Fascite Plantar: fisioterapia, exercícios e prevenção de dores

A fascite plantar é uma lesão comum que afeta o calcanhar.

O tratamento dessa condição envolve a fisioterapia, buscando proporcionar alívio ao paciente e prevenir a recorrência da dor, evitando que se torne crônica.

Agendar sua Avaliação

Um paciente que não realiza exercícios específicos para a fascite plantar pode experimentar episódios frequentes de dor intensa, comprometendo significativamente a qualidade de vida e, muitas vezes, levando à necessidade constante de utilizar medicamentos.

Mas afinal, o que é a fascite plantar e por que a fisioterapia desempenha um papel importante no seu tratamento?

Vamos explorar essas questões a seguir!

Agendar sua Avaliação

O que é fascite plantar?

foto de fascite plantar fisioterapia

A fascite plantar é a inflamação da fáscia, um tecido fibroso e pouco elástico que envolve os músculos e ossos da sola do pé.

Quando essa estrutura é excessivamente tensionada ou submetida a um estresse prolongado, a fáscia torna-se inflamada, resultando em dor na sola do pé e na região do calcanhar.

Essa condição é uma lesão bastante comum, afetando aproximadamente 10% da população.

Sintomas 

O principal sintoma da fascite plantar é a dor no calcanhar, sendo por vezes referida como síndrome da dor do calcanhar.

Essa dor frequentemente estende-se para a sola do pé.

A dor característica da fascite plantar é notavelmente intensa pela manhã, especialmente ao acordar.

Muitas vezes, o paciente pode encontrar dificuldades para colocar o pé no chão devido à intensidade da dor nesse momento.

Ao longo do dia, a dor tende a diminuir, pois a movimentação do pé contribui para uma menor contração da fáscia, resultando em alívio.

No entanto, ao final do dia, e especialmente durante o período matutino ao acordar, a dor pode retornar com intensidade.

Causas da fascite plantar

foto de fascite plantar fisioterapia

Existem diversas causas que podem levar à fascite plantar, incluindo a prática excessiva de atividade física e o sobrepeso.

Esses fatores podem resultar em microtraumas na estrutura da fáscia, pois, quando exigida de maneira excessiva, ela contrai-se demasiadamente, levando à inflamação local.

É importante observar que pacientes com excesso de peso frequentemente experimentam uma melhora nos sintomas da fascite plantar ao emagrecerem, uma vez que a redução da carga excessiva de peso sobre a fáscia plantar contribui para esse alívio.

Fatores de risco 

Os principais fatores de risco associados ao desenvolvimento da fascite plantar estão relacionados à prática excessiva de atividade física e ao sobrepeso.

Outros fatores, como pé chato ou o uso prolongado de salto alto, que impõe uma curvatura constante ao pé por períodos prolongados, também podem ser considerados elementos de risco para o desenvolvimento dessa condição.

Diagnóstico 

Para o diagnóstico da fascite plantar, é recomendado que o paciente consulte um especialista. Nesse processo, o profissional coletará informações detalhadas sobre a natureza da dor relatada pelo paciente e sua localização.

Além disso, o especialista realizará uma avaliação física do pé, com especial atenção para a mobilidade.

No caso da fascite plantar, o diagnóstico é facilitado pela dificuldade que o paciente enfrenta ao realizar o movimento de flexão do pé.

Embora não seja comum, exames de imagem podem ser solicitados, especialmente quando há incertezas quanto a outros possíveis diagnósticos, como fraturas ósseas, por exemplo.

No geral, o diagnóstico da fascite plantar frequentemente é baseado na história clínica e na avaliação física realizada pelo especialista.

Tratamento fascite plantar

foto de fascite plantar fisioterapia

A fisioterapia é recomendada para pacientes com fascite plantar, visando melhorar a inflamação local e promover a recuperação.

Para obter informações adicionais sobre o assunto, confira o vídeo do Dr. Thiago Fukuda, diretor-clínico do Instituto Trata.

Fisioterapia para fascite plantar 

A fisioterapia desempenha um papel significativo no tratamento de pacientes com fascite plantar.

Existem diversas técnicas terapêuticas que podem ser aplicadas no tratamento fisioterapêutico de pacientes com fascite plantar.

Vamos destacar as principais.

Deslizamento miofascial 

Técnica utilizada pelo profissional da fisioterapia para relaxar a fáscia dos músculos, o deslizamento miofascial é benéfico no caso da fascite plantar, contribuindo para a redução da dor ao minimizar a contração da fáscia.

Objetos como pequenas bolas ou rolos de madeira podem ser bastante úteis para o deslizamento miofascial.

Nesse sentido, o paciente deve posicionar a bola no chão e rolá-la sobre a superfície da sola do pé, realizando movimentos circulares de um lado para o outro.

Se o paciente não puder frequentar uma clínica de fisioterapia, ele também pode realizar esses deslizamentos em casa, utilizando bolas de tênis, por exemplo, ou uma garrafa pet de 500 mL com água congelada.

A garrafa pet de 500 mL com água congelada pode proporcionar o efeito da crioterapia, ou seja, a aplicação de gelo na região inflamada, auxiliando na diminuição da inflamação local.

Para isso, basta rolar a garrafa sobre a sola do pé diversas vezes.

foto de fascite plantar fisioterapia

Mobilidade

A mobilidade é fundamental para aliviar a contração excessiva da fáscia plantar.

Esse tipo de exercício é altamente eficaz na redução da dor do paciente e pode ser realizado com faixas ou toalhas.

Para isso, posicionam-se as faixas ou toalhas na sola do pé e, em seguida, puxa-se o pé, elevando-o em direção ao peito.

É sempre importante realizar a mobilidade em ambos os pés, mesmo que a fascite plantar afete apenas um deles.

Dessa forma, o paciente consegue perceber a intensidade da dor e identificar áreas que precisam ser focadas no tratamento do pé afetado.

Terapia manual

A terapia manual é uma excelente forma de relaxar a fáscia plantar.

Ela pode ser realizada de diversas maneiras e técnicas por um profissional habilitado.

Aplicação de Laser

O laser de baixa potência, quando aplicado em tecido inflamado, auxilia na reparação local, reduzindo a inflamação da região.

Por isso, é uma técnica amplamente utilizada na fisioterapia para o tratamento da fascite plantar.

foto de fascite plantar fisioterapia

Ultrassom

Outra técnica comum na fisioterapia para fascite plantar é o uso de ultrassom.

Essa abordagem permite que uma onda mecânica de alta frequência gere energia e calor na região. Isso aumenta o fluxo sanguíneo e previne a formação de fibrose na área inflamada.

Eletroestimulação

A terapia de ondas de choque auxilia na redução da inflamação local e estimula a reparação do tecido.

Prevenção

foto de fascite plantar fisioterapia

A prevenção da fascite plantar envolve a adoção de medidas que visam reduzir o risco de desenvolver essa condição.

Calçados Adequados

Escolha calçados que ofereçam bom suporte e amortecimento para os pés, especialmente se você estiver envolvido em atividades que exigem muito tempo em pé ou caminhadas prolongadas.

Evite sapatos com sola desgastada e sem suporte adequado.

Controle do Peso

Mantenha um peso saudável para reduzir a pressão sobre os pés e a fáscia plantar.

O excesso de peso pode aumentar o estresse nos pés e contribuir para o desenvolvimento da fascite plantar.

Fortalecimento Muscular

Realize regularmente exercícios de alongamento para os músculos da panturrilha, tendões e fáscia plantar.

Fortalecer os músculos ao redor do tornozelo e da planta do pé também pode ajudar na prevenção.

Aquecimento Adequado

Antes de atividades físicas intensas, aqueça os músculos e tendões para preparar os pés para o esforço.

Evitar Atividades de Impacto Excessivo

Evite atividades que envolvam impacto excessivo nos pés, como corridas em superfícies duras.

Se estiver envolvido em esportes de alto impacto, certifique-se de usar calçados esportivos apropriados e realizar treinamento específico para minimizar o risco de lesões.

Descanso Adequado

Dê aos seus pés tempo suficiente para descansar e se recuperar, especialmente após atividades físicas intensas.

Evite ficar em pé ou caminhar por longos períodos sem pausas.

Tratamento Adequado de Outras Condições

Trate adequadamente outras condições que possam afetar os pés, como pés planos ou arcos elevados, para reduzir a pressão sobre a fáscia plantar.

Inserção de Palmilhas

Em alguns casos, o uso de palmilhas ortopédicas pode proporcionar suporte adicional e ajudar na distribuição adequada do peso nos pés.

Ao adotar essas medidas preventivas, você pode reduzir significativamente o risco de desenvolver a fascite plantar.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé).

A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe.

É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo.

Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas.

O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro.

A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: