Edema No Joelho: Saiba como Lidar com a Condição

O joelho é uma das articulações mais complexas do organismo. Isso porque ele recebe o peso da parte superior do corpo, bem como permite que a perna faça determinados movimentos funcionais. Por isso, lesões como o edema no joelho são comuns de acontecer.

Essa articulação também é o ponto de encontro de diversas estruturas ósseas e ligamentares, assim pode sofrer com diversas lesões e patologias, podendo ter como consequência um edema na região.

Agendar sua Avaliação

Leia mais sobre isso!

Lesões, como o edema no joelho, são comuns de acontecer.
Lesões, como o edema no joelho, são comuns de acontecer.

Edema no Joelho: o que é?

Edema no joelho é um tipo de lesão nas articulações que causa inflamação e inchaço.

Existem diversas razões pelas quais o joelho pode ficar com edema. Dentre as mais comuns, estão: batidas, quedas, torções, acúmulo de líquido, lesões ligamentares, meniscais. Vamos ver juntos cada uma dessas situações possíveis.

Agendar sua Avaliação

Edema no Joelho após atividade física

O edema no joelho pode surgir após atividade física, resultado de quedas, pancadas ou uso excessivo da articulação.

Nesses casos, é importante primeiramente saber se há alguma causa aparente. Por exemplo, se houve alguma batida ou queda.

Caso não tenha ocorrido trauma, pode apenas significar que houve uso excessivo da articulação, mas é de extrema importância observar se há dor, aumento de temperatura ou vermelhidão associada ao local.

Edema no joelho causado por lesões em ligamentos

O joelho possui uma série de ligamentos, que permite que os movimentos sejam feitos com maior estabilidade. Ligamentos são estruturas fibrosas, portanto não se regeneram e em casos mais graves, podem necessitar de procedimentos invasivos. No passado, o rompimento de um ligamento no joelho significava o fim da carreira esportiva, hoje essa não é mais a realidade.

Dentre os ligamentos existentes no joelho, destacam-se o ligamento cruzado anterior (LCA), o ligamento mais propenso a sofrer lesões, sobretudo em esportes como futebol. Há também o ligamento cruzado posterior (LCP), com menores índices de lesões.

Há ainda o ligamento colateral lateral e o ligamento colateral medial. O ligamento colateral apresenta alto índice de lesões em esportes como o jiu-jítsu, devido ao impacto direto na região lateral do joelho.

Geralmente, uma lesão de ligamento vem associada ao edema no joelho e bastante dor.
Geralmente, uma lesão de ligamento vem associada ao edema no joelho e bastante dor.

Edema por acúmulo de líquido

Uma das causas comuns de edema no joelho é o chamado derrame articular, que é caracterizado pelo acúmulo de líquido sinovial na região da articulação.

Esse acúmulo se dá geralmente pela sinovite, que é a inflamação da membrana articular. Uma das funções da membrana é a fabricação do líquido sinovial, que é um elemento essencial para lubrificação das regiões internas do joelho.

Com a inflamação dessa membrana, o organismo tenta resolver o problema fabricando mais líquido, o que gera o acúmulo desse líquido na região.

A sinovite pode estar presente em associação a outras doenças, como a artrite reumatoide, lúpus ou gota, dentre outras causas.

Cisto de Baker

O cisto de Baker é uma condição que gera acúmulo de líquido na região posterior do joelho. Apresenta-se como um pequeno caroço na região de trás do joelho. É facilmente diagnosticável.

É possível viver bem com o Cisto de Baker por meio do tratamento, que inclui fisioterapia.

Luxação Patelar

A patela é o osso localizado na parte superior do joelho. Após alguma pancada ou entorse, pode haver o deslocamento da patela, gerando a condição chamada luxação patelar, que resulta em edema grande e imediato na região.

Edema no Joelho após Cirurgia

Quem se submeteu a algum processo cirúrgico no joelho pode esperar algum grau de edema, sobretudo nas primeiras 24 a 48 horas.

O especialista certamente prescreveu anti-inflamatórios e medidas para diminuir o inchaço pós cirúrgico, como a utilização de compressas de gelo.

A movimentação e fortalecimento do joelho com a fisioterapia deve ser retomada o quanto antes, justamente porque a imobilização por longo tempo dificulta a drenagem da área cirúrgica, levando ao edema no joelho.

Portanto, é importante que o paciente siga as orientações pós cirúrgicas de maneira adequada.

Edema no Joelho tem cura?

Para se pensar em cura é necessário antes pensar em um diagnóstico preciso. Afinal, para se propor um correto tratamento, é necessário que esteja claro. Portanto, ao perceber que o joelho está com edema, é importante observar se há outros sintomas associados.

A presença de vermelhidão, dor e aumento da temperatura no local é sinal de alerta para buscar um fisioterapeuta com urgência.

Como tratar Edema no joelho?

O edema no joelho apresenta diferentes tratamentos, conforme o diagnóstico.

Em casos de traumas diretos ou entorses, a primeira ação que ajuda no tratamento é a colocação de compressas frias ou gelo no local em até 48h. O gelo causa vasoconstrição, ou seja, diminui o fluxo sanguíneo para a região, melhorando o edema.

É importante manter a perna em uma região mais elevada, facilitando o retorno linfático e sanguíneo.

Não tome remédios por conta própria, pois nem todos os remédios são adequados para lesões no joelho e podem acabar mascarando sintomas, dificultando um diagnóstico correto.

Se em alguns dias o edema no joelho não melhorou ou se aparecer algum sintoma associado, é importante buscar um especialista para o diagnóstico correto.

A fisioterapia tem um papel fundamental em todas as lesões no joelho, justamente porque por meio dela ocorre ativação correta da musculatura, alívio de dores, funcionalidade e melhora na qualidade de vida.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé). A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

– O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe. É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

– A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo. Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

– O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas. O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro. A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: