Posso fazer caminhada com fascite plantar?

A fascite plantar gera dor na sola do pé, causada por inflamação na fáscia. Como é uma lesão que tem dor associada, muitas pessoas se perguntam: “posso fazer caminhada com fascite plantar?”.

Vamos falar mais sobre fascite plantar, entender quais são as suas causas, como é seu tratamento e se quem tem a lesão de fascite plantar pode fazer caminhada.

Agendar sua Avaliação

Confira! 

O que é fascite plantar? 

pode ser doloros caminhar com fascite plantar
A fascite plantar é uma inflamação do tecido fibroso na planta dos pés.

Fáscia plantar é um tecido fibroso, que recobre os músculos na região do pé, fazendo a ligação entre o osso calcâneo até os dedos do pé.  Quando essa estrutura fibrosa se inflama, temos o quadro denominado fascite plantar. 

Causas 

Existem várias razões pelas quais um indivíduo pode apresentar fascite plantar. 

Agendar sua Avaliação

A sobrecarga mecânica na região é a principal razão. Por isso, indivíduos com obesidade ou sobrepeso costumam ter maior risco de desenvolverem o quadro. 

Mas, indivíduos com o peso ideal, porém praticantes de corrida de rua, por exemplo, também têm risco aumentado de desenvolver a doença.

A falta de alongamento e fortalecimento da musculatura do pé e da região inferior da perna pode levar à maior concentração de forças na região da fáscia, o que pode resultar em inflamação. 

Já indivíduos que possuem doenças inflamatórias preexistentes também podem desenvolver a inflamação da fáscia plantar. 

Sintomas

mulher segurando os pés com dor por fascite plantar
Dor na região do calcanhar ou no meio do pé é o pricipal sintoma da fascite plantar.

O principal sintoma da fascite plantar é a dor, geralmente na região do calcanhar ou no meio do pé, em virtude da inflamação da fáscia. 

Geralmente, a dor é mais aguda e intensa logo pela manhã, ao levantar. De fato, os pacientes com fascite plantar costumam reclamar que a dor é bastante forte logo que acordam e, em alguns casos, mal conseguem colocar o pé no chão ao sair da cama. 

Porém, embora durante o dia a dor possa se amenizar, ela também pode surgir de repente, sobretudo após o indivíduo ter ficado longos períodos em pé ou sentado (a). 

Além disso, outros sintomas podem estar presentes, tais como inchaço ou vermelhidão na região. 

Uma característica de fascite plantar é o indivíduo ter dificuldade de movimentar os dedos do pé em direção à “canela”. Esse movimento, chamado dorsiflexão, é utilizado para auxílio do diagnóstico, quando o paciente relata dor e dificuldade de execução. 

Diagnóstico

pessoa sentada no chão co dor no pé ao caminhar com fascite plantar
O diagnóstico pode ser feito antes de começar a dor por caminhar com fascite plantar.

Para diagnóstico da fascite plantar o especialista considera os aspectos clínicos do problema. 

Ou seja, a história da doença é bastante importante. Portanto, perguntas como: “Qual a intensidade da dor?”, “Qual o momento que mais dói durante o dia?”, “Há algum movimento que traz alívio ou piora da dor?” são essenciais para o diagnóstico. 

Geralmente, não há necessidade de exames laboratoriais ou de imagem para diagnóstico de fascite plantar, sendo necessário somente um apurado exame clínico. 

Mas, em casos de pacientes com evolução da patologia, que apresentem problemas ao caminhar (denominados problemas de marcha), podem haver lesões no joelho ou no quadril associadas. 

Então, exames de imagem podem ser solicitados para essas situações mais específicas. 

Para o diagnóstico diferencial, algumas lesões que apresentam dor na região são consideradas, tais como síndrome do túnel társico, fratura do calcâneo por estresse, compressão do nervo plantar lateral (denominada Neuropatia de Baxter), dentre outras. 

Fatores de risco 

Algumas condições na saúde do paciente podem aumentar o risco de desenvolvimento de fascite plantar. 

Dentre elas, podemos citar: 

  • Obesidade; 
  • Indivíduos que praticam atividade física de grande impacto na fáscia plantar, como corrida ou saltos, por exemplo; 
  • Indivíduos que passam longos períodos em pé; 
  • Pé plano; 
  • Pé cavo; 
  • Doenças inflamatórias sistêmicas.

Tratamento de fascite plantar

pessoa fazendo fisioterapia com bolinha para a fascite plantar
A fisioterapia pode ser um bom tratamento para a fascite plantar.

O tratamento da fascite plantar pode envolver diversas ações, englobando a melhoria da saúde do paciente como um todo. 

Primeiramente, em casos de paciente com obesidade, a perda de peso ajuda muito na melhora dos sintomas. Portanto, adotar uma dieta saudável pode ser um passo importante para a melhora do quadro. 

O exercício físico deve ser feito sempre respeitando os limites do seu corpo. Assim, quando há um quadro agudo de fascite plantar, o exercício físico pode esperar. 

Já quando o quadro melhora, a atividade física é bastante benéfica, devendo ser incorporada ao dia a dia. 

Outras formas de tratamento também podem ser consideradas. 

Fisioterapia 

A fisioterapia é uma forte aliada para a melhora do quadro de fascite plantar. Isso porque com a fisioterapia tanto medidas analgésicas, para melhora da dor, como exercícios de fortalecimento podem ser feitos. 

Dessa forma, enquanto o paciente tem sua dor reduzida, também faz parte do programa individualizado de fisioterapia, exercícios que ajudam no fortalecimento da musculatura da região. 

O fortalecimento da região ajuda a evitar futuras crises e deve fazer parte do programa individualizado de treinamento, tanto de atletas amadores, como de pessoas que já tiveram algum quadro de fascite plantar. 

Os exercícios de fisioterapia se baseiam no alongamento da fáscia e do tendão de Aquiles. 

Outras formas de tratamento de fascite plantar 

As palmilhas ortopédicas são opções que podem trazer alívio. São encontradas com facilidade em lojas de produtos ortopédicos. 

Fascite plantar – tratamento caseiro 

Outra maneira de aliviar dores agudas é no massageamento da fáscia plantar, o qual pode ser realizado com uma bolinha de tênis ou com uma toalha. 

No caso da bolinha de tênis, em pé, passe a bolinha várias vezes sobre a sola do pé. Esse exercício ajuda a diminuir a tensão na fáscia, o que contribui para minimizar a inflamação e reduzir a dor. 

Já usando uma toalha, sentado(a), com as pernas esticadas, passe uma toalha enrolada pela sola do pé e movimente várias vezes, em movimentos de vai e vem. 

Você também pode usar a toalha para alongar a região da panturrilha e da própria sola do pé, elevando a perna, segurando a toalha e puxando a sola do pé em direção a você. 

Assim, com esses exercícios simples, você ajuda a reduzir a dor local. 

Afinal, posso fazer caminhada com fascite plantar? 

A caminhada ajuda a reduzir quadros crônicos de fascite plantar. Mas, depende muito do nível de dor sentido pelo paciente. 

Portanto, em quadros agudos de dor, a caminhada não é recomendada, mas quando a dor melhorar, a prática da caminhada ajuda na resolução do problema. 

Agendar sua Avaliação