Condromalácia patelar tem cura?

Para evitar que os tecidos do compor se atritem diretamente, o corpo humano conta com uma série de estruturas específicas. Como as bolsas sinoviais e as cartilagens. Quando qualquer uma destas sofre lesão, são instaladas condições que podem comprometer a capacidade de movimento do indivíduo. É isso que a condromalácia patelar também faz.

Resultado de imagem para condromalácia patelarA condromalácia patelar ocorre quando a cartilagem da patela sofre um amolecimento anormal. A patela é o osso que está localizado na região frontal do joelho, também conhecido como rótula, e está frequentemente sujeito a grandes pressões. Esses impactos podem provocar inflamações e desgastes – o que, no caso da condromalácia, gera rachaduras e perda de substância da estrutura cartilaginosa. Sem o tratamento adequado, essa degeneração pode ocasionar a perda total da cartilagem e exposição do osso subcondral (osso que fica imediatamente atrás da cartilagem).

Alguns grupos de pessoas sofrem comumente com o problema. Primeiro, os adolescentes – cerca de 45% deles desenvolvem a condição. O segundo grupo de risco é o das mulheres, devido à configuração diferenciada de seu quadril.

O quadril feminino é mais largo, pois foi “preparado” para gerar filhos e dar à luz. Essa medida mais extensa acaba por provocar aumento das cargas que são distribuídas sobre o joelho. Mesmo que muitas vezes sejam leves,  provocam o aumento da pressão no centro da patela, o que, por sua vez, pode levar ao desgaste da cartilagem citada.

São quatro os graus da condromalácia. No primeiro, há um leve amolecimento da cartilagem, o que provoca o surgimento de fissuras na camada superficial do tecido. Já no grau 2, uma segunda camada de tecido é atingida. Enquanto isso, no grau 3, o paciente convive com o acometimento de mais ou menos 50% da estrutura da cartilagem, com rachaduras mais extensas em sua superfície. Por fim, o quarto grau da doença, mais grave, leva à exposição do osso subcondral, que fica localizado logo abaixo da cartilagem.

Condromalácia patelar tem cura?

Podemos dizer que não há cura para o problema, pois isso exigiria a recuperação total da cartilagem, o que não é possível. Isso porque, esse tecido possui potencial de cicatrização e renovação extremamente limitado, uma vez que conta com poucos vasos sanguíneos e células regenerativas.

Dessa forma, há apenas tratamentos paliativos disponíveis para essa condição. O tratamento consiste principalmente no desinflamar do joelho, fortalecimento dos músculos e reeducação dos movimentos, de modo que o problema não se agrave. Com os cuidados constantes e acompanhados pelo médico, o paciente pode manter sua qualidade de vida normal.

Causas da condromalácia patelar

Resultado de imagem para condromalácia patelar esporte

Segundo especialistas, uma das principais causas da condromalácia é a pressão exagerada sobre a região da patela. São várias as situações responsáveis por esse exagero, mas é comum, especialmente, que fraqueza dos músculos do joelho, a falta de controle do movimentos dos membros inferiores e a realização incorreta do gesto esportivo ou exagerada do volume de atividade sejam os fatores relacionados ao distúrbio.

Além destes, o excesso de peso corporal e a realização de movimentos intensos e repetitivos são frequentemente percebidos como originadores dessa síndrome da dor patelo femoral. Assim como uma pancada local e o uso constante de saltos. Há casos, contudo, em que o médico nem mesmo consegue determinar a causa da ocorrência.

Sintomas do problema

Muitos indivíduos podem passar a vida inteira sem desenvolver sintomas especificamente relacionados à condromalácia. E especialmente nos primeiros estágios do problema, o paciente que apresenta a lesão pode não percebe nenhum sintoma. Quando os sinais aparecem, porém, são caracterizados especialmente pela dor na parte da frente do joelho. Dor esta, aliás, que se torna mais intensa com a realização de movimentos simples e que envolvem descarga de peso, como saltar, subir escadas e ajoelhar. Também é comum que o indivíduo apresente dor ao passar longos períodos sentado, com o joelho dobrado.

Como a condição é diagnosticada?

A busca por um profissional da saúde deve ocorrer logo que a dor no joelho se tornar intensa e/ou recorrente. Imagine, por exemplo, que você realiza uma atividade física mais intensa, ou que sofra uma pancada no joelho. É comum que essas situações gerem dor, mas apenas por alguns dias. Se o incômodo não desaparece, porém, pode ser sinal de uma condição mais grave, como a alteração tratada neste texto ou várias outras a que o joelho está sujeito.

Resultado de imagem para condromalácia patelar raio xAssim, é importante buscar o auxílio de um fisioterapeuta especializado ou ortopedista. No consultório, o especialista vai procurar conhecer seus sintomas; qual a intensidade e o tipo de dor percebida; quando os sinais começaram; e se eles se agravam ou abrandam com alguma atividade. Também é comum que o especialista questione o paciente sobre a ocorrência de problemas semelhantes em sua família, uma vez que certas condições no joelho têm características hereditárias.

Na segunda parte do diagnóstico, é realizado um exame físico. Aqui, ele palpa e pressiona diferentes partes do joelho, de modo a perceber a localização da dor. alguns outros testes são feitos, ainda, para auxiliar na percepção da capacidade do movimento do paciente.

Para completar a definição do problema, são utilizados exames de imagem, como a tomografia computadorizada, raio X e ressonância magnética. Visualizando o interior do joelho, o especialista tem maior facilidade em determinar possíveis alterações relacionadas à dor e os seus reflexos para a perna.

Tratamento da condromalácia patelar

Assim que o diagnóstico da condromalácia patelar é realizado, o tratamento indicado pode focar na eliminação ou controle do agente causador, evitando a intensificação do problema. A abordagem conservadora tem grande espaço no tratamento da condromalácia, uma vez que a cirurgia, em grande parte dos casos, apresenta efeitos limitados. Neste contexto, a fisioterapia é um dos principais caminhos para o tratamento de pacientes com dor anterior no joelho.

Realização da fisioterapia

Sem dúvida, um dos métodos mais eficazes para o tratamento da condromalácia patelar é a fisioterapia. Por meio de uma série de exercícios, o paciente consegue fazer a reeducação dos seus movimentos, trabalhar técnicas articulares manuais e fortalecer o corpo. Como resultado, a pressão sobre o joelho diminui, assim como as consequências da síndrome.

Dentro de um protocolo de reabilitação, a fisioterapia dispõe de recursos de eletrotermofototerapia que são usados inicialmente com enfoque na redução da dor e controle dos processos inflamatórios das estruturas do joelho que também são afetadas pela sobrecarga. Com esse intuito, de forma simples e de baixo custo, a aplicação de pacotes de gelo sobre a região anterior do joelho apresenta ótimo efeito analgésico e pode ser feita em casa. O uso da joelheira (sem o furo na região anterior) também é um importante coadjuvante nessa fase do tratamento. Ela melhora o encaixe da patela sobre o fêmur, promovendo melhor distribuição das cargas e consequentemente redução da dor.  Nessa fase associa-se também o uso de medicamento anti-inflamatórios e eventualmente condroprotetores. Resultado de imagem para condromalácia patelar gelo

Após o controle da dor, na tentativa de melhorar a estabilidade e a absorção das cargas que passam pela articulação femoropatelar, é realizado um trabalho específico de fortalecimento dos músculos do quadril e joelho. O ganho de força muscular garante a atenuação das forças que agem sobre o joelho, poupando as demais estruturas dessa articulação. Isso funciona como um mecanismo ‘’protetor da cartilagem’’ e pode impedir ou retardar a progressão da doença condral.

Além do fortalecimento, o treino do controle dinâmico dos membros inferiores é parte fundamental do tratamento. É realizado um treino progressivo de reeducação, voltado para a correção de padrões anormais de movimento evidenciados nesses pacientes durante atividades com descarga de peso, na tentativa de melhorar a congruência (encaixe entre a patela e o fêmur) da articulação patelofemoral durante todo o arco de movimento do joelho. Isso garante uma melhor distribuição de cargas por toda a superfície da patela, reduzindo a sobrecarga na cartilagem e consequentemente no osso subcondral e demais estruturas do joelho.

Quando lesada, a cartilagem ainda faz a liberação de enzimas inflamatórias. Isso pode danificar por completo o tecido, gerando a artrose. As limitações provocadas pela artrose são muito mais intensas, assim como os sintomas relacionados a ela.

Uso de remédios

Contra a dor provocada pela condromalácia, o paciente pode utilizar analgésicos. É importante, contudo, que os medicamentos sejam prescritos pelo médico. Apenas o especialista poderá indicar a dosagem e a substância correta para o tratamento, evitando que os remédios causem problemas maiores.

Realização de cirurgias

Apesar da efetividade de uma cirurgia ainda não ser consenso entre os médicos, ela pode ser indicada para o tratamento da condição patelar. Neste caso, o cirurgião realiza uma artroscopia, uma operação na qual remove os fragmentos de cartilagem danificada do joelho e promove uma espécie de limpeza na articulação.

Também é possível que ele realize cirurgia para realinhamento do joelho. O método é indicado para casos mais graves, em que a condromalácia já está associada a um caso de deformidade estrutural e isso  prejudica de forma incisiva a capacidade de movimento do paciente.

Uso do Hialuronato de Sódio

O hialuronato de sódio é uma substância que, quando infiltrada no joelho, pode melhorar a lubrificação da área. Sua aplicação auxilia no “fortalecimento” da camada de ácido hialurônico natural que reveste a cartilagem da patela.

Pratica de exercícios

Muitos acreditam que, após o diagnóstico de problemas no joelho, a prática de esportes deverá ser eliminada do dia a dia. Isso, contudo, está incorreto. Em vez de se tornar sedentário, o paciente com condromalácia patelar precisa apenas adaptar os exercícios e a intensidade de prática à sua nova condição, além de tentar melhorar sua capacidade interna de suportar cargas, com exercícios localizados.

De qualquer modo, é comum que seja necessária uma pausa ou redução nas atividades físicas no início do tratamento. Com a recomendação de um especialista, porém, o esporte adequado poderá ser realizado aos poucos.

Ficou com alguma dúvida sobre a condromalácia patelar? Entre em contato com o Instituto Trata e descubra qual o melhor método de tratamento para o seu diagnóstico!