Cirurgia no joelho é perigoso?

Você está avaliando com o seu especialista os riscos da realização de uma cirurgia no joelho ou está avaliando outras intervenções não cirúrgicas disponíveis para o seu caso?

Descubra nesse presente artigo em quais casos a cirurgia no joelho pode ser evitada, quais ela deve ser realizada e quais são os riscos desse procedimento.

Agendar sua Avaliação

Quando devo procurar um especialista?

foto de cirurgia no joelho é perigoso

Você deve procurar um especialista em joelho em várias situações, incluindo:

Dor persistente

Agendar sua Avaliação

Se você experimenta dor persistente no joelho, especialmente se ela não melhora com repouso e aplicação de gelo, é recomendável procurar avaliação.

Inchaço recorrente

Inchaço recorrente no joelho, especialmente se não estiver associado a uma lesão aguda conhecida, pode ser um sinal de um problema subjacente.

Restrição de movimento

Se você perceber uma limitação significativa na amplitude de movimento do joelho, como dificuldade para dobrar ou esticar completamente a perna, isso pode indicar um problema que precisa ser investigado.

Estalos ou crepitação constantes

Estalos frequentes, crepitação ou ruídos anormais no joelho podem indicar desgaste da cartilagem ou outras condições que precisam ser avaliadas.

Lesões agudas

Se você sofreu uma lesão aguda no joelho, como uma torção, queda ou impacto significativo, é importante procurar avaliação especializada para determinar a extensão da lesão.

Incapacidade de peso

Se você não consegue suportar peso no joelho ou experimenta dor intensa ao tentar andar, isso pode ser indicativo de uma lesão grave que precisa de atenção imediata.

Sintomas que interferem nas atividades diárias

Se a dor ou os sintomas no joelho estão interferindo nas atividades diárias normais, como caminhar, subir escadas ou praticar esportes, é aconselhável procurar orientação especializada.

Cirurgia é a única forma de tratamento possível para condições no joelho?

Não, a cirurgia não é a única forma de tratamento para condições no joelho.

Muitas condições podem ser gerenciadas efetivamente por meio de abordagens não cirúrgicas, especialmente se forem identificadas precocemente.

Algumas opções de tratamento não cirúrgico incluem:

Fisioterapia

Exercícios específicos para fortalecer os músculos ao redor do joelho, melhorar a flexibilidade e corrigir desequilíbrios musculares.

Modificação da atividade

Evitar atividades que agravam a condição, reduzir a intensidade ou duração do exercício e modificar as atividades diárias para aliviar o estresse no joelho.

Perda de peso

Em casos de condições relacionadas ao peso, como osteoartrite, a perda de peso pode reduzir a carga no joelho e aliviar os sintomas.

Injeções de Corticosteroides ou ácido hialurônico

Injeções de corticosteroides podem ser administradas para reduzir a inflamação, enquanto injeções de ácido hialurônico podem ajudar a lubrificar e amortecer a articulação.

foto de cirurgia no joelho é perigoso

Em que casos a cirurgia no joelho pode ser evitada?

Nem sempre a cirurgia é a melhor opção de tratamento para uma condição no joelho.

Essa decisão deve ser tomada pelo paciente juntamente com um especialista após uma avaliação minuciosa da queixa e condição do paciente.

Em alguns dos casos, de acordo com a natureza da condição ou lesão específica, bem como da resposta do paciente a outras formas de tratamento, a cirurgia não se faz necessária.

Alguns exemplos de situações em que a cirurgia no joelho pode ser evitada incluem:

Lesões meniscais menores

Pequenos rasgos meniscais que não causam sintomas graves podem muitas vezes ser gerenciados com fisioterapia, repouso e modificação da atividade.

Lesões ligamentares leves a moderadas

Lesões leves ou moderadas nos ligamentos, como o ligamento colateral medial (LCM) ou ligamento cruzado anterior (LCA), podem ser tratadas com sucesso através da fisioterapia e reabilitação, sem a necessidade de cirurgia.

Tendinite ou bursite

Condições inflamatórias, como tendinite ou bursite, geralmente respondem bem a tratamentos não cirúrgicos, incluindo fisioterapia, medicações anti-inflamatórias e modificação da atividade.

Lesões condrais leves

Lesões leves na cartilagem articular podem ser gerenciadas com fisioterapia e medidas para proteger a articulação, evitando atividades que causem estresse excessivo.

Osteoartrite inicial

Em casos iniciais de osteoartrite, tratamentos conservadores, como exercícios de fortalecimento muscular, controle de peso e medicações, podem ajudar a aliviar os sintomas e retardar a progressão da doença.

Gestão da dor crônica

Em alguns casos, quando a cirurgia não é viável, a gestão da dor crônica por meio de tratamentos não cirúrgicos pode ser uma opção, incluindo medicamentos, terapias físicas e outras modalidades de controle da dor.

Em que casos é aconselhável fazer uma cirurgia no joelho?

foto de cirurgia no joelho é perigoso

A decisão de realizar uma cirurgia no joelho deve ser tomada pelo paciente juntamente com um especialista em joelho.

Como foi dito anteriormente essa decisão é baseada em vários fatores e depende da natureza específica da lesão ou condição do joelho.

Alguns casos em que a cirurgia no joelho pode ser aconselhável incluem:

Lesões de menisco

Lesões graves no menisco, como rasgos extensos ou bloqueios articulares, podem exigir cirurgia.

Em alguns casos, a reparação do menisco ou, quando necessário, a remoção parcial (meniscectomia) pode ser realizada.

Lesão no ligamento cruzado anterior (LCA) ou ligamento colateral

Lesões nos ligamentos, como o ligamento cruzado anterior (LCA) ou ligamento colateral, podem necessitar de cirurgia, especialmente se a lesão for significativa e afetar a estabilidade do joelho.

Instabilidade articular crônica

Se o joelho é cronicamente instável devido a lesões recorrentes nos ligamentos, pode ser considerada uma intervenção cirúrgica para restaurar a estabilidade.

Artroscopia para diagnóstico e tratamento

A artroscopia do joelho é um procedimento minimamente invasivo que permite tanto a visualização direta do interior do joelho quanto a realização de procedimentos reparadores, como remoção de fragmentos soltos, tratamento de lesões condrais e outras correções.

Artrose severa

Em estágios avançados de osteoartrite, quando há comprometimento significativo da função e qualidade de vida, a cirurgia de substituição do joelho (artroplastia total do joelho) pode ser considerada.

Fraturas no joelho

Fraturas na região do joelho podem exigir cirurgia para realinhar os ossos e promover a cicatrização adequada.

Cistos de baker (cistos poplíteos)

Em alguns casos, cistos poplíteos persistentes e sintomáticos podem necessitar de tratamento cirúrgico.

Lesões condrais extensas

Lesões extensas na cartilagem articular podem, em alguns casos, requerer técnicas cirúrgicas para reparo ou regeneração da cartilagem.

Cirurgia no joelho é perigoso?

Qualquer procedimento cirúrgico envolve riscos, e a cirurgia no joelho não é exceção.

No entanto, muitas cirurgias no joelho, especialmente aquelas realizadas por profissionais experientes em ambientes cirúrgicos adequados, são geralmente seguras e bem-sucedidas.

Os riscos específicos associados à cirurgia no joelho podem variar dependendo do tipo de procedimento realizado, da condição subjacente e das características individuais do paciente.

Alguns riscos potenciais incluem:

Infecção

Existe sempre o risco de infecção após qualquer procedimento cirúrgico.

Medidas estritas de controle de infecção são tomadas durante a cirurgia para minimizar esse risco.

Sangramento excessivo

A cirurgia no joelho pode envolver a manipulação de tecidos e vasos sanguíneos, aumentando o risco de sangramento excessivo.

A equipe cirúrgica toma medidas para controlar o sangramento durante o procedimento.

Trombose venosa profunda (TVP) e embolia pulmonar

A imobilidade após a cirurgia pode aumentar o risco de formação de coágulos sanguíneos nas pernas ou trombose venosa que podem se deslocar para os pulmões (embolia pulmonar).

Medidas preventivas são frequentemente adotadas, como o uso de meias de compressão e anticoagulantes.

Lesões nervosas ou vasculares

Em casos raros, pode ocorrer lesão nos nervos ou vasos sanguíneos ao redor do joelho durante a cirurgia.

Rigidez ou perda de movimento

Algumas pessoas podem experimentar rigidez ou perda de amplitude de movimento após a cirurgia, embora isso seja menos comum com técnicas cirúrgicas modernas.

Reação adversa à anestesia

Reações adversas à anestesia podem ocorrer, embora sejam raras. A equipe médica monitora de perto o paciente durante o procedimento para detectar e tratar qualquer problema relacionado à anestesia.

Falha da cirurgia ou necessidade de reoperação

Em alguns casos, a cirurgia pode não alcançar os resultados desejados, ou podem ocorrer complicações que exigem intervenção adicional.

foto de cirurgia no joelho é perigoso

É importante que os pacientes discutam exaustivamente os riscos e benefícios da cirurgia com seus médicos antes do procedimento. Em muitos casos, a cirurgia é considerada quando os benefícios potenciais superam os riscos associados.

O sucesso da cirurgia no joelho frequentemente depende da colaboração entre o paciente e a equipe médica, incluindo o cumprimento das instruções pré e pós-operatórias.

Dicas para o sucesso de um procedimento cirúrgico no joelho

O sucesso de uma cirurgia no joelho e do período pós cirúrgico depende de vários fatores, incluindo o tipo de procedimento, a natureza da condição tratada e a colaboração ativa do paciente.

É importante ressaltar que mesmo nos casos em que uma cirurgia de joelho se faz necessária é importante que o paciente siga um protocolo de atendimento elaborado e acompanhado por um fisioterapeuta especialista em membros inferiores.

Esse protocolo será importante tanto no pré-operatório, para fortalecer a articulação e prepará-la para o procedimento cirúrgico, como no pós-operatório. No pós-operatório, o foco do protocolo será amenizar a dor do paciente, promover uma melhora da mobilidade e fortalecer a articulação, permitindo que o paciente retorne às atividades normais de maneira mais rápida e segura.

foto de pós-operatório de cirurgia no joelho

Descubra mais algumas dicas que podem ajudar a garantir um processo cirúrgico bem-sucedido e uma recuperação eficaz:

Antes da Cirurgia

Escolha um cirurgião especializado

Certifique-se de escolher um cirurgião ortopedista especializado em cirurgia do joelho e com experiência no procedimento específico que você irá realizar.

Entenda o procedimento

Converse com seu médico para entender completamente o procedimento, os objetivos e os riscos envolvidos. Conhecimento prévio ajudará a reduzir a ansiedade.

Prepare-se para a recuperação

Antes da cirurgia, prepare sua casa para um ambiente pós-operatório, considere adaptações para facilitar a locomoção e tenha apoio de familiares ou amigos.

Esteja em boas condições de saúde

Mantenha-se fisicamente ativo e em boa condição de saúde geral antes da cirurgia, seguindo as orientações do seu médico.

Siga as instruções pré-operatórias

Adira às instruções fornecidas pelo seu médico antes da cirurgia, incluindo restrições alimentares e medicamentos pré-operatórios.

foto de pós-operatório de cirurgia no joelho

Pós Cirúrgico

Fisioterapia regular

Inicie a fisioterapia tão logo seja recomendado pelo seu médico. Exercícios específicos ajudam na recuperação da amplitude de movimento e fortalecimento muscular.

Acompanhamento médico

Mantenha as consultas de acompanhamento com o seu cirurgião para avaliação regular do progresso e ajuste do plano de reabilitação.

Siga as orientações de medicamentos

Tome os medicamentos prescritos pelo seu médico na avaliação pré operatória conforme as instruções para gerenciar a dor e evitar complicações.

Gelo e elevação

Use compressas de gelo conforme orientação médica para reduzir o inchaço. Elevar a perna pode ajudar a controlar o edema.

Mantenha o peso no limite

Mantenha um peso saudável para reduzir a carga sobre o joelho e facilitar a recuperação.

Evite atividades de alto impacto

Evite atividades de alto impacto e movimentos bruscos que possam comprometer a recuperação.

Use dispositivos de auxílio

Se necessário, use muletas ou outros dispositivos de auxílio para a mobilidade, seguindo as instruções do seu médico.

Comunique-se com a equipe médica

Relate qualquer sintoma incomum ou preocupação à equipe médica imediatamente. A comunicação aberta é crucial.

Paciência e resiliência

Entenda que a recuperação pode levar tempo. Seja paciente, siga as instruções médicas e mantenha uma atitude positiva.

Os benefícios da fisioterapia conservadora

A fisioterapia conservadora, tanto antes quanto após a cirurgia no joelho, desempenha um papel crucial no processo de recuperação, ajudando a maximizar a função articular, fortalecer os músculos circundantes e facilitar o retorno às atividades normais.

foto de pós-operatório de cirurgia no joelho

Pré-Cirurgia

Preparação física

A fisioterapia pré-cirúrgica ajuda a preparar o paciente fisicamente para a intervenção, melhorando a força muscular, a amplitude de movimento e a resistência cardiovascular.

Redução do inchaço e dor pré-operatórios

Técnicas de fisioterapia, como massagem e exercícios específicos, podem ajudar a reduzir o inchaço e a dor antes da cirurgia, proporcionando um ambiente mais propício para a intervenção.

Melhoria na circulação sanguínea

A fisioterapia pode incluir exercícios que melhoram a circulação sanguínea na região do joelho, contribuindo para uma cicatrização mais eficiente.

Educação sobre o pós-operatório

Os fisioterapeutas podem fornecer informações detalhadas sobre os exercícios e cuidados necessários após a cirurgia, preparando o paciente para a fase pós-operatória.

foto de pós-operatório de cirurgia no joelho

Pós-Cirurgia

Controle da dor e inchaço

A fisioterapia ajuda a gerenciar a dor e o inchaço pós-cirúrgicos por meio de técnicas como terapia manual, compressas de gelo e modalidades físicas.

Restauração da amplitude de movimento

Exercícios específicos são projetados para restaurar gradualmente a amplitude de movimento no joelho, evitando rigidez e promovendo a flexibilidade.

Fortalecimento muscular gradual

A fisioterapia inclui programas de fortalecimento progressivo para os músculos ao redor do joelho, visando recuperar a força necessária para suportar o corpo.

Treinamento de equilíbrio e coordenação

Exercícios que visam melhorar o equilíbrio e a coordenação são incorporados para ajudar a prevenir quedas e melhorar a estabilidade do joelho.

Promoção da marcha normal

Os fisioterapeutas auxiliam na reeducação da marcha, garantindo que o paciente volte a andar de maneira segura e eficiente.

Acompanhamento personalizado

A fisioterapia pós-cirúrgica é personalizada de acordo com a progressão do paciente, ajustando os exercícios e as metas de reabilitação conforme necessário.

Melhoria da qualidade de vida

Ao restaurar a função normal do joelho, a fisioterapia contribui para a melhoria da qualidade de vida, permitindo ao paciente retomar suas atividades diárias e esportivas.

Prevenção de complicações

A fisioterapia ajuda a prevenir complicações pós-cirúrgicas, como aderências, contraturas e atrofia muscular, promovendo uma recuperação mais suave.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A base da proposta do Instituto TRATA está centrada na ideia de inovação no tratamento das extremidades inferiores, abrangendo quadril, joelho e pé. A asseguração de resultados eficazes espelha os métodos seguidos pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente passa por uma avaliação clínica detalhada realizada por um especialista da equipe. Esse inicial procedimento possibilita uma orientação direcionada ao tratamento, considerando o quadro individual de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

Posteriormente, o paciente passa por uma avaliação cinemática dos movimentos corporais. O objetivo é examinar a organização dos ossos e músculos em resposta à gravidade e às forças que atuam no corpo humano. Para essa finalidade, empregamos um software especializado de análise de movimento chamado TrataScan. Sua tecnologia avançada permite identificar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que podem resultar em quadros inflamatórios ou dolorosos, por exemplo.

Durante essa fase, é possível avaliar assimetrias, padrões motores, lesões associadas, presença de compensações e determinar quais estruturas necessitam de intervenção.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

A etapa final envolve a implementação do protocolo de tratamento para lesões nas extremidades inferiores, desenvolvido pela rede e embasado em evidências científicas.

A atenção é direcionada para o alinhamento biomecânico das extremidades inferiores, visando aprimorar a condição do paciente (evitando recidivas) e, consequentemente, proporcionar uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Não há um atendimento padronizado. Analisamos as necessidades individuais de cada paciente e desenvolvemos a abordagem de tratamento mais adequada para cada caso.

A incorporação da tecnologia é uma parte integral do nosso programa de tratamento, com o propósito de proporcionar aos pacientes as mais avançadas técnicas no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: