Clinica de Fisioterapia Paraíso / SP

O bairro Paraíso surgiu em 1897. Localizado numa das regiões mais elevadas da cidade, conhecida como Espigão Paulista, a área era, no século XIX, completamente rural. O espaço que hoje compõe o bairro era a Chácara do Sertório, de propriedade de um senhor chamado João Sertório. Após um tempo, a localização foi vendida a um novo proprietário, Dona Alexandrina Maria de Moraes. Assim que essa faleceu, o local foi loteado, e com o passar dos anos, se tornou o local desenvolvido que hoje os paulistas conhecem.
O nome do bairro é derivado de “Largo do Paraíso”, nome dado à época à Praça Osvaldo Cruz. A Praça é uma das partes mais importantes da região, e abriga diversas atividades culturais, passeio de moradores e opções de lazer, com a realização de “feirinhas” frequentemente.
No Paraíso, os moradores encontram o trecho inicial da Avenida Paulista e a Avenida Brigadeiro Luís Antônio, também importante via de SP. A localidade pode ainda ser considerada um imponente centro cultural, pois abriga espaços como a Casa das Rosas, o Centro Cultural São Paulo e o Itaú Cultural.

Paisagem e mobilidade

A paisagem do Paraíso também agrada. Lá há, por exemplo, a Catedral Metropolitana Ortodoxa, uma construção imponente que chama muita a atenção. Inspirada num prédio de Istambul, na Turquia (a Basílica de Santa Sofia), a construção é um exemplo da arquitetura bizantina. Ela foi erguida na década de 1940, e tem em seu interior revestimento em mármore, bastante bonito.
Outra construção realmente atrativa e apreciada por quem passa pelo bairro fica localizada em uma das esquinas da Rua Apeninos. Muito semelhante a um castelo medieval, o prédio tem torres cobertas por 52 quilos de madeira e pedra! Por dentro, os salões ostentam armaduras e escudos, o que aumenta ainda mais a aura medieval do local. O melhor é que o espaço pode ser visitado a qualquer momento, pois abriga o Paradiso Bar e Cucina!
A mobilidade no bairro Paraíso é igualmente eficaz e interessante a seus moradores. Há ciclovias, táxis e linhas de ônibus diversas, com muitos pontos disponíveis pelo bairro.
O metrô é também uma ótima alternativa de transporte, e inclusive oferece uma estação com o nome Paraíso. Nesse caso, a estação atende as linhas 1-Azul e 2-Verde, e ainda oferece a possibilidade de lazer, pois tem pequenas lojas e frequentes apresentações artísticas na plataforma. Para facilitar a integração entre transportes, os usuários podem utilizar também o bicicletário disponível na estação.

Paraíso da qualidade de vida

A qualidade de vida do Paraíso justifica o nome do bairro. As ruas da região são bastante arborizadas, proporcionando assim uma atmosfera mais limpa. Além disso, o bairro fica a bem pouco quarteirões do Parque Ibirapuera, o pulmão de São Paulo! Além da natureza, o parque oferece a seus visitantes exposições, áreas de lazer, playgrounds e vários outros, tornando-o ideal para os públicos mais diversos. O Ginásio do Ibirapuera, que costuma receber eventos esportivos e culturais, tem acessibilidade igualmente facilitada saindo do Paraíso.
Porém, além de toda a tranquilidade e verde do bairro, há a possibilidade de agitação. Bares e restaurantes se encontram aos montes na região, inclusive na Avenida Paulista. Finalmente, para o bem-estar físico, a localidade abriga hospitais de ponta, como o Hospital Alemão Oswaldo Cruz e o Hospital do Coração.
Potencializando, então, todos esses benefícios e qualidade de vida que o bairro proporciona, é interessante dizer que os moradores de Paraíso têm como aliado também a fisioterapia!

Fisioterapia: para que serve?

A fisioterapia é uma especialidade médica responsável, na maior parte do tempo, pela recuperação motora de um paciente. Isso significa que, após uma doença que deixa sequelas como dificuldade em andar, a fisioterapia age. Assim como quando ocorrem acidentes, domésticos, de carro ou no trabalho, e o paciente adquire dificuldade em realizar movimentos antes costumeiros.
Para atingir esse objetivo, a fisioterapia se utiliza principalmente de uma série de exercícios físicos e treinos. As atividades costumam ser indicadas especificamente para cada paciente, dependendo de sua condição e motivo da lesão. Dessa forma, a fisioterapia cria atendimento exclusivo e bastante eficaz, e a recuperação motora do indivíduo ocorre com resultados mais satisfatórios.
Além dos exercícios físicos, essa terapia usa também de outras técnicas. Há, por exemplo, a massoterapia, realizada por meio do massageamento das áreas afetadas fisicamente. A aplicação de diferentes temperaturas, do frio ao calor, costuma ser igualmente eficaz, e potencializa a reabilitação do sujeito.

Prevenção = qualidade de vida

No entanto, a fisioterapia não age apenas no aspecto curativo, e por isso ela contribui tanto para a qualidade de vida de qualquer pessoa. Com suas técnicas, a especialidade pode ajudar inclusive no cuidado psicológico. Além disso, exercícios da terapia podem prevenir problemas cardíacos e respiratórios. Isso uma vez que a capacidade do coração e pulmões pode ser treinada, dando ao paciente melhor condicionamento e capacidade funcional destes órgãos.
Outra área do corpo que pode se beneficiar dessa especialidade médica são as costas. No dia a dia, não é incomum que mantenhamos uma má postura, principalmente se há no cotidiano muitas horas em frente a um computador. A má postura é da mesma forma comum no trabalho físico mais pesado, para aqueles que manuseiam grandes máquinas em sua profissão. Até mesmo crianças podem sofrer da situação, já que cada vez mais elas mantêm-se de cabeça baixa ou com as costas tortas utilizando algum aparelho eletrônico.
Todo o problema está nos reflexos que a má postura traz. O resultado mais brando deste mau hábito é a dor na lombar, a parte final das costas. O incômodo, por vezes, pode ser bastante forte e dificultar atividades e movimentos simples do corpo. Mas a má postura é também fator de risco ao desenvolvimento de doenças mais sérias, como a hérnia de disco ou a escoliose, que causa uma curvatura lateral da espinha.
Deste modo, nas sessões de fisioterapia, o terapeuta pode trabalhar com seu paciente a correção da postura. Com exercícios e recomendações, ele indica o modo correto de manutenção da espinha, e com o tempo mantê-la ereta torna-se um hábito. Logo, problemas como os já citados tornam-se muito mais difíceis de acontecer.