Qual médico trata joelho?

Em caso de lesões, doenças ou síndromes: quando o joelho é afetado, um dos especialistas responsáveis por tratá-lo é o fisioterapeuta. De fora geral, este profissional indica e ajuda na realização de uma série de exercícios, que visam melhorar a capacidade física do paciente e garantir sua mobilidade. Mas antes da indicação de qualquer tratamento, é necessário realizar o diagnóstico da doença/lesão da forma mais precisa possível.

O processo de diagnóstico

 

Se você teve ou tem algum problema no joelho, provavelmente já se perguntou: a qual profissional ou especialista devo ir? A decisão parece difícil, uma vez que as causas dos sintomas podem ser muitas, com diferentes abordagens.

Para não perder tempo – e dinheiro – você pode procurar, primeiro, um Clínico Geral. O médico possui uma visão global do corpo humano e, assim, pode esclarecer a condição na qual o paciente se encontra. Caso a situação seja “simples”, ele mesmo poderá indicar tratamento.

Na maior parte das vezes o joelho requer atenção especial. Então, o Clínico poderá indicar o especialista adequado: o ortopedista ou o reumatologista.artroplastia-de-quadril

O ortopedista é o profissional que cuida dos ossos, juntas e ligamentos. Ele será o responsável por avaliar o paciente no caso de torções, fraturas, luxações ou inflamações. Tumores no ossos, casos de artrose e deformidades em seguimentos como a coluna, por exemplo, também são diagnosticadas por este profissional.

Já o reumatologista é o responsável por avaliar, dentre outras coisas, as articulações e tecidos do sistema musculoesquelético acometidos por doenças que, em geral, são sistêmicas e de origem indeterminada, como por exemplo o Lupus, a gota, a artrite reumatóide e as artrites em geral.

Com o médico especialista correto, o paciente deverá realizar uma série de exames para diagnóstico do seu problema. Costumam ser realizados testes e exames clínicos, bem como os de imagem, como o raio-X, ressonância e tomografia computadorizada. Determinada a condição, o médico poderá determinar o tratamento mais adequado e sempre que necessário, indicar para o fisioterapeuta.

Sua primeira consulta também pode ser realizada com um fisioterapeuta, que também será responsável pelo tratamento conservador (sem cirurgia) de muitos dos problemas musculoesqueléticos.

Qual médico trata o joelho?

 

Geralmente, o tratamento de um problema no joelho consiste em duas medidas básicas. Há a utilização de remédios, anti-inflamatórios e/ou analgésicos, indicados por médicos, e a fisioterapia. Em alguns casos mais graves, a cirurgia também é indicada.

A fisioterapia para lesões do joelho lança mão de técnicas indicadas e administradas pelo fisioterapeuta. Por meio dela, o paciente com lesão ou dor adquire força, reequilíbrio muscular e aprende, quando necessário, a realizar seus movimentos de forma mais otimizada. Na maior parte das vezes, o movimento incorreto do corpo está associado ao desgaste do joelho e de muitas das doenças que o acometem.

Outra função da fisioterapia é preservar os movimentos. Há situações em que o distúrbio causador causa limitações. Com a prática das atividades propostas pelo fisioterapeuta, o indivíduo consegue manter suas funções físicas.

Principais problemas no joelho

 

O principal sintoma de problemas no joelho é a dor. Dores em áreas diferentes da perna podem indicar distúrbios diferentes. A dor na lateral da perna, por exemplo, costuma ser sinal da síndrome da banda iliotibial.

Já a dor na parte interna do joelho geralmente indica uma tendinite da pata de ganso ou, se relacionada a um entorse pode ter relação com lesão de ligamentos ou no menisco. A dor na parte de trás da perna, por outro lado, pode ser sinal de cisto de Baker. Enquanto isso, a dor na parte da frente costuma ser sinal de distúrbios patelares ou tendinites. Quando a dor é percebida ao acordar, principalmente após os 40 anos, pode ser sinal de alterações degenerativas como a artrose.

Quando procurar um médico?

 

De qualquer forma, a dor pode ser sintoma apenas de uma pancada no joelho. Situações desse tipo acontecem principalmente durante a prática de esportes de contato, como o futebol. Esse tipo de sintoma, no entanto, costuma desaparecer em poucos dias.

O problema existe quando a dor dura mais do que três dias e está associada a outros sintomas como o inchaço, vermelhidão ou formigamento. Se a dor se torna mais intensa durante o movimento ou se associada a ela, o joelho faz barulhos recorrentes, também é um sinal de distúrbio. Assim, é importante procurar um especialista para a correta avaliação.

Atualmente é diretor-clínico do Instituto TRATA – Joelho e Quadril.

Graduado em Fisioterapia no ano de 2001 e Especialista (pós-graduação) em Fisioterapia neuro-musculo-esquelética pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo – ISCMSP (2003)

Mestre em Engenharia Biomédica pela Universidade de Mogi das Cruzes – UMC (2006)

Doutor em Ciências pelo programa de Cirurgia e Experimentação da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP (2011)

Pós-doutorado (post doc) em Biomecânica pela University of Southern California – USC (2013)

Docente da graduação do Centro Universitário São Camilo – CUSC e Fisioterapeuta da Seleção Brasileira de Futebol Feminino

Foi Professor Adjunto da pós-graduação em Fisioterapia musculo-esquelética – ISCMSP e Supervisor do Grupo de Joelho, Quadril, Traumatologia Esportiva e Ortopedia Pediátrica – ISCMSP

Vencedor dos prêmios EXCELLENCE IN RESEARCH AWARD pelo melhor artigo publicado no ano de 2010 e EXCELLENCE IN CLINICAL INQUIRY no ano de 2011 no Journal of Orthopaedic and Sports Physical Therapy (JOSPT).

Membro da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva (SONAFE). Tem mais de 60 publicações nacionais e internacionais com ênfase em Reabilitação em Ortopedia e Traumatologia, Joelho e Quadril, Traumatologia esportiva e Eletrotermofototerapia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *