Infiltração no Joelho: para que serve e quanto tempo dura?

A infiltração no joelho consiste na aplicação direta de medicamentos, como corticoides, no joelho, com o objetivo de aliviar a dor ou tratar lesões.

Essa é uma alternativa frequentemente empregada por muitos médicos ortopedistas, especialmente em situações mais agudas.

Agendar sua Avaliação

Vamos conhecer um pouco mais sobre a infiltração no joelho.

Para que serve a infiltração no joelho?

foto de infiltração no joelho

A infiltração no joelho é um procedimento que pode ser aplicado em várias outras articulações.

Agendar sua Avaliação

Trata-se de um procedimento que não se limita apenas ao joelho, sendo possível realizá-lo em diversas articulações do corpo, como ombros e mãos.

A infiltração nunca é realizada diretamente no osso, mas sim no espaço da articulação, isto é, no espaço entre a tíbia e o fêmur, por exemplo, no caso do joelho.

Nos casos de inflamação nos tendões, a infiltração pode ser considerada como último recurso, uma vez que os resultados deste procedimento em si não são tão promissores quanto em outros tipos de infiltração. As melhores indicações para infiltração são nos casos de inflamação na bainha do tendão ou na inserção do tendão no osso.

As infiltrações na região muscular são comuns em atletas que enfrentam rigidez e fibroses, proporcionando resultados excelentes.

Este procedimento é amplamente utilizado em casos de doenças degenerativas, como artrite reumatoide, reumatismo, artrose degenerativa, e também em situações de traumatologia esportiva, ou seja, em atletas.

A técnica envolve a injeção de medicação específica para tratar lesões no joelho ou episódios agudos de dor.

O objetivo da infiltração no joelho é reduzir a dor, diminuir a inflamação ou estimular a produção de líquido sinovial, um fluido produzido pela membrana sinovial que atua na lubrificação da articulação do joelho.

Assim, a infiltração no joelho não apenas alivia a dor, mas também reduz o desgaste da articulação, melhorando a funcionalidade do joelho.

Quais são as medicações utilizadas na infiltração no joelho?

foto de infiltração no joelho

Há várias medicações que podem ser usadas na infiltração no joelho.

Para a infiltração no joelho, alguns tipos de medicação podem ser escolhidos pelo especialista. As principais medicações a serem utilizadas para a infiltração são anestésicos, corticoides e ácido hialurônico.

Vamos conhecer mais sobre cada um deles.

1 – Anestésicos para infiltração no joelho

Os anestésicos são medicamentos de escolha em casos de dor aguda ou quando está sendo planejada uma cirurgia.

Esses medicamentos têm efeito passageiro, atuando imediatamente na redução da dor sentida pelo paciente.

Também podem ser utilizados em casos de dor cuja causa não está claramente identificada, uma vez que agem imediatamente no foco da dor.

2 – Corticosteroides

Os corticosteroides são potentes medicamentos anti-inflamatórios que podem ser aplicados isoladamente ou em combinação com anestésicos para melhorar o quadro de dor e a inflamação local.

Esse tipo de infiltração deve ser realizado, no máximo, a cada 3 meses, uma vez que não é recomendada a aplicação excessiva desse tipo de medicamento.

Exemplos de medicamentos utilizados incluem a betametasona e dexametasona.

3 – Ácido Hialurônico

A técnica é também denominada viscossuplementação. O objetivo da injeção de ácido hialurônico é formar uma película protetora para evitar o avanço da osteoartrite ou artrose, aliviando a dor sentida pelo paciente.

O líquido sinovial tem em sua constituição ácido hialurônico; portanto, esse é um componente que já faz parte da constituição do lubrificante das estruturas do joelho.

Existem diversas técnicas, mas, em geral, realiza-se uma aplicação por semana, durante, no máximo, 5 semanas. O efeito pode permanecer por diversos meses após a aplicação.

Indicações da infiltração no joelho

  • Dor localizada crônica no joelho;
  • Pacientes com osteoartrite ou artrose e apresentando dores frequentes;
  • Pacientes com doenças degenerativas e dores na região do joelho;
  • Artrite reumatoide com dor no joelho;
  • Atletas com dores no joelho.

Como é realizada a infiltração no joelho?

foto de infiltração no joelho

A infiltração no joelho pode ser realizada em consultório médico.

A técnica é executada no consultório do médico ortopedista, ou seja, em ambiente ambulatorial. O profissional responsável pelo procedimento deve possuir experiência nesse tipo de intervenção.

Exames de imagem, como ultrassom, raio-X ou ressonância magnética podem ser utilizados para determinar o local exato da injeção.
A região é higienizada, desinfetada e anestesiada localmente. Materiais estéreis e descartáveis devem ser empregados. Em seguida, a injeção do medicamento é realizada. O procedimento é rápido, não durando mais que alguns minutos.

Apesar de gerar um pouco de dor e desconforto, o procedimento é suportável.

Após a infiltração, é recomendado que o paciente descanse e evite atividades físicas por, pelo menos, 2 semanas. Se houver dificuldade de locomoção, o médico pode sugerir o uso de muletas enquanto persistir essa limitação.

É fundamental lembrar que todo o tratamento ao qual o paciente estava submetido anteriormente deve ser mantido, incluindo sessões de fisioterapia, visto que a infiltração proporciona apenas um alívio temporário ao problema.

Dessa forma, sessões de fortalecimento muscular e melhora da mobilidade articular continuam sendo necessárias após a infiltração no joelho.

Somente a infiltração vai resolver a condição no meu joelho?

A eficácia da infiltração no joelho como tratamento único depende da natureza específica da condição que está sendo tratada.

A infiltração é frequentemente utilizada para aliviar a dor e reduzir a inflamação em condições como artrite ou inflamação nos tendões, mas pode não ser uma solução definitiva para todos os casos.

É importante entender que a infiltração oferece alívio temporário, e a duração dos benefícios pode variar de pessoa para pessoa.

Em algumas situações, a infiltração pode ser parte de um plano de tratamento mais abrangente, que pode incluir fisioterapia, modificações nas atividades, medicamentos orais, entre outras abordagens.

Se você está considerando a infiltração no joelho, é fundamental discutir detalhadamente com seu médico sobre a natureza da sua condição, as expectativas de tratamento e se outros intervenções são necessárias.

Um especialista poderá avaliar sua condição específica, determinar se a infiltração é apropriada e recomendar um plano de tratamento adequado às suas necessidades individuais.

Quais são os riscos e efeitos colaterais da infiltração no joelho?

Quando realizado por um profissional capacitado, experiente e devidamente indicado, a infiltração no joelho geralmente proporciona bons resultados.

Logo após a infiltração, é comum que o joelho apresente inchaço, e o paciente pode experimentar desconforto local e dor. Essa reação é normal, tornando essencial o repouso nas primeiras horas após o procedimento.

Antes de realizar a intervenção, é crucial informar ao médico sobre qualquer alergia a corticoides.

É importante ressaltar que, para pessoas com diabetes, os corticoides podem impactar significativamente nos níveis de glicose, sendo fundamental manter um bom controle glicêmico após o procedimento, com ajustes nas doses de insulina, se necessário.

Outro ponto relevante é comunicar ao médico ortopedista caso esteja utilizando algum anticoagulante, como heparina ou ácido acetilsalicílico, ou se estiver grávida ou amamentando.

Os riscos associados ao procedimento são baixos quando executado corretamente. É importante informar ao médico caso apresente febre nos dias seguintes à infiltração. O risco de infecção é estimado em 1 para 70.000, ou seja, bastante baixo.

Uma possível complicação é a sinovite reacional, mas essa situação pode ser facilmente tratada pelo médico ortopedista. Portanto, é crucial comunicar ao profissional sobre dor excessiva ou febre após o procedimento.

Quem fez infiltração no joelho precisa fazer fisioterapia?

A fisioterapia desempenha um papel essencial na recuperação e no restabelecimento da função normal da articulação.
Descubra algumas razões pelas quais a fisioterapia pode ser indicada:

Reabilitação muscular

A fisioterapia ajuda a fortalecer os músculos ao redor da articulação do joelho, o que é fundamental para proporcionar suporte e estabilidade.
Melhoria da amplitude de movimento

Os exercícios fisioterapêuticos visam melhorar a flexibilidade e a amplitude de movimento da articulação, prevenindo a rigidez.

Controle da dor e inflamação

Técnicas fisioterapêuticas, como terapia manual e modalidades de fisioterapia, podem ser empregadas para controlar a dor e reduzir a inflamação.

Correção de desalinhamentos

Se a infiltração foi realizada para tratar uma condição relacionada a desalinhamentos ou padrões de movimento inadequados, a fisioterapia pode ajudar a corrigir esses problemas.

Melhoria da coordenação e equilíbrio

A fisioterapia pode incluir exercícios específicos para melhorar a coordenação motora e o equilíbrio, reduzindo o risco de lesões futuras.

Educação do paciente

Os fisioterapeutas fornecem orientações sobre exercícios em casa, autocuidado e técnicas para evitar recorrências.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé).

A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe.

É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo.

Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas.

O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro.

A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: