homens, muito em função das mulheres terem o quadril mais largo do que os homens. 

Causas da bursite no quadril 

As mulheres são mais afetadas pela bursite no quadril em função de terem o quadril mais largo do que os homens, porém isso não significa que os homens não apresentam essa patologia. 

Dentre as causas da bursite no quadril, podemos citar: 

  • Quedas ou traumas na região lateral do quadril; 
  • Tempo prolongado na mesma posição, como deitada sobre a região lateral, por exemplo; 
  • Sobrecarga mecânica, em função de atividade física; 
  • Doenças degenerativas, tais como artrite reumatoide, por exemplo; 
  • Fibromialgia; 
  • Menopausa, que pode levar à menor lubrificação das articulações; 
  • Envelhecimento.

Tratamento para bursite no quadril

pessoa com dor de bursite no quadril
Há tratamentos variados para Bursite no quadril.

É essencial que o paciente busque diagnóstico adequado para dores persistentes no quadril, através de uma consulta com médico ortopedista. 

Dessa forma, o médico poderá avaliar fisicamente o paciente e através de exames físicos e exames de imagem, o diagnóstico correto é dado. 

O diagnóstico diferencial é feito em relação a tendinites, sobretudo tendinite do músculo glúteo médio e mínimo ou artrose coxofemoral. 

Após o diagnóstico de bursite trocantérica confirmado, o tratamento é instituído. Geralmente, o tratamento conservador tem bons resultados e deve ser a primeira opção. 

Primeiramente, é importante tirar o paciente do quadro de dor aguda. 

De fato, um paciente com dor aguda no quadril tende a ter piora da amplitude de movimento e da qualidade de vida. Assim, esse paciente necessita de tratamento adequado. 

O tratamento para bursite no quadril inclui diminuição da sobrecarga na região, aplicação de gelo no local, administração de analgésicos e anti-inflamatórios. 

Além disso, pode também ser aplicada uma injeção local de corticosteróides

A fisioterapia é parte integrante e importante do tratamento, uma vez que durante sessões de fisioterapia são feitas manobras analgésicas, que ajudam a reduzir a inflamação na região. 

Outra informação importante é que a fisioterapia auxilia no reforço e reequilíbrio muscular da região. 

A cirurgia é raramente indicada para casos de bursite no quadril e somente recomendada quando houver falha do tratamento conservador. 

Nesses casos, a bursa é removida, com a liberação dos tecidos na lateral do quadril, através de cirurgia artroscópica, ou seja, minimamente invasiva. 

Bursite no quadril tem cura? 

A maioria dos casos de bursite no quadril tem boa resposta com o tratamento adequado e boa aderência do paciente ao tratamento proposto. 

Mas, é importante que o paciente também possa adequar seu estilo de vida ao problema, sobretudo se o problema for causado por sobrecarga na região. 

Portanto, melhorar o fortalecimento muscular da região, bem como ter consciência postural é essencial. 

Inclusive, exercícios de alongamento para a região também são importantes para diminuir as dores. 

No entanto, em alguns casos, a bursite pode ser crônica e com isso, levar à incapacidade ao trabalho. 

Bursite no quadril aposenta?

Para saber se a bursite no quadril aposenta, é importante entender como é feito o deferimento da aposentadoria por invalidez no Brasil. 

Isso, de fato, depende muito da avaliação da gravidade do problema e se o indivíduo não consegue mais executar qualquer trabalho. 

Ou seja, para que um problema de saúde leve à aposentadoria por invalidez, não se examina somente a doença, nesses casos, mas sim o comprometimento da saúde do trabalhador. 

O trabalhador deve ter inicialmente contribuído para o INSS por no mínimo 12 meses, antes de entrar com o pedido de aposentadoria por invalidez. E no momento do pedido, o trabalhador deve estar com suas contribuições ao INSS em dia. 

No pedido, o trabalhador deverá incluir as razões pelas quais está solicitando a aposentadoria por invalidez. É importante incluir o laudo médico que indique, especificamente, a gravidade do problema de saúde. 

A perícia médica do INSS também avaliará a questão. E mesmo que a aposentadoria por invalidez seja concedida, nova perícia médica terá que ser feita a cada 2 anos, para confirmar que a invalidez por razão médica permanece. 

Conclusão 

A bursite no quadril é um problema que afeta a bursa, uma “almofada” que facilita o deslizamento da porção mais proeminente do osso do fêmur. 

Ela resulta em dor na lateral do quadril, dificultando a movimentação. Seu tratamento é, a princípio conservador, com medidas analgésicas e fisioterapia, as quais geralmente oferecem bons resultados.

Porém, em alguns casos crônicos, a bursite no quadril pode gerar incapacidade para o trabalho, mas isso deve ser comprovado por laudos e perícia médica.  

Mesmo que a aposentadoria por invalidez seja concedida, novas perícias médicas a cada 2 anos têm que ser feitas para confirmar que o problema permanece.

Agendar sua Avaliação