Metatarso: lesões, fraturas e sintomas

O que é?

O metatarso é uma parte do esqueleto humano que se refere aos ossos longos localizados na parte anterior do pé, entre os ossos do tarso (os ossos do tornozelo) e as falanges dos dedos dos pés.

O pé humano tem cinco metatarsos, correspondendo aos cinco dedos dos pés.

Agendar sua Avaliação

Eles são numerados do primeiro ao quinto metatarso, começando pelo dedo grande (dedo do pé) e indo em direção aos dedos menores.

Quais são as funções do Metatarso?

Os metatarsos desempenham várias funções importantes no corpo humano, principalmente relacionadas à locomoção e à sustentação do peso corporal.

foto de metatarso

Agendar sua Avaliação

Suporte de peso

Os metatarsos são responsáveis por suportar uma parte significativa do peso corporal quando estamos em pé ou realizando atividades como caminhar, correr e pular.

Eles distribuem o peso do corpo de maneira uniforme para permitir uma postura estável.

Absorção de choque

Durante a locomoção, os metatarsos ajudam a absorver o choque e o impacto que ocorrem quando o pé toca o solo.

Isso ajuda a proteger as articulações e os ossos mais frágeis do pé, como os ossos do tarso e as falanges.

Equilíbrio e estabilidade

Os metatarsos desempenham um papel crucial na manutenção do equilíbrio e da estabilidade do corpo, especialmente quando nos apoiamos nos pés.

Eles contribuem para a distribuição adequada do peso e permitem ajustes finos durante a movimentação.

Propulsão

Durante a fase de empurrar (propulsão) da caminhada ou da corrida, os metatarsos ajudam a impulsionar o corpo para a frente, permitindo o movimento eficiente.

Flexibilidade

Os metatarsos também contribuem para a flexibilidade do pé, permitindo que ele se mova e adapte a diferentes superfícies e posições.

Ajudam na dissipação de forças

Quando o pé está em movimento, os metatarsos participam da distribuição das forças geradas durante a atividade física, ajudando a minimizar o risco de lesões.

Como ocorrem lesões?

As lesões nos metatarsos podem ocorrer de várias maneiras, e a causa específica pode variar dependendo da atividade física, da anatomia individual e de fatores de risco.

Trauma direto

Um golpe ou impacto direto no pé, como tropeçar em um objeto, cair ou ser atingido por um objeto pesado, pode resultar em uma lesão nos metatarsos, como uma fratura.

Sobrecarga

O uso excessivo do pé, como caminhar ou correr longas distâncias sem preparação adequada ou usar calçados inadequados, pode causar lesões nos metatarsos devido à sobrecarga repetitiva.

Fratura por estresse

Fraturas por estresse ocorrem devido à repetição de estresse em um osso sem a devida recuperação. Isso pode acontecer com atletas que participam de esportes de impacto, como corrida, salto ou dança.

Lesões esportivas

Atletas estão em maior risco de lesões nos metatarsos devido ao estresse constante e movimentos repetitivos associados a seus esportes específicos.

Por exemplo, jogadores de futebol podem sofrer lesões nos metatarsos devido a chutes fortes ou impactos com outros jogadores.

Calçados inadequados

O uso de calçados que não fornecem suporte adequado ou não se ajustam corretamente aos pés pode aumentar o risco de lesões nos metatarsos.

Anatomia anormal

Algumas pessoas têm uma anatomia do pé que as torna mais propensas a certos tipos de lesões nos metatarsos devido a uma distribuição anormal da pressão ou ao posicionamento dos ossos.

Doenças subjacentes

Certas condições médicas, como osteoporose (enfraquecimento dos ossos), artrite ou outras doenças ósseas, podem aumentar o risco de fraturas nos metatarsos.

As lesões nos metatarsos podem variar em gravidade, desde pequenas fissuras até fraturas completas.

Fratura do metatarso

As fraturas nos metatarsos podem variar em termos de localização, gravidade e padrão da fratura. 

Fraturas por avulsão

Esse tipo de fratura ocorre quando um pequeno fragmento ósseo é arrancado devido à tração de um ligamento ou tendão.

Isso pode ocorrer, por exemplo, quando o pé é torcido de maneira abrupta.

As fraturas por avulsão são geralmente menos graves.

Fraturas por estresse

As fraturas por estresse são pequenas fissuras nos ossos, geralmente causadas pela repetição de estresse ou impacto, como corrida ou atividades esportivas de alto impacto.

Elas podem ser dolorosas e requerem repouso e tratamento adequado.

Fraturas transversais

Nesse tipo de fratura, a quebra ocorre em um ângulo reto em relação ao eixo do metatarso, criando duas partes separadas.

Esse tipo de fratura pode resultar de trauma direto ou estresse repetitivo.

Fraturas oblíquas

Fraturas oblíquas ocorrem quando a quebra é inclinada em relação ao eixo do osso.

Elas podem ocorrer devido a forças de torção ou impacto oblíquo.

Fraturas cominutivas

Nas fraturas cominutivas, o osso se quebra em vários fragmentos.

Essas fraturas geralmente são mais graves e podem exigir tratamento cirúrgico para realinhar os fragmentos ósseos.

Fraturas do colo do metatarso

O colo do metatarso é a parte mais estreita do osso, e as fraturas nessa região podem ser particularmente problemáticas, pois podem afetar o suprimento sanguíneo para a área, tornando a cicatrização mais desafiadora.

Fraturas do eixo do metatarso

Essas fraturas ocorrem ao longo do corpo do metatarso e podem variar em gravidade, dependendo do tipo de impacto ou estresse que causou a fratura.

A gravidade e o tratamento necessário para uma fratura no metatarso dependem do tipo de fratura, da localização e de fatores individuais, como a idade e a saúde geral do paciente.

Fraturas mais simples podem ser tratadas com imobilização, como uso de bota ortopédica ou gesso, enquanto fraturas mais complexas ou cominutivas podem exigir cirurgia para realinhar e fixar os fragmentos ósseos.

Sintomas de lesões e fraturas dos metatarsos

Os sintomas de fraturas e lesões nos metatarsos podem variar dependendo da gravidade da lesão.

Dor

A dor é um dos sintomas mais proeminentes e geralmente é sentida na parte superior do pé, na região dos metatarsos. A intensidade da dor pode variar de leve a grave, dependendo da gravidade da lesão.

foto de metatarso

Inchaço

A área ao redor da fratura ou lesão pode ficar inchada devido à inflamação. O inchaço pode se desenvolver nas horas seguintes à lesão.

Hematoma

Em alguns casos, pode ocorrer um hematoma (acúmulo de sangue) na área afetada, causando descoloração da pele.

Dificuldade em mover o pé

Uma fratura ou lesão nos metatarsos pode limitar a capacidade de movimentar o pé afetado, especialmente se houver dor intensa ou instabilidade.

Deformidade

Em casos graves de fraturas, pode ocorrer uma deformidade visível no pé, como uma protuberância ou desvio dos ossos.

Sensibilidade ao toque

A área afetada pode ser sensível ao toque, e a pressão direta sobre os metatarsos pode ser dolorosa.

Dificuldade em apoiar o peso

Lesões nos metatarsos podem tornar difícil ou doloroso apoiar o peso corporal no pé afetado.

Creptação

Em algumas fraturas, especialmente as mais graves, você pode sentir ou ouvir um som de crepitação (um estalido ou rangido) quando tenta mover o pé.

Formigamento ou dormência

Em casos graves, uma fratura pode causar compressão de nervos próximos, levando a sensações de formigamento, dormência ou fraqueza no pé.

Como funciona o tratamento?

O tratamento de uma fratura ou lesão nos metatarsos depende da gravidade da lesão, da localização da fratura e de outros fatores individuais, como a idade e a saúde geral do paciente.

O tratamento pode variar de conservador, que envolve métodos não cirúrgicos, a cirúrgico, dependendo das circunstâncias.

1. Tratamento conservador:

  • Imobilização: Em muitos casos, o tratamento inicial envolve imobilizar o pé afetado para permitir a cicatrização. Isso pode ser feito usando uma bota ortopédica, gesso ou uma tala, dependendo da gravidade da lesão.
  • Repouso: Evitar colocar peso no pé afetado é essencial para permitir que o osso se cure. O paciente pode precisar de muletas para ajudar na mobilidade sem colocar peso no pé.

2. Fisioterapia:

  • Reabilitação: Em alguns casos, a fisioterapia pode ser recomendada para ajudar a restaurar a força, a flexibilidade e a função do pé afetado após a cicatrização da fratura.

3. Cirurgia:

  • Fixação cirúrgica: Em fraturas mais complexas, como fraturas cominutivas, fraturas deslocadas ou fraturas instáveis, a cirurgia pode ser necessária. Durante a cirurgia, os fragmentos ósseos podem ser realinhados e fixados com pinos, placas ou parafusos para garantir a estabilidade e a recuperação adequada.
  • Cirurgia de alívio da pressão: Em casos de fraturas nos metatarsos que afetam o suprimento sanguíneo para a área, pode ser necessária uma cirurgia para aliviar a pressão e restaurar o fluxo sanguíneo.

4. Acompanhamento médico:

  • É fundamental seguir as orientações do especialista e fazer acompanhamento regular para monitorar o progresso da cicatrização e garantir que o tratamento seja eficaz.

A escolha do tratamento depende da avaliação clínica do especialista e das características da fratura ou lesão.

Em geral, fraturas mais simples podem ser tratadas de forma conservadora, enquanto fraturas mais complexas podem exigir intervenção cirúrgica.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé).

A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe.

É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo.

Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas.

O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro.

A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: