O que é uma Mosaicoplastia?

A mosaicoplastia é considerada um procedimento seguro e eficaz para tratar lesões localizadas da cartilagem, particularmente no joelho.

Essa técnica cirúrgica é minimamente invasiva, especialmente quando realizada por artroscopia, e tem como objetivo reparar defeitos na cartilagem ao transplantar “plugs” de cartilagem saudável de uma área não essencial da articulação para o local da lesão.

Agendar sua Avaliação

Apesar de sua segurança geral, como qualquer procedimento cirúrgico, requer cuidados específicos tanto no pré quanto no pós-operatório para maximizar o sucesso e minimizar os riscos de complicações.

Descubra mais quais cuidados são importantes no pré e pós procedimento no artigo a seguir.

O que é uma Mosaicoplastia?

foto de mosaicoplastia

Agendar sua Avaliação

A mosaicoplastia é uma técnica cirúrgica ortopédica utilizada para tratar defeitos na cartilagem articular, especialmente no joelho, mas também pode ser aplicada em outras articulações como o tornozelo e quadril.

A Mosaicoplastia é uma técnica indicada para casos de lesões que não são extensas o suficiente para requerer uma substituição total da articulação, mas são grandes demais para serem tratadas com métodos mais simples de reparação da cartilagem.

Em quais casos o procedimento cirúrgico Mosaicoplastia do joelho é necessário?

foto de mosaicoplastia

A mosaicoplastia do joelho é necessária em casos específicos de lesões ou defeitos na cartilagem articular.

Essas situações geralmente incluem:

Lesões osteocondrais

Lesões que afetam tanto a cartilagem quanto o osso subjacente.

Isso pode ocorrer devido a um trauma direto no joelho ou outra articulação, resultando em uma área danificada que necessita reparação.

Osteocondrite dissecante

Uma condição em que um fragmento do osso e da cartilagem se solta dentro da articulação, devido a falta de fluxo sanguíneo ou traumas repetidos, causando dor e comprometendo a mobilidade.

Defeitos da cartilagem articular

Situações em que a cartilagem que reveste a superfície articular sofre danos devido a lesões esportivas, acidentes ou degeneração articular, mas o dano não é extenso o suficiente para justificar uma substituição total da articulação.

Condromalácia

Embora a mosaicoplastia não seja o tratamento de primeira linha para condromalácia (amolecimento da cartilagem sob a patela), ela pode ser considerada em casos selecionados onde há lesões localizadas profundas.

Necrose avascular de pequenas áreas

Esta condição ocorre quando uma pequena área do osso perde seu suprimento de sangue, levando à morte do tecido ósseo e da cartilagem.

A mosaicoplastia pode ser utilizada para tratar esses pequenos defeitos.

Falha de outros tratamentos conservadores ou cirúrgicos

Pacientes que não responderam bem a outras formas de tratamento conservador ou cirúrgico (como microfratura ou transplante de células cartilaginosas) podem ser candidatos à mosaicoplastia.

Quais cuidados são importantes no pré-operatório de Mosaicoplastia do joelho?

Antes de se submeter a uma mosaicoplastia do joelho, é crucial que o paciente siga uma série de cuidados preparatórios para garantir o sucesso da cirurgia e otimizar a recuperação.

Avaliação médica completa

Consulta com o especialista

Uma avaliação detalhada pelo ortopedista ou cirurgião responsável é essencial para discutir os riscos, benefícios e expectativas do pré-operatório no joelho.

Exames pré-operatórios

Testes de imagem no joelho (como ressonância magnética e raio-X) para avaliar a extensão da lesão na cartilagem e planejar a cirurgia.

Exames de sangue e outras avaliações podem ser necessários para verificar a condição geral de saúde.

Fisioterapia pré-operatória

foto de mosaicoplastia

Fortalecimento muscular

Exercícios para fortalecer os músculos ao redor da articulação do joelho, principalmente os quadríceps e isquiotibiais, para oferecer suporte e estabilidade.

Melhora da mobilidade

Trabalho para manter ou aumentar a amplitude de movimento do joelho, o que é crucial para a recuperação pós-operatória.

Redução do inchaço

Técnicas de drenagem linfática e uso de compressas frias podem ser recomendadas para diminuir o inchaço no joelho.

Educação

Orientação sobre o que esperar após a cirurgia e como se preparar para o período de recuperação, incluindo o uso de muletas ou andadores, se necessário.

Organizar o ambiente doméstico

Adaptar a casa para facilitar a mobilidade sem esforço adicional, como manter objetos de uso diário ao alcance e evitar obstáculos.

Evitar medicamentos e substâncias

Certos medicamentos, como anti-inflamatórios e suplementos, podem precisar ser interrompidos no período pré-operatório conforme orientação do especialista.

Também é aconselhável evitar o consumo de álcool e tabaco, pois podem afetar a cicatrização.

Como é feita a cirurgia de Mosaicoplastia do joelho ?

A cirurgia de mosaicoplastia é uma técnica ortopédica usada para tratar lesões de cartilagem, especialmente no joelho.

Essa técnica envolve a retirada de pequenos cilindros de osso e cartilagem de áreas não essenciais do próprio joelho do paciente ou de um doador, e então estes são transplantados para a área danificada.

A principal finalidade dessa cirurgia é preencher os defeitos na cartilagem, promovendo um ambiente mais propício para a regeneração e ajudando a restaurar a superfície do joelho.

O procedimento é geralmente feito com auxílio de artroscopia, um método menos invasivo que permite ao cirurgião visualizar o interior do joelho através de uma microcâmera.

A artroscopia minimiza o trauma cirúrgico e pode contribuir para uma recuperação mais rápida e menos dolorosa. Durante a cirurgia, o cirurgião faz pequenas incisões por onde a câmera e os instrumentos cirúrgicos são inseridos.

Os “plugs” de osso e cartilagem retirados de outra região do fêmur, onde não há contato significativo com outras superfícies articulares, são cuidadosamente preparados e inseridos nos defeitos da cartilagem no local da lesão.

Isso é feito de maneira a imitar o padrão natural da cartilagem tanto quanto possível, o que é referido como “mosaico”, daí o nome mosaicoplastia.

Como funciona o pós-cirurgico de Mosaicoplastia do joelho?

foto de mosaicoplastia

O pós-operatório de uma cirurgia de mosaicoplastia segue um protocolo cuidadoso para assegurar a melhor recuperação possível e o sucesso do procedimento.

Este período é crucial para garantir que os transplantes de cartilagem se integrem corretamente à área lesionada e que o paciente recupere a função articular de forma eficaz.

Vejamos os principais aspectos do pós-operatório:

Imediato pós-operatório

Inicialmente, é recomendado manter o membro operado elevado para reduzir o inchaço.

O joelho também pode ser imobilizado ou suportado por órteses para evitar movimentos que possam comprometer os enxertos de cartilagem.

Medicação para dor será prescrita pelo médico para gerenciar o desconforto pós-cirúrgico. O uso correto desses medicamentos é fundamental para uma recuperação confortável.

Fisioterapia

foto de mosaicoplastia

A fisioterapia desempenha um papel fundamental na recuperação após uma cirurgia de mosaicoplastia, contribuindo de forma significativa para o sucesso do procedimento.

Ela é projetada para maximizar a recuperação da função articular enquanto minimiza as complicações potenciais.

Acompanhamento médico

Consultas regulares com o cirurgião ortopédico estão programadas para monitorar a cicatrização e a integração dos transplantes de cartilagem.

Exames de imagem, como a ressonância magnética, podem ser solicitados para avaliar o progresso da recuperação.

Retorno às atividades

O retorno às atividades diárias e esportivas é gradual e depende da recuperação individual.

Atividades de baixo impacto podem ser retomadas mais rapidamente, mas esportes que envolvem corrida, saltos ou contato físico podem exigir uma recuperação mais longa, podendo variar de 6 a 12 meses.

Como funciona a fisioterapia no pós-operatório da Mosaicoplastia do joelho?

foto de mosaicoplastia

Os benefícios da fisioterapia no pós-operatório da Mosaicoplastia do joelho abrangem várias dimensões, incluindo:

Controle e redução da dor

Técnicas de liberação podem ser utilizadas para reduzir o inchaço e a inflamação local.

Melhoria da mobilidade articular

A fisioterapia também ajuda a evitar a rigidez articular, uma complicação comum após períodos de imobilização.

Amplitude de movimento

Exercícios específicos são introduzidos gradualmente para aumentar a amplitude de movimento do joelho, retornando progressivamente à sua capacidade funcional.

Estabilidade articular

Músculos mais fortes promovem melhor estabilidade ao joelho, protegendo a articulação e os transplantes de cartilagem.

Fortalecimento muscular

A perda de força muscular é uma consequência comum da cirurgia e da subsequente inatividade. Exercícios de fortalecimento ajudam a recuperar a força dos músculos ao redor do joelho, especialmente o quadríceps e os isquiotibiais.

foto de mosaicoplastia

Melhora na funcionalidade

A fisioterapia auxilia na reintegração segura a atividades recreativas, esportivas e profissionais, ajustando o programa de reabilitação às necessidades individuais do paciente.

Prevenção de lesões

Ao melhorar a função e a estabilidade do joelho, a fisioterapia também pode ajudar a prevenir lesões subsequentes.

Promoção da autonomia

Ensinar o paciente exercícios e técnicas que ele pode realizar em casa é essencial para a continuidade do processo de reabilitação e para promover a independência.

Qual o tempo de recuperação da Mosaicoplastia do joelho?

O tempo de recuperação após o procedimento cirúrgico de mosaicoplastia do joelho pode variar significativamente de acordo com vários fatores, incluindo a extensão da lesão de cartilagem tratada, a localização exata da lesão, as técnicas específicas utilizadas durante a cirurgia, a saúde geral do paciente, e o seu comprometimento com o programa de reabilitação pós-operatória.

No entanto, pode-se fornecer algumas diretrizes gerais sobre o que esperar durante o processo de recuperação:

Fases iniciais (1-6 semanas)

Nas primeiras semanas após a cirurgia, o foco está na cicatrização, redução da dor e do inchaço, e na prevenção de complicações.

Durante este período, é comum que o paciente use muletas ou outro suporte para limitar a carga de peso sobre o joelho operado.

A fisioterapia começa logo após a cirurgia, inicialmente com exercícios leves destinados a promover a mobilidade articular sem comprometer os enxertos de cartilagem.

Fase intermediária (6-12 semanas)

Esta fase concentra-se no aumento gradual da carga de peso e no fortalecimento muscular, com o objetivo de restaurar a função do joelho.

Exercícios de amplitude de movimento e fortalecimento são intensificados, sempre respeitando os limites de dor e o processo de cicatrização.

Fase avançada (3-6 meses)

Durante este período, o paciente continua a trabalhar no fortalecimento muscular, na estabilidade do joelho, e na recuperação da funcionalidade completa.

A reintrodução a atividades mais intensas, incluindo esportes de baixo impacto, pode começar, dependendo da resposta do indivíduo à reabilitação.

Retorno completo às atividades (6-12 meses)

O retorno completo a atividades esportivas de alto impacto ou ao trabalho físico intenso pode levar de 6 a 12 meses, e em alguns casos, até mais tempo.

É crucial que o retorno às atividades seja guiado pela completa recuperação da força, estabilidade, e funcionalidade do joelho, além da ausência de dor.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A base da proposta do Instituto TRATA está centrada na ideia de inovação no tratamento das extremidades inferiores, abrangendo quadril, joelho e pé. A asseguração de resultados eficazes espelha os métodos seguidos pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente passa por uma avaliação clínica detalhada realizada por um especialista da equipe. Esse inicial procedimento possibilita uma orientação direcionada ao tratamento, considerando o quadro individual de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

Posteriormente, o paciente passa por uma avaliação cinemática dos movimentos corporais. O objetivo é examinar a organização dos ossos e músculos em resposta à gravidade e às forças que atuam no corpo humano. Para essa finalidade, empregamos um software especializado de análise de movimento chamado TrataScan. Sua tecnologia avançada permite identificar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que podem resultar em quadros inflamatórios ou dolorosos, por exemplo.

Durante essa fase, é possível avaliar assimetrias, padrões motores, lesões associadas, presença de compensações e determinar quais estruturas necessitam de intervenção.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

A etapa final envolve a implementação do protocolo de tratamento para lesões nas extremidades inferiores, desenvolvido pela rede e embasado em evidências científicas.

A atenção é direcionada para o alinhamento biomecânico das extremidades inferiores, visando aprimorar a condição do paciente (evitando recidivas) e, consequentemente, proporcionar uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Não há um atendimento padronizado. Analisamos as necessidades individuais de cada paciente e desenvolvemos a abordagem de tratamento mais adequada para cada caso.

A incorporação da tecnologia é uma parte integral do nosso programa de tratamento, com o propósito de proporcionar aos pacientes as mais avançadas técnicas no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: