Cisto de Baker pode fazer caminhada? 

O cisto de Baker é um caroço que aparece na região atrás do joelho, devido ao acúmulo de líquido e outras causas e pode trazer muita dor. Embora seja uma lesão benigna, muitas pessoas podem ficar assustadas com o surgimento da lesão. 

Mas, será que é possível fazer caminhada com cisto de Baker? É indicado? Pode levar a futuros problemas? É sobre isso que falaremos, confira! 

Agendar sua Avaliação

Sintomas 

O principal sintoma do cisto de Baker é a dor na região atrás do joelho, com a presença de um caroço localizado nesta região. 

Além disso, também podem estar presentes inchaço e vermelhidão na região. 

De fato, a dificuldade na movimentação e rigidez no joelho também podem estar presentes, dependendo do caso. 

Agendar sua Avaliação

Causas de cisto de Baker 

homem sentato na cadeira com as mãos sobre um dos joelhos com dor
Há váriso fatores que podem causar o cisto de Baker.

Como causas do cisto de Baker estão doenças, como osteoartrite, por exemplo, e outras condições, como lesões no menisco ou desgaste na cartilagem, podem contribuir para o aparecimento do cisto de Baker. 

A causa, de fato, é o acúmulo de líquido sinovial em uma região denominada fossa poplítea. 

Mas, o que leva a esse acúmulo de líquido sinovial nessa região? 

Conforme já dito, algumas condições tais como osteoartrite ou lesões degenerativas nos meniscos, por exemplo, induzem a uma inflamação local. O organismo, em uma tentativa de “melhorar”, produz mais líquido sinovial. 

O líquido sinovial é um líquido produzido regularmente pelo organismo e é o que resulta na lubrificação das articulações. No caso desses processos inflamatórios e degenerativos, o excesso de líquido sinovial produzido leva ao cisto de Baker. 

Como isso acontece? Da seguinte forma: o líquido em excesso se acumula em uma região denominada bursa poplítea. À medida que mais líquido vai se acumulando ali, a bursa acaba se fechando, dando origem à estrutura do cisto.  

Todo cisto é caracterizado por ser uma lesão sempre benigna, que possui líquido em seu interior, a qual não vira maligna. Ou seja, não é câncer. 

Existem diversos locais em que um cisto pode aparecer, nem sempre ele causa dor. 

No caso específico do cisto de Baker, por ser uma área de grande movimentação, o cisto pressiona as outras estruturas e acaba gerando dor e dificultando a movimentação. 

Fatores de risco 

Como o cisto de Baker é uma lesão que pode ser consequência de processos inflamatórios e degenerativos, como a osteoartrite, indivíduos com mais idade, acima de 60 anos, estão mais propensos a terem a lesão. 

Diagnóstico e Tratamento

mulher sentada na grama segurando uma das pernas dobrada
Um exame clínico pode diagnosticar o cisto de Baker.

Geralmente, o paciente pode até se assustar com o surgimento do caroço na região atrás do joelho. Mas, deve manter a calma! Afinal, trata-se de uma lesão benigna. 

Ao procurar um especialista, o exame clínico apurado já direciona para o diagnóstico. A lesão de cisto de Baker é um cisto, ou seja, tem as bordas bem definidas e se movimenta, quando a perna é movimentada. 

Alguns exames de imagem podem ajudar, mas não no diagnóstico em si do cisto de Baker, mas sim na indicação de suas causas. 

Portanto, exames radiográficos são importantes para verificar a presença de osteoartrite, por exemplo. Isso porque o cisto de Baker não vai aparecer na radiografia, visto que não é uma estrutura óssea, mas as estruturas ósseas e cartilaginosas ao seu redor poderão ser avaliadas. 

Dessa forma, o desgaste nas articulações também poderá ser verificado. 

Outros exames de imagem, como a ressonância magnética, podem ser solicitados para melhor visualização das estruturas do joelho. Também são importantes caso já haja um diagnóstico inicial e o quadro evolua de forma inesperada. 

Tratamento

pessoa andando na praia com sinal mostrando cisto de baker atrás do joelho
Quem tem cisto de Baker pode fazer caminhada e aliviar as dores com analgésicos.

Para o tratamento do cisto de Baker, caso o paciente apresente muita dor na região, algumas medicações analgésicas e anti-inflamatórias podem ser prescritas. 

Mas, lembre-se que qualquer medicação deve ser sempre prescrita pelo especialista e a automedicação nunca é recomendada, podendo até mesmo piorar os sintomas. 

Em alguns casos, o cisto de Baker desaparece espontaneamente, ou ao menos diminui, quando o próprio organismo consegue eliminar o excesso de líquido sinovial acumulado. Porém, é uma condição mais rara. 

Para aliviar as dores, compressas geladas na região ajudam a desinflamar e reduzir o inchaço, caso esteja presente. 

A aspiração do líquido sinovial, no interior do cisto de Baker, leva ao alívio dos sintomas, mas não elimina o cisto. Portanto, são grandes as chances do cisto reaparecer. 

Dessa forma, torna-se essencial descobrir porque o cisto de Baker apareceu e tratar essa doença. 

Por último, a cirurgia para remoção do cisto é recomendada quando os tratamentos anteriores não surtiram efeito e somente se o cisto é muito volumoso e está pressionando outras estruturas importantes. 

Porém, como toda cirurgia de remoção de cisto, o procedimento deve ser criterioso, não deixar vestígios da cápsula, para que o cisto não reapareça. E mais uma vez, é essencial descobrir as razões pelas quais o cisto surgiu e fazer o tratamento da doença de base. 

A importância da fisioterapia no tratamento do cisto de Baker 

Em muitos casos, a fisioterapia é forte aliada do tratamento do cisto de Baker. Isso porque a fisioterapia consegue avaliar e tratar o indivíduo como um todo, trazendo alívio à lesão. 

Além disso, com várias sessões de fisioterapia, a região torna-se menos inflamada, graças às medidas analgésicas dos fisioterapeutas. 

Assim, a mobilidade da região também vai evoluindo. . 

O objetivo é que o paciente melhore sua movimentação, ganhando força e restaurando o equilíbrio. Assim, o paciente também ganhará qualidade de vida. 

Quem tem cisto de Baker pode fazer caminhada?

Cisto de Baker pode fazer caminhada
Quem tem cisto de Baker pode fazer caminhada, apesar da dor.

A grande limitação causada pelo cisto de Baker é a dor local. Com isso, a movimentação pode estar prejudicada, tornando a caminhada ou a prática de exercícios difícil. 

Mas, não existe uma contraindicação absoluta para a movimentação. Infelizmente, quando o cisto surge e torna-se mais volumoso, acaba ficando difícil para o paciente conseguir caminhar. 

Com a melhora do quadro, após medicação e fisioterapia, o líquido sinovial tende a sair da região, ou porque foi aspirado ou o próprio organismo realizou sua drenagem. 

Dessa forma, o paciente poderá caminhar e fazer atividades físicas. Inclusive, a prática de atividade física é sempre recomendada para pacientes, mesmo os que já apresentaram lesões, contanto que tenha supervisão. 

A caminhada, por ser uma atividade de baixo impacto, pode ser feita sem problemas. Caso a dor retorne e o cisto reapareça, é importante retornar ao especialista para seguir com mais tratamento. 

Portanto, não há contraindicações para caminhada para quem tem cisto de Baker. 

Agendar sua Avaliação