Síndrome do Trato Iliotibial

O que é?

A síndrome do trato iliotibial (TIT) consiste em uma lesão inflamatória aguda que acomete, principalmente, atletas que praticam esportes envolvendo flexões repetidas dos joelhos. O trato iliotibial é uma banda de tecido fibroso encontrada na parte lateral da coxa se estendendo até a tíbia. É o ponto de inserção de importantes músculos do quadril. Essa síndrome pode ocorrer em virtude da sobrecarga no TIT durante atividades como corrida, caminhadas, etc. A síndrome do trato iliotibial é uma das lesões mais comuns em joelhos de esportistas.

 

Causas

A síndrome do trato iliotibial é considerada uma das lesões mais comuns em atletas como corredores e ciclistas. Geralmente, durante atividades esportivas pode ocorrer uma fricção excessiva da banda de tecido fibroso sobre o epicôndilo lateral do fêmur, principalmente quando há desarranjos biomecânicos e encurtamento muscular, causando dor e inflamação na região lateral do joelho. Umas das maiores características dessa síndrome é sua causa por “excesso de atividades” e o problema surge mais quando os joelhos são arqueados para fora, quando os tênis do atleta estão mais gastos do lado externo ou quando a atividade física é praticada em terreno angulado. A má postura durante a prática de alguma atividade física também favorece a STIT, é o caso do mau posicionamento na bicicleta enquanto pedala, por exemplo.

 

Sintomas

O início da síndrome do trato iliotibial é manifestado com dor na face lateral do joelho. Quando a pessoa realiza algum esforço físico repetitivo, a dor tende a aumentar. Outros sintomas incluem hipersensibilidade na região lateral do fêmur, próximo ao joelho e dor em queimação quando a região é palpada associando flexão e extensão do joelho. Essa dor pode ter início após o atleta percorrer longas distâncias e se intensificar, até que seja impedido de correr. Em estado mais avançado, a dor também pode irradiar para a face lateral da coxa e para a face lateral da perna.

 

índrome-do-Trato-IliotibialDiagnóstico e exames

Testes irritativos e de flexibilidades muscular para identificar o foco da dor devem ser realizados. O diagnóstico pode ser comprovado com dor ao movimentar o joelho em flexo-extensão sem ou com apoio de um dos membros no chão (unipodal). Muitas vezes, os atletas vão apresentar dificuldade ou incapacidade de realização de saltos.

 


Tratamento

O tratamento é baseado no controle da dor e melhora da sobrecarga, abordando condutas fisioterapêuticas analgésicas como gelo (crioterapia), técnicas de alongamento e liberação miofascial. Além disto, após alívio parcial ou total dos sintomas, uma avaliação biomecânica deve ser feita, objetivando um melhor alinhamento de todo o membro inferior durante a prática da atividade física. Na maioria dos casos, um protocolo de fortalecimento muscular seguido de técnicas analgésicas e de liberação miofascial podem resultar em resolução completa do quadro em algumas semanas.

 

Assista ao vídeo:

8 comentários em “Síndrome do Trato Iliotibial

  1. Sou uma pessoa sedentária, nunca pratiquei exercícios nem esportes e tenho entesipatia do quadriceps e patelar, edema da gordura hoffa, espessamento do trato ílio-tibial e erosões con drais que atingem as camadas profundas da cartilagem de revestimento da patela expondo parte do osso subcondral e com edema do trabelulado ósseo. Qual seria o motivo destes problemas se sou sedentária?

    1. Cristina, isto acontece mesmo. As duas maiores causas de sobrecarga nas articulações são: sedentarismo e esporte de alto volume. Sendo assim, a falta de exercícios físicos pode gerar inibição muscular em membros inferiores e consequentemente maior sobrecarga em joelho. O ideal seria procurar um especialista e buscar um programa de reabilitação ou prevenção. Siga nossas páginas no face e instagram, bem como nosso website: http://www.institutotrata.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *