É possível corrigir geno varo?

Geno varo é sinônimo para joelho varo, ou joelho arqueado. Quando se observa um indivíduo de frente, os joelhos devem estar alinhados, com uma linha imaginária que passa no centro da coxa, indo até os tornozelos.

Porém, em alguns indivíduos, mesmo juntando os tornozelos, os joelhos apontam para fora, formando um espaço entre eles, dando a nítida impressão de “pernas de cowboy”. Para essa condição, dá-se o nome de geno varo.

Agendar sua Avaliação

De fato, geno varo é a condição oposta de geno valgo, condição na qual os joelhos se aproximam e os pés se afastam, caracterizando os joelhos voltados para dentro.

Quais são as causas de geno varo?

Existem diversas causas para o geno varo. É importante notar que, na infância, é considerado normal que os joelhos apresentem uma leve curvatura para fora ou para dentro, sendo essa uma condição que, fisiologicamente, o próprio organismo tende a alinhar.

De fato, até os 2 anos, as condições de geno varo e geno valgo costumam ser resolvidas pelo próprio organismo, sem grandes preocupações para os pais. No entanto, essa é uma avaliação que deve ser feita pelo pediatra da criança.

Agendar sua Avaliação

foto de geno varo

Entretanto, em algumas pessoas, os joelhos permanecem mais para fora mesmo após os 8 anos, e isso não acarreta alterações na marcha ou problemas ortopédicos significativos.

Assim como algumas pessoas não possuem perfeita simetria facial, um certo grau de desalinhamento dos joelhos pode ser considerado fisiológico.

Porém, em outros indivíduos, sobretudo adultos, o geno varo pode ser causado por outras condições. Entre as principais causas, podem-se citar artrose, lesões de menisco e de ligamentos.

O principal ligamento envolvido no geno varo, quando apresenta lesão, é o ligamento cruzado anterior.

Outras causas incluem fraturas ou tumores ósseos. Vale ressaltar que todas essas condições também podem ser consequências do geno varo.

Ou seja, o indivíduo com um alinhamento incorreto dos joelhos pode acabar desenvolvendo patologias no joelho, como as já mencionadas.

Como funciona o diagnóstico dos joelhos?

foto de geno varo

O diagnóstico de geno varo deve ser realizado por um especialista em joelho. De frente para o especialista, sem calçados e com os pés unidos, é possível observar o alinhamento dos joelhos.

De fato, a avaliação física do paciente é essencial para diferenciar o geno varo fisiológico do geno varo patológico.

Quando o joelho varo é fisiológico, afeta ambos os joelhos e o paciente geralmente não relata dor. Além disso, o paciente menciona que seus joelhos sempre apresentaram tal formato, sem afetar sua capacidade de movimentação. Raramente é necessário um tratamento específico nesse caso.

Entretanto, quando o joelho varo é patológico, geralmente afeta apenas um lado e o paciente frequentemente apresenta dor e limitação de movimento.

Nesse caso, o especialista solicitará alguns exames de imagem para identificar possíveis lesões associadas ao joelho.

Entre os exames de imagem mais solicitados, a radiografia é fundamental para evidenciar condições como a artrose. Por meio dela, é possível avaliar se o espaço articular está preservado ou alterado. Pode-se solicitar radiografias com carga (com peso) e sem carga no joelho.

Outro exame importante é a radiografia panorâmica, na qual os ossos da perna também são radiografados. Isso permite traçar uma linha passando pelo joelho, possibilitando estabelecer com precisão o alinhamento do joelho.

A ressonância magnética é considerada o exame padrão-ouro para o diagnóstico de eventuais lesões nos meniscos ou ligamentos.

Por que devo tratar joelho varo? 

foto de geno varo

O tratamento do geno varo é crucial, pois o desalinhamento patológico dos joelhos pode levar à sobrecarga em outras estruturas articulares.

Assim, quando os joelhos estão alinhados, estruturas como ligamentos e meniscos recebem a carga ideal durante a movimentação. No entanto, no caso do geno varo, essas estruturas podem ficar sobrecarregadas, elevando o risco de lesões ligamentares e meniscais.

Adicionalmente, o desalinhamento pode conduzir a outros problemas, resultando em dor e dificuldade de movimentação. E quanto mais o paciente tenta conviver com essa limitação, pior pode se tornar o quadro.

Portanto, se você apresenta geno varo e está sentindo dor no joelho, é fundamental procurar um especialista para iniciar o tratamento o quanto antes.

O tratamento pode ser cirúrgico em alguns casos, mas o tipo de cirurgia – seja ela envolvendo corte e fixação óssea somente ou a colocação de uma prótese de joelho – dependerá da idade do paciente e do seu grau de atividade.

No caso de crianças, o pediatra avaliará a necessidade de tratamento para o geno varo. A suplementação de vitamina D, por exemplo, pode ajudar no fortalecimento ósseo, assim como a prática de certos exercícios, auxiliando no alinhamento durante a fase de crescimento.

Tratamento para geno varo

foto de fisioterapia para geno varo

O tratamento para geno varo fisiológico geralmente envolve apenas acompanhamento, sem a necessidade de intervenções específicas. É crucial que esse acompanhamento seja realizado a longo prazo, permitindo a observação de qualquer alteração na articulação ao longo do tempo.

Controle de peso e tratamento do geno varo patológico

Para casos de geno varo patológico, medidas como o controle do peso do paciente podem ajudar na redução da dor. No entanto, em muitos casos, é indicado um procedimento cirúrgico para o realinhamento do joelho.

Cirurgia para geno varo

Osteotomia tibial valgizante

A cirurgia conhecida como osteotomia tibial valgizante envolve fraturar e realinhar o osso, fixando-o posteriormente com placas e parafusos. Esse procedimento é recomendado para pacientes jovens e ativos, podendo ser acompanhado de cirurgias para reconstrução de ligamentos, se necessário.

Considerações para pacientes mais velhos

Pacientes mais velhos precisam de uma avaliação cuidadosa, especialmente quanto à recuperação pós-operatória. Para alguns, a substituição total do joelho por uma prótese pode ser a opção mais adequada.

Cuidados pós-operatórios

foto de fisioterapia para geno varo

Prevenção de complicações

Após a cirurgia de correção do geno varo, é fundamental prestar atenção à prevenção de trombose venosa profunda. Medicamentos são frequentemente prescritos para evitar essa condição. Além disso, o tratamento fisioterapêutico começa ainda no hospital, antes da alta do paciente.

Fisioterapia e recuperação

foto de fisioterapia para geno varo

A fisioterapia é essencial no pós-operatório de cirurgias no joelho. O acompanhamento com o fisioterapeuta deve prosseguir após a alta, focando na reabilitação do paciente. O uso de muletas nas primeiras semanas é recomendado para evitar pressão sobre o joelho operado. Gradualmente, o paciente realizará exercícios de movimentação e fortalecimento até recuperar a capacidade de caminhar normalmente. O retorno às atividades esportivas pode levar alguns meses, sempre sob supervisão conjunta da fisioterapia e ortopedia, visando a melhora da mobilidade do paciente.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A base da proposta do Instituto TRATA está centrada na ideia de inovação no tratamento das extremidades inferiores, abrangendo quadril, joelho e pé. A asseguração de resultados eficazes espelha os métodos seguidos pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente passa por uma avaliação clínica detalhada realizada por um especialista da equipe. Esse inicial procedimento possibilita uma orientação direcionada ao tratamento, considerando o quadro individual de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

Posteriormente, o paciente passa por uma avaliação cinemática dos movimentos corporais. O objetivo é examinar a organização dos ossos e músculos em resposta à gravidade e às forças que atuam no corpo humano. Para essa finalidade, empregamos um software especializado de análise de movimento chamado TrataScan. Sua tecnologia avançada permite identificar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que podem resultar em quadros inflamatórios ou dolorosos, por exemplo.

Durante essa fase, é possível avaliar assimetrias, padrões motores, lesões associadas, presença de compensações e determinar quais estruturas necessitam de intervenção.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

A etapa final envolve a implementação do protocolo de tratamento para lesões nas extremidades inferiores, desenvolvido pela rede e embasado em evidências científicas.

A atenção é direcionada para o alinhamento biomecânico das extremidades inferiores, visando aprimorar a condição do paciente (evitando recidivas) e, consequentemente, proporcionar uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Não há um atendimento padronizado. Analisamos as necessidades individuais de cada paciente e desenvolvemos a abordagem de tratamento mais adequada para cada caso.

A incorporação da tecnologia é uma parte integral do nosso programa de tratamento, com o propósito de proporcionar aos pacientes as mais avançadas técnicas no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: