Fascite plantar fisioterapia 

A fascite plantar é uma lesão que atinge o calcanhar e é bastante comum. O tratamento da fascite plantar envolve a fisioterapia, para trazer alívio ao paciente e evitar que o quadro de dor retorne, se tornando crônico. 

O paciente que não faz exercícios específicos para fascite plantar pode ter constantemente quadros de dor bastante agudos, que diminuem a qualidade de vida e podem fazer esse paciente ter que, constantemente, tomar medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. 

Agendar sua Avaliação

Mas, o que é fascite plantar e por que a fisioterapia é importante para seu tratamento? Vamos conferir essas questões a seguir! 

O que é fascite plantar?

pessoa em pé com uma das mãos segurando o calcanhar levantado com fascite plantar
Fascite plantar é uma inflamação da fáscia na planta dos pés.

 

Fascite plantar é a inflamação da fáscia, um tecido fibroso e pouco elástico que envolve os músculos e ossos da sola do pé. Quando contraída exageradamente ou durante um período muito prolongado, a fáscia fica inflamada, o que gera dor na sola do pé e na região do calcanhar. 

Ela é uma lesão bastante comum e afeta cerca de 10% das pessoas. 

Agendar sua Avaliação

Sintomas 

O principal sintoma da fascite plantar é a dor no calcanhar. Por isso, ela é também chamada síndrome da dor do calcanhar. A dor também se estende, em muitos casos, para a sola do pé. 

Além disso, a dor da fascite plantar é bem característica, sendo bastante acentuada pela manhã, quando o paciente acorda. Assim, muitas vezes, o paciente nem consegue colocar o pé no chão ao acordar, de tanta dor que sente. 

Com o passar do dia, a dor tende a melhorar, pois, com a movimentação do pé, a fáscia tende a ficar menos contraída, o que ajuda na diminuição da dor. 

Mas, quando o dia termina e o paciente vai dormir, a dor pode retornar, sendo especificamente forte no período da manhã, ao acordar. 

Causas da fascite plantar

corredor sentado no asfalto segurando um dos pés descalços om fascite plantar
A fascite plantar pode surgir por diversos motivos.

Existem diferentes causas que podem levar à fascite plantar. Dentre elas, a prática exagerada de atividade física e também o sobrepeso. 

Isso pode levar a microtraumas na estrutura da fáscia que, como é exigida em excesso, acaba contraindo-se excessivamente, gerando uma inflamação local. 

Inclusive, pacientes obesos ou com sobrepeso apresentam melhora do quadro de fascite plantar quando conseguem emagrecer, pois, diminuem a carga excessiva de peso na fáscia plantar. 

Fatores de risco 

Os principais fatores de risco que levam ao desenvolvimento da fascite plantar estão ligadas à prática excessiva de atividade física e também ao excesso de peso. 

Outros fatores como pé chato ou o uso excessivo de salto alto, que força a curvatura do pé por longos períodos, também podem ser considerados fatores de risco para o desenvolvimento do quadro. 

Diagnóstico 

Para diagnóstico da fascite plantar, o paciente deve procurar um médico ortopedista. Dessa forma, o profissional colherá informações sobre como é a dor sentida pelo paciente e onde ela é sentida. 

Além disso, o médico ortopedista também fará uma avaliação física do pé do paciente, sobretudo verificando sua mobilidade. No caso da fascite plantar, o diagnóstico é mais simples, devido à dificuldade que o paciente sente em fazer o movimento de flexão do pé. 

Exames de imagem não são solicitados com frequência, mas podem ser pedidos, sobretudo quando há dúvidas sobre possíveis outros diagnósticos, como fraturas ósseas, por exemplo. 

Tratamento fascite plantar

pessoa fazendo fisioterapia para fascite plantar
Há várias opções de tratamento para a fascite plantar, fisioterapia é uma delas.

A primeira parte do tratamento da fascite plantar é a prescrição de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, para melhorar o quadro de dor aguda sentida pelo paciente. 

Mas, lembre-se que a automedicação nunca é uma boa opção. Portanto, só tome medicamentos prescritos pelo médico para você. Outros medicamentos prescritos para outras pessoas podem não ter o mesmo efeito com você. 

Junto com o tratamento medicamentoso, a fisioterapia é recomendada para pacientes com fascite plantar, para melhora da inflamação local e reparação. 

Vamos ver as principais técnicas da fisioterapia utilizadas no tratamento de pacientes com fascite plantar. 

Fisioterapia para fascite plantar 

A fisioterapia é uma parte bastante importante do tratamento de pacientes com fascite plantar. 

Existem diversas técnicas terapêuticas que podem ser aplicadas no tratamento fisioterapêutico (a palavra fisioterápico não existe) de pacientes com fascite plantar. 

Vamos ver as principais. 

Alongamento 

O alongamento é essencial para aliviar a contração exagerada da fáscia plantar. Esse tipo de exercício é bastante eficaz na redução da dor do paciente e pode ser realizado com faixas, ou com toalhas, posicionando-as na sola do pé e puxando o pé, elevado em direção ao peito. 

É sempre importante realizar o alongamento com ambos os pés, mesmo que a fascite plantar esteja somente em um deles. Assim, o paciente tem a percepção da dor e o que necessita evoluir no tratamento do pé afetado. 

Terapia manual

A terapia manual é uma ótima formas de relaxar a fáscia plantar. Elas podem ser feitas de diversas maneiras e técnicas com profissional habilitado.

Deslizamento miofascial 

Técnica utilizada pelo profissional da fisioterapia para relaxar a fáscia dos músculos. No caso da fascite plantar, o deslizamento miofascial auxilia na redução da dor, pois atua diretamente na minimização da contração da fáscia. 

Objetos como pequenas bolas ou rolos de madeira, podem ser bastante úteis para o deslizamento miofascial. Portanto, o paciente deve posicionar a bola no chão e rolá-la sobre a superfície da sola do pé, fazendo movimentos circulares, de um lado e de outro. 

Caso o paciente não possa ir a uma clínica de fisioterapia, ele (ela) também pode fazer esses deslizamentos em casa, usando bolas de tênis, por exemplo, ou então, uma garrafa pet de 500 mL com água congelada. 

A garrafa pet de 500 mL com água congelada serve também para o paciente ter o efeito da crioterapia, ou seja, do gelo sobre a região inflamada, o que ajuda a diminuir a inflamação local. Dessa forma, role a garrafa sobre a sola do pé diversas vezes. 

Aplicação de laser 

O laser de baixa potência, quando aplicado em um tecido inflamado, auxilia na reparação local, diminuindo a inflamação da região. Por isso, é também uma técnica bastante utilizada na fisioterapia para o tratamento da fascite plantar. 

Ultrassom 

Outra técnica bastante utilizada na fisioterapia para fascite plantar é a utilização de ultrassom. O ultrassom permite que uma onda mecânica de alta frequência resulte em energia e calor na região. 

Com isso, aumenta-se o fluxo sanguíneo na região inflamada e ainda, previne-se a formação de fibrose. 

Eletroestimulação 

Terapia de ondas de choque auxiliam na redução da inflamação local e estimulam a reparação. 

Utilização de talas noturnas 

As talas noturnas podem ajudar o paciente com fascite plantar que acorda com um quadro bastante agudo de dor. Nesses casos, a tala auxilia o paciente a não ficar com a fáscia contraída durante toda a noite. 

Dessa forma, com a utilização de talas noturnas, o pé fica em flexão dorsal e os dedos estendidos, o que previne o encurtamento da fáscia plantar, auxiliando na melhora da dor. 

Acupuntura 

Por último, a acupuntura é uma técnica milenar que vem sendo bastante utilizada em diversos casos de inflamações pelo corpo e com a fascite plantar não é diferente. 

É uma técnica que deve ser feita por um profissional, em que agulhas descartáveis são posicionadas em pontos-chave do organismo, auxiliando a melhorar o fluxo sanguíneo local e minimizar a inflamação. 

De fato, a técnica também auxilia no relaxamento muscular, o que também contribui para a melhora da dor. 

Por que a fisioterapia é importante para fascite plantar? 

A fisioterapia é parte integrante do tratamento da fascite plantar, pois, permite a minimização do quadro de dor, evitando que a fascite plantar se torne crônica. 

Dessa forma, o paciente que faz o tratamento de fisioterapia para fascite plantar tem menos riscos de desenvolver novos quadros ou quadros frequentes de dor causados pela inflamação da fáscia plantar. 

Com isso, o paciente também consegue reduzir a quantidade de medicamentos (analgésicos e anti-inflamatórios) que consome para minimizar a dor sentida.

Agendar sua Avaliação