Dor no calcanhar: o que fazer e como tratar? 

A dor no calcanhar afeta um grande número de pessoas e pode ser sinal de problemas na articulação do pé. Porém, também pode ser sinal de outras doenças. Dessa forma, é fundamental buscar diagnóstico médico adequado e seguir com o tratamento proposto. 

Mas, afinal, por que a dor no calcanhar surge? Quais são as possíveis causas e será que existe prevenção sobre isso? Confira!

Agendar sua Avaliação

O que pode ser dor no calcanhar?

pessoa segurando os pés com dor no calcanhar
A dor no calcanhar pode ser causada por diversas coisas diferentes.

A dor no calcanhar pode ter várias causas. Desde fascite plantar, passando por esporão calcâneo, fratura por estresse do osso calcâneo, tendinite calcânea ou ainda consequência de entorse do tornozelo, doença de Sever, em crianças, além de outras razões. 

É importante, primeiramente, analisar como é essa dor no calcanhar: se ela começou após algum trauma na região como uma virada de pé, por exemplo. 

Ou se ela já é uma dor crônica, que aumenta ou diminui após determinadas atividades. 

Agendar sua Avaliação

De fato, essas informações são importantes para o diagnóstico, pois levam ao ortopedista suspeitar de uma ou outra patologia. 

Causas de dor no calcanhar

esquema mostrando pessoa de lado com estrutura óssea e dor no calcanhar
A dor no calcanhar pode ter várias causas diferentes.

 

Vamos falar sobre as principais causas de dor no calcanhar. 

1 – Fascite plantar 

A fascite plantar é uma inflamação da fáscia, um tecido fibroso que envolve os músculos e ossos dadoa planta do pé. No caso da fascite plantar, a dor no calcanhar surge após longos períodos de descanso, por exemplo. 

Assim, é bem comum a dor da fascite plantar surgir logo quando a pessoa acorda, o que dificulta, muitas vezes, a pessoa conseguir colocar o pé no chão, de tanta dor. 

Com o passar do dia, a dor vai diminuindo. Caminhadas ajudam a aliviar a dor, mas exercícios mais intensos, como a corrida, fazem com que a dor seja mais intensa. 

Para o diagnóstico de fascite plantar, o ortopedista analisa a mobilidade do pé e dos dedos do pé, verificando se há dor quando o paciente mexe os dedos. 

Além disso, outros exames de imagem podem ser utilizados para excluir outras patologias, quando há suspeita. 

Dentre as principais causas da fascite plantar, podemos citar, além de atividades físicas com maior impacto, como corrida e balé, por exemplo, o uso de calçados inapropriados. 

Calçados que não possuem um bom sistema de amortecimento, como é o caso de algumas sandálias e rasteirinhas, tendem a piorar a dor da fascite plantar. 

Outras causas comuns para fascite plantar envolvem obesidade e a própria anatomia dos pés (pés chatos têm maior tendência a apresentarem o problema). 

O tratamento envolve o uso de medicamentos, sobretudo analgésicos e anti-inflamatórios, além de exercícios de alongamento e de fortalecimento da musculatura dos pés. 

2 – Esporão calcâneo 

Outra causa bastante comum de dor no calcanhar é o esporão calcâneo, uma espícula óssea que surge no osso calcâneo, devido ao microtrauma frequente na região. 

Essa espícula é o resultado de depósito de cálcio frequente na região do calcâneo e geralmente surge abaixo do osso, o que leva à dor.leva dor. Mas, nem todas as pessoas com esporão calcâneo apresentam dor. 

De fato, há pessoas que acabam descobrindo que têm esporão calcâneo não por dor, mas por radiografias de rotina do tornozelo, por exemplo, após uma entorse.

O tratamento envolve o uso de medicação analgésica e anti-inflamatória. Geralmente, o esporão calcâneo está associado à fascite plantar, o que pode levar bastante dor ao paciente. 

Porém, em alguns casos, com o passar do tempo e diminuição do trauma local, o próprio organismo reabsorver o cálcio do esporão, cuja tendência, nesses casos, é desaparecer espontaneamente. 

3 – Fratura por estresse do osso calcâneo 

As fraturas por estresse podem ocorrer tanto nos ossos da perna (tíbia, por exemplo) e também no osso calcâneo. 

Esse tipo de lesão ocorre em praticantes de atividade esportiva de impacto (corrida ou salto), o que acaba gerando microtraumas na região e que evoluem para a fratura por estresse. 

É um tipo de lesão rara na população em geral, mas frequente em atletas, sobretudo os que têm maior peso ou não usam calçados apropriados, com amortecimento adequado. 

Para o diagnóstico, a radiografia é essencial, para visualização da linha de fratura. O tratamento pode ser cirúrgico, dependendo do grau de fratura, ou sintomático, diminuindo o trauma na região, apostando na fisioterapia e na reparação óssea do próprio organismo. 

4 – Tendinite calcânea 

O tendão de Aquiles é considerado o tendão mais resistente do organismo. Esse tendão liga o osso calcâneo à panturrilha. 

Em função do esforço do movimento constante, esse tendão pode ficar inflamado, trazendo bastante dor à região. Nesse caso, a dor é bastante característica, pois envolve até a parte posterior das pernas. 

Em caso de ruptura do tendão, consequência de uma tendinite calcânea prolongada e não tratada, o tratamento pode ser cirúrgico. 

Mas, em tendinites mais leves, o tratamento é sintomático, com bastante atenção ao programa de fortalecimento da musculatura da perna e panturrilha, para aliviar o peso sobre o tendão. 

5 – Entorse no tornozelo 

Virar o pé é algo que pode acontecer com qualquer pessoa. Mas, dependendo de como foi o trauma e se houve lesão nos ligamentos, a dor no calcanhar pode ser a consequência. 

Por isso, quando uma entorse de tornozelo ocorre, a primeira ação deve ser colocar gelo no local e repouso imediato. Além disso, é necessário observar bem a região. 

Caso a dor não desapareça com ações simples (repouso e gelo) e o tornozelo apresentar-se bem inchado, vermelho, deve-se buscar orientação médica o quantomédica quanto antes. 

A ruptura de ligamentos na região do tornozelo pode trazer dor para toda a região do pé, incluindo a região do calcanhar. Nesses casos, a mobilidade do pé fica comprometida gravemente, como se o pé ficasse “solto” da perna. 

É importante buscar diagnóstico médico adequado quando a dor na região do calcanhar surge após uma entorse de tornozelo e não desaparece em alguns dias, dificultando a movimentação natural da perna. 

Entorses são bastante comuns em pessoas mais idosas e também em obesos, além de pessoas que tendem a usar calçados sem amortecimento apropriado. 

6 – Doença de Sever 

Apofisite do calcâneo é a razão da osteocondrite de Sever ou doença de Sever, que afeta crianças e adolescentes, sendo a principal causa de dor no calcanhar desses grupos. 

Em crianças e adolescentes, ainda em crescimento e praticantes de atividade física regularmente, pode haver inflamação da ponta do osso calcâneo, estrutura denominada apófise. 

É importante o diagnóstico em tenra idade, para que a criança/adolescente não sofra com as complicações dessa patologia. 

Entre os principais fatores de risco em crianças e adolescentes para o desenvolvimento da doença de Sever estão o sobrepeso e o pé plano. 

7 – Outras causas 

Existem outras causas que podem levar à dor no calcanhar. Dentre elas, estão as doenças reumáticas,reumatoides, como artrite e artrose, por exemplo. 

Além delas, podemos citar doenças como a doençacomo doença de Paget e a osteomielite como causas da dor no calcanhar. 

É sempre importante verificar se a dor na região do calcanhar éseja uma dor de algum problema no tornozelo ou então devido a problemas ósseos na região do pé e do calcanhar. Dessa forma, o diagnóstico será preciso. 

Fatores de risco para dor no calcanhar

pessoa com dor no calcanhar
Há váriso fatores de risco que podem provocar a dor no calcanhar.

Dentre os principais fatores de risco para dor no calcanhar, podemos citar alguns: 

  • Obesidade; 
  • Falta de fortalecimento da musculatura de pernas e pés; 
  • Falta de alongamento do pé; 
  • Prática de atividade física de alto impacto de maneira frequente; 
  • Aumento da intensidade da atividade física; 
  • Presença de doenças preexistentes como artrite reumatoide, por exemplo; 
  • Uso frequente de calçados sem amortecimento; 
  • Falta de atividade física regular. 

Diagnóstico de dor no calcanhar

Para o diagnóstico da razão pela qual o calcanhar do paciente dói, é essencial avaliar a história da doença. Ou seja, quando a dor começou e quais são as características dessa dor: Ddói quando acorda? Melhora quando anda? Piora se vai caminhar? 

De fato, essas são questões essenciais que indicarão o caminho que o ortopedista poderá seguir rumo ao diagnóstico correto. 

Além disso, é importante também fazer um minucioso exame físico, avaliando o grau de comprometimento da mobilidade do tornozelo. E exames de imagens, como radiografias e ressonância magnética também podem ser solicitados, dependendo do caso. 

Dor no calcanhar – tratamento 

O tratamento da dor no calcanhar, a princípio, envolve retirar o paciente do quadro agudo de dor. Isso é feito com prescrição médica de analgésicos e anti-inflamatórios. 

A seguir, o paciente deve fazer sessões de fisioterapia, que não só melhoram a mobilidade da região, como também auxiliam na diminuição da dor local. 

Por último, a fisioterapia também auxilia noauxiliam o fortalecimento da musculatura, para que a causa da dor não retorne. 

Quando há necessidade cirúrgica, a fisioterapia também auxilia na reabilitação do paciente após a cirurgia. 

Como prevenir a dorprevenir dor no calcanhar? 

Prevenir um problema é sempre a melhor escolha quando se trata de saúde! Portanto, para prevenir a dor no calcanhar, algumas medidas são indicadas: 

  • Use calçados apropriados, com bom sistema de amortecimento; 
  • Ao surgir um incômodo no calcanhar, não ignore a dor e busque orientação médica adequada; 
  • Mantenha-se no peso ideal para sua idade e altura; 
  • Faça atividade física sempre orientada por um profissional; 
  • Diminua a intensidade da atividade física, se sentir incômodo; 
  • Faça fortalecimento muscular; 
  • Invista na fisioterapia para prevenção e tratamento de problemas articulares e musculares.
Agendar sua Avaliação