O que fazer com o joelho inchado?

Você já teve o joelho inchado após uma longa caminhada, um dia cansativo ou uma pancada? Você já deve ter vivido alguma dessas situações. Por vezes, esse inchaço vem acompanhado de dor e desconforto ou de dificuldade para se locomover.

Em outros casos, porém, o problema só aparece mesmo após uma mudança no nível de atividade física, e nada mais.

Agendar sua Avaliação

A ocorrência dessas alterações é bastante comum, o que não significa, no entanto, que o joelho inchado é algo que não merece atenção. Descubra neste artigo a causa de situações assim e o que fazer com o joelho nesta condição!

Porque o nosso joelho incha?

O joelho inchado, ou edema, ocorre quando há o acúmulo de líquido sinovial, sangue ou pus na região. Esses acúmulos tornam a articulação mais rígida e, normalmente, o indivíduo sente dificuldade em movimentá-la.

O aparecimento do edema pode ser bastante rápido, imediatamente ou em até de duas a seis horas após uma atividade física mais intensa, podendo também ser mais lento, como situações em que o inchaço começa a aparecer hoje, e o volume vai aumentando com o passar dos dias.

Agendar sua Avaliação

Cada uma dessas condições de formação do inchaço indicam uma causa diferente e merecem atenções e abordagens igualmente diversas.

“Tipos” de inchaço no joelho

O joelho inchaod pode ter muitos sintomas associados.

Outra característica que diferencia possíveis causas do inchaço no joelho é a presença de outros sintomas associados. Por exemplo, quando a região inchada apresenta-se arroxeada (presença de hematoma), provavelmente é fruto de uma pancada ou contusão.

Quedas ou traumas por impactos são bastante comuns durante a prática de esportes, principalmente em atividades que promovem contato direto com outras pessoas, como o futebol.

Esses sinais também podem ser indicativos de uma entorse, ou seja, uma torção, e nessa situação, pode ter havido uma lesão de ligamento, cartilagem ou meniscos. Os meniscos têm função primordial no corpo, pois são cartilagens fibrosas que, dentre outras fatores, ajudam a equilibrar as cargas que passam sobre o fêmur e a tíbia.

Por outro lado, se o joelho apresenta coloração avermelhada, é sugestivo de um processo infeccioso ou inflamatório. Nesse caso, é comum também perceber muita dor e certo calor na articulação acometida.

Causas do joelho inchaço

Como já foi possível perceber, os motivos que levam ao inchaço do joelho são diversos. Porém, há várias outras causas que podem levar a essa condição, como uma série de doenças. Para que você conheça algumas delas, listamos as causas mais comuns do problema:

  • A primeira causa de inchaço recorrente tem relação com traumas diretos ou entorses. Imagine, por exemplo, um indivíduo que pratica uma atividade física como o futsal.

Durante uma partida, ele com certeza entra em divididas pela bola, dá “encontrões” em outros jogadores, e cai pela quadra. Todos esses impactos podem comprometer tendões, bursas, meniscos, cartilagens ou ligamentos dos joelhos. Normalmente, o inchaço, nesse caso, acontece em até duas horas após o impacto.

  • Em segundo lugar no “ranking” de causas, aparece a artrite reumatoide. A artrite é uma doença autoimune, em que o corpo começa a produzir anticorpos que atacam o tecido sinovial (membrana que recobre as articulações) de uma articulação. O tecido sinovial faz contato direto com o líquido sinovial, que por sua vez, tem a função de lubrificar e permitir o movimento indolor nas juntas.

Como se trata de um processo inflamatório, a artrite tem entre seus sinais, sintomas como dor, vermelhidão no joelho, rigidez, calor e sensibilidade na região.

Se a artrite é provocada por bactérias ou outro microrganismos, que penetram o tecido sinovial, ela é chamada de artrite séptica ou pioartrite. Nessa situação, o joelho se enche de pus e sofre com dor intensa. Além disso, uma característica bem importante é que o indivíduo ainda costuma apresentar febre.

Lesões e artrites podem levar a joelho inchado.

  • A osteoartrite, por sua vez, atinge principalmente pessoas idosas, com mais de 65 anos de idade. Também chamada de artrose, ela acontece quando a cartilagem localizada entre os ossos do joelho está desgastada, o que provoca uma superprodução do líquido sinovial. Como consequência, pode haver o contato direto entre os tecidos ósseos.

Esse desgaste é característico do uso contínuo das articulações. O joelho acaba inchando e sofrendo com a dor intensa. A doença é crônica, mas o paciente pode sofrer com períodos de agudização ao longo da vida.

Para todos os tipos de artrite, existem fatores de risco. Um deles é a obesidade, que aumenta a pressão sobre o joelho. O histórico familiar da doença também predispõe o sujeito ao desenvolvimento da condição, assim como o envelhecimento. Além disso, mulheres estão mais sujeitas ao problema.

  • Há ainda a bursite. Esta é uma condição que resulta da inflamação nas bursas, pequenas bolsas que abrigam o líquido sinovial que, como já citado, lubrifica as articulações. Essas bolsas evitam o atrito entre tendões, pele e músculos. Se por algum motivo o líquido é produzido em excesso, essas bolsas aumentam de tamanho e causam o inchaço da região.

A bursite geralmente é desencadeada por traumas diretos ou por movimentos repetitivos. Por isso, a prática de esportes de forma inadequada é considerada um fator de risco para a condição.

  • Gota e cisto de Baker

A gota é o resultado do acúmulo de cristais de ácido úrico microscópico na articulação do joelho. A enfermidade é caracterizada por uma dor aguda e súbita, vermelhidão e calor intenso nas articulações.

Uma crise de gota costuma ser bastante desconfortável, e é mais comum em homens que ingerem álcool, carne vermelha e frutos do mar. A pseudogota possui essas mesmas características, mas é provocada pelo acúmulo de cristais de pirofosfato de cálcio em uma articulação.

Finalmente, há a possibilidade de desenvolvimento de um cisto de Baker. O cisto é uma bolsa de líquido sinovial que surge na parte posterior do joelho. Ela aparece como consequência de uma artrite, ruptura do menisco ou outros problemas no joelho. Com isso surge o inchaço na região, bem como uma sensação de aperto na parte posterior da perna.

O que fazer com o joelho inchado?

Compressas de gelo são excelentes para aliviar o joelho inchado.

A primeira ação a se tomar ao perceber o inchaço do joelho é optar pelo repouso. O indivíduo pode ficar tanto deitado, quanto sentado: o importante é que a perna seja colocada em uma superfície mais alta que o corpo, como um banco ou algumas almofadas, de preferência com o joelho reto (em extensão) e não dobrado.

Se essa suspensão não for possível, é interessante pelo menos evitar ficar em pé ou praticar atividades que provoquem dor e mais sobrecarga na articulação.

Outra medida que ajuda a aliviar o inchaço é fazer a chamada crioterapia (aplicação de compressas de gelo no local do edema). A aplicação de pacotes de gelo provoca a anestesia da região e, sobretudo, evita que o inchaço progrida ou se forme.

A aplicação deve durar de 20 a 30 minutos e ao mesmo tempo, é eficaz fazer a compressão do gelo sobre o joelho com uma faixa elástica ou um pedaço de tecido.

Remédios analgésicos e anti-inflamatórios também podem ser tomados, de acordo com a indicação do médico e apenas nos períodos indicados pelo mesmo.

Procure o médico ou o fisioterapeuta!

Se o edema não diminuir em até sete dias, é fundamental procurar o médico ou o seu fisioterapeuta, assim como em situações em que o paciente apresentar quadros de dor muito aguda, grande dificuldade de locomoção ou então febre superior a 38ºC. Esses sinais são indicativos que o problema é bem maior do que algo resultante de uma contusão simples.

Dessa forma, a inflamação deverá ser definida de acordo com sua causa e tratada conforme necessário. Após a consulta com o especialista, ele poderá indicar o medicamento mais adequado e potente ao tratamento da doença especificada no diagnóstico.

Ele também poderá fazer a retirada do líquido acumulado, se for essa a situação, e indicar a necessidade de cirurgia e ainda receitar a realização de sessões de fisioterapia.

Com o fisioterapeuta, o paciente trabalha na melhora da sua locomoção, das dores e também da eliminação de muitos dos fatores que podem ter relação causal com o edema. Como no caso de uma artrose: o trabalho fisioterapêutico envolve orientação ao indivíduo e prescrição de exercícios localizados de modo que suas articulações não sejam mais sobrecarregadas, evitando, assim, episódios de inchaço.

No Instituto Trata, o paciente é avaliado segundo sua condição física e histórico familiar e de saúde. Em seguida, os métodos de tratamento mais adequados ao seu corpo são iniciados e acompanhados por especialistas.

A tecnologia também auxilia nessas avaliações, de modo que o diagnóstico e tratamento sejam os mais específicos e individualizados possíveis.

Conclusão

O joelho inchado é um problema que atinge muitas pessoas e, geralmente, surge após uma lesão ou movimentos repetitivos. Se não tratado adequadamente, esse inchaço pode evoluir, e se tornar algo mais grave.

Lembre-se sempre de procurar ajuda especializada ao notar alguns dos sintomas mencionados neste artigo.

Obrigado pela leitura.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: