Dor no tornozelo ao correr: como tratar?

Quem pratica corrida de rua está sujeito a uma série de lesões. Dentre elas, a dor no tornozelo ao correr pode afetar tanto atletas amadores, quanto profissionais. 

Mas, o que pode ser essa dor no tornozelo ao correr? Quais são os possíveis diagnósticos? E existem maneiras através das quais podemos prevenir esse tipo de dor? Confira! 

Agendar sua Avaliação

Dor no tornozelo ao correr: possíveis causas

pessoa srntada noc hão com uma das pernas dobradas com dor no tornozelo ao correr
A dor no tornozelo ao correr pode ter inúmeras causas.

O tornozelo é uma articulação de extrema importância no organismo, visto que ela faz a ligação entre o pé e a perna. 

Assim, ela possui tendões e inserções musculares, que podem sofrer com o impacto constante dos treinos de corrida. 

Dessa forma, entre as possíveis causas de dor no tornozelo ao correr, pode-se citar o desequilíbrio na biomecânica da corrida

Agendar sua Avaliação

De fato, durante a corrida, a biomecânica do movimento, quando adequada, significa a distribuição correta das forças.

Por outro lado, o desalinhamento das estruturas contribui para o surgimento de lesões, visto que forças excessivas incidem em estruturas de maneira inadequada. 

Com isso, tendinopatias, lesões em tendões, são comuns e resultam nas dores nos tornozelos durante a prática da corrida. 

Outra causa de dores no tornozelo é a falta de fortalecimento adequado na musculatura das pernas, panturrilhas e quadril. Da mesma forma que o desalinhamento, a musculatura fraca resulta em pouca resistência ao impacto resultante da corrida. 

Sintomas 

A dor no tornozelo pode surgir durante a prática da corrida, sendo bastante aguda e causando interrupção do treino. 

Mas, ela também pode aparecer após o treino e não passa, mesmo após repouso e colocação de gelo no tornozelo. Nesses casos, em que a dor não passa, a mobilidade fica reduzida e o tornozelo pode apresentar-se inchado e bastante dolorido, é importante procurar diagnóstico adequado com um médico ortopedista. 

Diagnóstico

esquema mostrando esqueleto do tornozelo dentro do tênis de corrida
O ortopedista pode avaliar melhor a dor no tornozelo ao correr para um diagnóstico preciso.

O médico ortopedista avaliará o tornozelo, fazendo algumas movimentações, para ver a extensão da lesão. 

Além disso, alguns exames de imagem podem ser solicitados, tais como radiografias, para verificar a possibilidade de lesões ósseas como fraturas, por exemplo. 

Outro exame para diagnóstico é a ressonância magnética, a qual oferece uma imagem mais detalhada dos ligamentos e tendões. 

Tratamento 

O tratamento para dor no tornozelo depende muito do diagnóstico. Dessa forma, primeiramente, o médico ortopedista pode prescrever analgésicos e anti-inflamatórios, para retirar o paciente do quadro agudo de dor. 

Em alguns casos, o repouso é indicado, sobretudo quando se trata de casos em que há suspeita de fratura óssea, como em fraturas por estresse dos ossos da perna, por exemplo. 

Porém, em casos de lesões nos tendões, as tendinopatias, a fisioterapia é essencial para que o atleta possa retornar aos treinos. 

Na fisioterapia, o profissional fará um plano individualizado, focado em alongamentos e fortalecimento muscular, para que o tornozelo tenha alívio. 

Além disso, o fortalecimento envolve a musculatura da perna, quadril e glúteos. Outro fator que deve sofrer correção e análise é a biomecânica da corrida. 

De fato, a biomecânica da corrida é constantemente negligenciada por quem pratica corrida de forma amadora e pode sofrer lesões. 

Como evitar dor no tornozelo ao correr?

mulher sentada no chão segurando os pés com as pernas dobradas
É possível evitar a dor no tornozelo ao correr de várias formas.

Evitar que o tornozelo tenha lesões ou você sentir dores ao correr é a melhor forma de praticar a corrida de forma contínua. 

Portanto, algumas ações são importantes para evitar a dor no tornozelo ao correr. 

1 – Cuidado com a intensidade e frequência dos treinos 

Dores e lesões geralmente surgem em atletas amadores que aumentam subitamente  a intensidade e a frequência dos treinos de corrida. 

Ou seja, um atleta que treinava e corrida provas de 5 km ou 10 km, mas que deseja correr uma meia-maratona ou maratona em alguns meses. 

Dessa forma, a intensidade dos treinos deve subir devagar. Não é em poucos meses que você estará preparado para correr uma meia-maratona ou ainda uma maratona. 

Para correr uma prova com longas distâncias, são necessários anos de treinamento. Mas, infelizmente, muitos atletas amadores acreditam estarem “prontos” para percorrer tamanha distância. 

Assim, sobrecarregam as articulações com treinos de alto impacto e duração excessiva. 

Por isso, tenha calma! O ideal é que os treinos não subam mais do que 10% de uma semana para outra, em intensidade ou volume. 

Fazendo treinos moderados, seguindo uma planilha adequada, com orientação profissional, você minimiza as chances de ter lesões e dores no tornozelo, que te farão parar. 

2 – Invista no fortalecimento adequado 

Nem sempre o corredor dá o devido valor ao fortalecimento muscular. De fato, os corredores gostam dos treinos de corrida, mas nem tanto dos treinos que envolvem fortalecimento muscular. 

O problema é que a corrida sem o fortalecimento adequado aumenta muito o risco de lesões nas articulações. 

Portanto, todo corredor deve entender que o fortalecimento muscular apropriado deve fazer parte da sua semana de treinamento. 

3 – Use calçados apropriados 

Para a prática da corrida, é ideal usar calçados apropriados, com sistema de amortecimento adequado. Assim, não só o conforto é garantido, como também minimizam-se os riscos de desenvolvimento de lesões. 

Vale a pena lembrar que os calçados também têm validade, por tempo de uso, visto que com o tempo e uso constante, o sistema de amortecimento vai perdendo seu efeito. 

Você não precisa investir muito dinheiro ao comprar um tênis de corrida. Afinal, existem excelentes tênis para corrida, com bom amortecimento e que não custam caro. 

O importante é o calçado promover um bom amortecimento para seus treinos. 

4 – Interrompa treinos em caso de dor 

Quando surgir dor durante um treino, não continue. Embora exista o ditado “no pain, no gain”, ou seja, sem dor não há ganho, em caso de dor no tornozelo, continuar só vai piorar. 

Portanto, ao surgir a dor no tornozelo ao correr, pare o treino e coloque gelo, assim que possível no tornozelo. 

Caso a dor persista, procure um médico ortopedista. 

5 – Fisioterapia é forte aliada caso você já tenha dor 

E por último, caso você já tenha dor no tornozelo, invista em tratamento fisioterapêutico. Dessa forma, você garante que conseguirá treinar ainda por um longo tempo e sem dor. 

Agendar sua Avaliação