Joelho deslocado: causas, sintomas, precisa de cirurgia?

Um joelho deslocado significa que os ossos que compõem a articulação do joelho perderam sua posição normal e se moveram para fora do lugar.

Você sabe o que pode causar essa condição?

Agendar sua Avaliação

Vamos entender, a seguir, tudo sobre joelho deslocado, inclusive, sobre como é possível recuperar a saúde do joelho.

Acompanhe!

homem com dor no joelho

Agendar sua Avaliação

Anatomia do joelho

O joelho é uma das maiores e mais complexas articulações do corpo humano. Ele é composto por várias estruturas que trabalham em conjunto para permitir movimentos suaves, estabilidade e suporte do peso do corpo.

A anatomia do joelho inclui os seguintes componentes principais:

ilustração de pessoa com mão no joelho

Fêmur: O fêmur é o osso longo da coxa e forma a parte superior do joelho. A extremidade inferior do fêmur tem duas projeções ósseas chamadas côndilos femorais, que se articulam com a tíbia.

Tíbia: A tíbia é o osso da canela e forma a parte inferior da articulação do joelho. A extremidade superior da tíbia tem duas superfícies chamadas de côndilos tibiais, que se articulam com o fêmur.

Patela (rótula): A patela é um pequeno osso plano e triangular localizado na frente do joelho, inserida no tendão do quadríceps. Ela protege a articulação do joelho e melhora o ângulo de tração do tendão patelar.

Meniscos: Existem dois meniscos no joelho, o menisco medial (interno) e o menisco lateral (externo). Eles são cartilagens em forma de C que ficam entre o fêmur e a tíbia. Os meniscos atuam como amortecedores e ajudam a estabilizar a articulação do joelho, além de distribuir o peso de forma uniforme.

Ligamentos: O joelho é suportado por quatro principais ligamentos que fornecem estabilidade à articulação:

– Ligamento Cruzado Anterior (LCA): Impede o deslizamento anterior do fêmur em relação à tíbia.

– Ligamento Cruzado Posterior (LCP): Impede o deslizamento posterior do fêmur em relação à tíbia.

– Ligamento Colateral Medial (LCM): Localizado na parte interna do joelho, impede movimentos laterais excessivos.

– Ligamento Colateral Lateral (LCL): Localizado na parte externa do joelho, impede movimentos laterais excessivos.

Cápsula articular: É uma membrana fibrosa que envolve a articulação do joelho, mantendo o líquido sinovial dentro da articulação e proporcionando lubrificação para reduzir o atrito.

Bolsas sinoviais: Existem várias bolsas cheias de líquido sinovial ao redor do joelho que reduzem o atrito entre os tecidos e estruturas adjacentes, proporcionando um movimento suave.

Essas estruturas trabalham em conjunto para permitir a flexão, extensão e rotação do joelho, tornando-o fundamental para atividades diárias como caminhar, correr e subir escadas.

A complexidade da anatomia do joelho o torna suscetível a uma variedade de lesões e problemas, exigindo cuidados adequados e, se necessário, tratamento especializado.

Como ocorre o deslocamento do joelho?

O joelho é formado pela articulação entre o fêmur (osso da coxa), a tíbia (osso da perna) e a patela (rótula).

Um deslocamento ocorre quando esses ossos se separam de suas posições habituais.

Os deslocamentos de joelho, geralmente são o resultado de um trauma ou lesão, como quedas, torções bruscas, colisões ou acidentes esportivos.

jogador de futebol com joelho deslocado

De um modo geral, as causas mais comuns de um joelho deslocado incluem:

Trauma: Quedas, colisões, torções bruscas e acidentes esportivos são as principais causas de deslocamento de joelho. Impactos fortes e movimentos descontrolados podem levar a uma força suficiente para deslocar a articulação.

Lesões esportivas: Esportes que envolvem mudanças de direção rápidas, saltos ou movimentos intensos, como futebol, basquete, entre outros, podem aumentar o risco de deslocamento do joelho.

Acidentes automobilísticos: Colisões e acidentes de trânsito podem causar lesões graves no joelho, levando ao deslocamento.

Quedas: Quedas de altura significativa ou quedas em uma posição desfavorável podem levar ao deslocamento do joelho.

Instabilidade crônica do joelho: Algumas pessoas têm uma predisposição a deslocamentos recorrentes do joelho devido a problemas estruturais ou ligamentares, como a síndrome da hiperextensão.

Condições patológicas: Em alguns casos raros, certas condições, como síndrome de Ehlers-Danlos ou distúrbios do tecido conjuntivo, podem tornar as articulações mais suscetíveis a deslocamentos.

É importante notar que a maioria dos deslocamentos de joelho ocorre como resultado de eventos traumáticos agudos.

Independentemente da causa, é fundamental buscar atendimento especializado para avaliação e tratamento adequados, pois o deslocamento pode causar danos significativos aos tecidos moles e à estrutura do joelho.

Como identificar que o joelho está deslocado?

Identificar quando o joelho sai do lugar pode ser relativamente fácil, pois geralmente surgem sintomas visíveis e sintomas característicos.

investigação no joelho

Em geral, algumas maneiras de identificar que o joelho está deslocado, incluem:

Dor intensa: Um dos principais sintomas é a dor aguda e severa no joelho. A dor pode ser tão intensa que pode ser difícil mover a perna afetada.

Inchaço: O joelho deslocado geralmente fica inchado devido à inflamação causada pelo trauma na articulação.

Deformidade visível: O joelho pode apresentar uma aparência anormal, com uma deformidade óbvia. A rótula (patela) pode estar fora de sua posição normal, ou a articulação do joelho pode parecer desalinhada.

Incapacidade de suportar peso: Pessoas com joelho deslocado geralmente têm dificuldade em suportar peso sobre a perna afetada e podem sentir-se incapazes de andar ou ficar em pé.

Imobilidade: O joelho deslocado pode ficar imobilizado em uma posição específica, tornando difícil dobrar ou esticar a perna.

Sensação de instabilidade: Algumas pessoas podem sentir uma sensação de instabilidade ou falta de suporte no joelho deslocado.

Se você suspeitar que seu joelho está deslocado ou se tiver esses sintomas após um trauma ou lesão, é extremamente importante procurar atendimento profissional imediatamente.

Não tente realinhar o joelho por conta própria, pois isso pode causar mais danos aos tecidos e aumentar o risco de complicações.

Joelho deslocado precisa de cirurgia?

A necessidade de cirurgia para tratar um joelho deslocado depende da gravidade da lesão e dos danos aos tecidos ao redor da articulação. Por isso, nem todos os casos de joelho deslocado requerem cirurgia.

O tratamento conservador pode ser recomendado em muitos casos.

médicos operando joelho deslocado

Algumas das situações que podem exigir cirurgia, incluem:

Lesões ligamentares graves: Se os ligamentos que estabilizam o joelho, como o ligamento cruzado anterior (LCA), estiverem rasgados ou severamente danificados, a cirurgia pode ser necessária para reconstruí-los.

Fraturas associadas: Se o deslocamento do joelho for acompanhado por uma fratura, a cirurgia pode ser necessária para corrigir a fratura e realinhar a articulação.

Lesões meniscais: Se houver danos significativos aos meniscos (estruturas de cartilagem no joelho), a cirurgia pode ser realizada para repará-los ou remover parte do tecido danificado.

Deslocamentos recorrentes: Pessoas que têm histórico de deslocamentos recorrentes (joelho pode sair do lugar constantemente) podem precisar de cirurgia para estabilizar a articulação e prevenir futuras ocorrências.

O tratamento adequado para um joelho deslocado será determinado pelo profissional especialista após uma avaliação cuidadosa e exames de imagem para avaliar a extensão da lesão.

Portanto, se você tiver um joelho deslocado ou suspeitar que tem, é fundamental procurar atendimento para receber um diagnóstico preciso e o tratamento adequado.

O que fazer em caso de joelho deslocado?

É essencial procurar atendimento imediatamente em caso de suspeita de um joelho deslocado.

O acompanhamento profissional adequado e a reabilitação são cruciais para uma recuperação completa, ajudando a restaurar a força, a estabilidade e a amplitude de movimento da articulação.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé).

A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe.

É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo.

Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas.

O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro.

A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação