Dor atrás do joelho: o que é, como tratar 

A dor atrás do joelho pode se manifestar tanto em homens quanto em mulheres, bem como em pessoas mais sedentárias ou ativas. 

Portanto, é importante prestar atenção nos sinais e sintomas, para então saber quais são as possíveis causas e diagnóstico da dor atrás do joelho. 

Agendar sua Avaliação

Vamos falar sobre as diferentes hipóteses de diagnóstico, além de apresentar as formas de tratamento para cada uma das situações. Confira! 

Dor atrás do joelho: o que pode ser?

pessoas segurando uma das pernas com dor atrás do joelho
A dor atrás do joelho pode ser causada por várias condições diferentes.

Existem diferentes situações clínicas resultando em dor atrás do joelho. De qualquer forma, sentir dor na região posterior do joelho é um indicativo que algo não está bem no organismo. 

De fato, uma dor que permanece por dias ou vem acompanhada de outros sintomas, tais como, edema, vermelhidão no local, por exemplo, deve sempre ser investigada. 

Agendar sua Avaliação

Assim, é essencial que o paciente perceba quando iniciou a dor, se a pessoa tem dificuldades de andar, de subir escadas e se a região encontra-se inchada ou avermelhada. 

1 – Cisto de Baker 

O cisto de Baker é considerada uma lesão benigna, que leva a dor e inchaço na região posterior do joelho. 

Inclusive, quando presente, o cisto de Baker é facilmente palpável quando a perna é dobrada, sendo um nódulo bem definido e móvel. 

Esse cisto surge devido ao excesso de líquido sinovial produzido pela cápsula da articulação do joelho. 

O líquido sinovial é um lubrificante do joelho. Em algumas situações, a cápsula do joelho encontra-se inflamada e o próprio organismo, em uma tentativa de eliminar essa inflamação, aumenta a produção do líquido sinovial. 

Com isso, o líquido vai se acumulando em uma região atrás do joelho, em uma pequena bolsa, o que leva à formação do cisto de Baker. 

Sintomas, diagnóstico e tratamento do cisto de Baker  

Os sintomas mais comuns do cisto de Baker, além da dor na região atrás do joelho, é o inchaço característico, com a formação do nódulo. 

Muitas vezes, o paciente pode se assustar, até devido ao tamanho da lesão, mas vale ressaltar que o cisto de Baker é uma lesão benigna e costuma ter resolução espontânea. 

Ou seja, o cisto pode desaparecer sozinho. Isso acontece, pois o próprio organismo consegue reabsorver o líquido sinovial em excesso. Mas, quando isso ocorre, o cisto pode reaparecer novamente. 

Aliás, é bem comum que o cisto de Baker reapareça. Portanto, é essencial descobrir a causa do surgimento do cisto de Baker, para assim, tratar a doença de base que faz o cisto reaparecer. 

Em alguns casos, é necessária a drenagem do cisto de Baker, sobretudo quando ele se apresenta de maneira a incomodar bastante as demais estruturas. Mas esse é um procedimento simples, feito em âmbito ambulatorial, pelo médico ortopedista. 

Já a cirurgia para remoção do cisto de Baker é feita em âmbito hospitalar, tendo cuidado para remoção total do cisto, visto que resquícios do cisto fazem a lesão também reaparecer. 

2 – Tendinite 

A região da coxa é uma área do organismo em que grandes musculaturas estão inseridas. É o caso da musculatura isquiotibial, a musculatura posterior da coxa. Essa musculatura é formada pelos músculos semitendinoso, semimembranoso e bíceps femoral. 

Assim, essa musculatura é inserida na região atrás do joelho, bem como no quadril e tíbia. Como é uma musculatura forte, os tendões também são bastante exigidos. 

Em algumas situações, em que essa musculatura é exigida de maneira intensa e constante, a distribuição de forças pode não ser ideal. E com isso, surge a tendinite, sendo a inflamação no tendão. 

A tendinite isquiotibiais pode afetar tanto atletas profissionais quanto amadores. Além disso, pode também ser frequente em indivíduos que fazem muita força física, como em trabalhadores que atuam na construção civil, por exemplo. 

Uma característica importante desse tipo de lesão é que ela apresenta piora após longo período de inatividade.

Sintomas da tendinite isquiotibial 

Os principais sintomas da tendinite isquiotibial são: 

  • Dor aguda e latejante na região atrás do joelho; 
  • Rigidez muscular; 
  • Ardência; 
  • Inchaço na região atrás do joelho; 
  • Vermelhidão local.

Tratamento

A tendinite isquiotibial tem como tratamento, primeiramente, a melhora do quadro de dor e inflamação. Dessa forma, é recomendável a aplicação de compressas de gelo no local e a elevação das pernas. 

Caso a dor não melhore em alguns dias, é necessário buscar orientação médica. Nesse momento de quadro dor, o médico ortopedista prescreve medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. 

Em um segundo momento, quando o quadro de dor já se encontra com melhora, o tratamento envolve acompanhamento fisioterapêutico e também correção da biomecânica do movimento, para que a lesão não retorne. 

3 – Artrose 

A artrose é uma doença degenerativa a qual envolve as articulações. Geralmente, afeta pessoas mais velhas, sendo considerada uma doença autoimune. 

Isso porque o próprio organismo do paciente produz anticorpos contra as estruturas articulares, levando a dores. Assim, a artrose pode afetar os joelhos e com isso, a dor atrás do joelho pode aparecer como sintoma. 

No caso de artrose, é importante que a doença tenha acompanhamento médico constante, por um médico ortopedista. 

É importante lembrar que a artrose também é considerada doença de base para outros problemas, como para o surgimento do cisto de Baker, por exemplo. 

4 – Problemas no menisco 

O menisco é uma estrutura muito importante, presente no joelho e que serve de amortecimento para os diversos movimentos executados pela perna. 

Mas, os meniscos também podem sofrer desgaste, com o tempo ou devido ao uso constante do joelho em atividades como corrida ou futebol, por exemplo. 

Dessa forma, problemas no menisco podem resultar em dores no joelho, tanto na região anterior, quanto na região atrás do joelho. Portanto, a dor atrás do joelho pode ser indicativo de algum problema nos meniscos. 

Para o diagnóstico correto desse problema, é importante consultar um médico ortopedista e fazer alguns exames de imagem, tais como ressonância magnética, para verificar como está a condição dos meniscos. 

Atualmente, lesões nos meniscos têm tratamento conservador e cirúrgico bem estabelecido, conforme o caso. Em alguns casos, a cirurgia de remoção ou sutura dos meniscos pode ser indicada caso já tenha havido ruptura da estrutura. 

Porém, para o diagnóstico correto é essencial consultar um médico ortopedista. 

Como evitar dor atrás do joelho?

paciente consultório médico com dor atrás do joelho
Praticar exercícios físicos para fortalecer a musculatura é ótima prevenção para dor atrás do joelho.

A prática de atividade física é essencial para a boa saúde. No entanto, algumas atividades que resultam em impacto, tais como corrida, saltos ou tênis, podem levar à lesão nas articulações. 

Quando há presença de dor atrás do joelho, é importante verificar como a dor aparece e se a região está com algum inchaço ou vermelhidão. 

Além disso, o tipo de dor também é importante: se a dor é aguda, se ela diminui ou aumenta com o repouso. 

Primeiramente, a colocação de compressas de gelo no local pode melhorar, no caso de tendinites. A dor pode diminuir ou ser necessários medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. 

A Fisioterapia também é um forte aliado no tratamento das dores atrás do joelho. 

Um programa individualizado de fortalecimento muscular progressivo deve ser sempre considerado quando se faz atividade física. Assim, diminui-se o risco de novas lesões nas articulações. 

Agendar sua Avaliação