Pisada supinada

Você sabe qual é o seu tipo de pisada? O modo como você caminha pode ser determinante para a saúde dos seus pés e joelhos, e por isso merece atenção.

O tipo de pisada de um indivíduo é definido segundo o formato do pé e nesse caso existem três: o normal, o plano e o cavo. O indivíduo que possui pé normal é aquele que, ao caminhar, tem o peso de corpo distribuído de forma equilibrada.

Já quem possui pé plano toca a sola quase que completamente no chão. Seu formato é reto, e por isso o pé plano também é conhecido como pé chato. No caso do pé cavo, a parte medial (região de dentro) do pé quase não toca no chão, uma vez que a curvatura da sola é bastante acentuada.

Resultado de imagem para joelho varoO joelho também tem relação com o tipo de pisada. Nessa articulação existem alguns tipos de alterações anatômicas que influenciam direta ou indiretamente a forma que o pé toca o solo. São dois tipos de deformidade que influenciam a pisada: o valgismo e o varismo.

Ao ser diagnosticado com joelhos valgos, o indivíduo tem uma deformidade que resulta na aproximação de seus joelhos. Com isso, seus pés se afastam. Toda a configuração visual lembra um “X”. Já quando o problema é o joelho varo, os mesmos se afastam, “jogando” as pernas “para fora”.

Tipos de pisada

Nem sempre quem possui uma pisada diferente da normal percebe esse problema sozinho. Em vez disso, é comum que alguém diga a este indivíduo que ele está “andando torto”. Outra situação comum é perceber o desgaste irregular da sola dos sapatos, mais de um lado do que de outro.

O tipo de pisada comum é chamado de neutro. Cerca de 45% da população mundial tem essa caraterística ao andar. Nessa pisada, o peso do corpo do indivíduo é distribuído de forma uniforme na sola do pé. Para isso, o andar é impulsionado com toda a parte frontal do pé. O passo, contudo, começa com a parte externa do calcanhar, e posteriormente o pé rotaciona de forma ligeira para dentro.

Se o paciente possui uma pisada supinada, significa que ele descarrega o peso principalmente da região lateral do pé, mais especificamente no dedo mínimo.  Ao andar, o indivíduo faz grande esforço, mantendo o lado externo do pé sempre em contato com o chão. Esse tipo de caminhar normalmente tem relação direta com a característica cava do pé.

Por fim, há a pisada pronada. Quando caminha deste modo, o indivíduo descarrega boa parte do peso nas estruturas mediais (do lado de dentro) do pé durante todo o período em que está com o pé no chão. Nestas situações, o pé realiza uma rotação excessiva para dentro, desbalanceando o caminhar, uma vez que essa rotação também acontece nas estruturas acima do pé como a tíbia (osso da canela) e o fêmur (osso da coxa). Cerca de 50% da população mundial possui essa pisada.

Tenho pisada supinada?

Como já citado, um modo de perceber a existência de alguma desordem no caminhar é verificar o tipo de desgaste sofrido pelos sapatos, especialmente pelos tênis. Se o calçado apresentar desgaste em suas laterais externas, pode ser sinal de que a pisada apresentada pelo indivíduo é supinada.

No entanto, a melhor maneira de ter certeza sobre esse aspecto é buscar um profissional da saúde, que pode ser o fisioterapeuta ou o médico ortopedista. O profissional é especializado na parte locomotora do corpo, e pode facilmente verificar problemas, logo depois sugerindo tratamentos.

Resultado de imagem para baropodometria

Para realizar o diagnóstico mais preciso da sua pisada, o profissional realiza, especialmente, a chamada baropodometria. Ou seja, uma análise precisa dos pontos de pressão do seu pé, no momento em que é descarregado peso sobre ele, durante o caminhar.

Riscos da pisada supinada

Sabe-se que não é algo grave, mas quem possui uma pisada supinada pode estar sujeito a uma série de incômodos para saúde. Tanto incômodos simples, como calos, quanto problemas mais sérios nas articulações. Por isso, é fundamental ter atenção à sua marcha e buscar um médico sempre que notar alterações.

De início, quem tem seu caminhar alterado pode sentir dores na lateral externa do pé, incluindo no dedo mínimo. Os atletas, profissionais ou não, são ainda mais sujeitos a este sintoma, e acabam por percebê-lo com maior intensidade e frequência.

Resultado de imagem para bunionette.Outro risco comum aos pacientes supinados é a bunionette. A bunionette é um joanete que ocorre no quinto metatarso. Logo, é uma saliência óssea que se forma na articulação responsável pela estabilização e suporte do pé.

Simultaneamente, também é possível desenvolver calos. Os calos são espessamentos da pele, que se formam com o objetivo de proteger camadas internas do organismo. Ou seja, a pele se torna mais espessa para evitar que o impacto da pisada afete a saúde completa dos pés.

Além destes, não é incomum que os indivíduos com pé suciando apresentem dor no meio da planta do pé, logo a frente do calcanhar. Essa dor é compatível com a chamada fasceíte plantar.

Por que obter auxílio médico?

Ao menor sinal de qualquer um destes problemas, é fundamental que o indivíduo busque auxílio médico. Os sintomas dessas condições costumam incluir principalmente dor, cansaço extremo dos pés ao fim do dia, e até inchaço da área.

Nessas situações, o especialista poderá sugerir, por exemplo, o uso de remédios anti-inflamatórios e analgésicos, para diminuição dos sintomas. Sincronicamente, poderá indicar exercícios rotineiros feitos na fisioterapia, para que os sintomas sejam aliviados.  Vale lembrar que o tipo de pisada não é possível de ser corrigido uma vez que isso envolve a conformação anatômica do pé, porém as dores e demais sinais e sintomas podem ser aliviados uma vez que outras estruturas do pé, como músculos, por exemplo, passam a ser melhor ativadas.

Com um especialista, também é possível fazer exercícios de fortalecimento e relaxamento das pernas e pés. Isso diminui muito o risco de problemas nas articulações essenciais para a marcha. Entre em contato com o Instituto Trata e marque sua avaliação com um de nossos especialistas!

Resultado de imagem para fisioterapia pisada supinadaTodo esse cuidado é ainda mais importante para quem pratica esportes. Isso uma vez que durante a corrida é aplicado sobre os pés e articulações cerca de oito vezes mais força que durante atividades menos vigorosas. Ou seja, o impacto é intenso, e se realizado de forma incorreta poderá ter efeitos desastrosos. Nesses casos, aliás, é fundamental adquirir tênis específico para o esporte. O indivíduo de pisada supinada deve investir em um calçado com ótimo amortecimento, e que ofereça também certo controle de estabilidade e suporte para o arco plantar.