Perna de alicate: entenda sobre a condição

Os pais costumam se preocupar bastante com o alinhamento dos membros inferiores dos filhos. É natural que, em sua fase de desenvolvimento, a criança tenha os membros um pouco desalinhados. Até os dois anos de idade, as pernas podem ser mais arqueadas (joelhos afastados um do outro), daí a expressão “perna de alicate” (joelho varo).

pessoa com perna de alicate

Agendar sua Avaliação

Ainda na infância, esse desalinhamento pode se inverter, os joelhos ficarem próximos um do outro, condição chamada de joelhos em X (joelho valgo).

Essas alterações costumam ser sutis, não causando dor na criança e nem impedindo a realização de atividades normais.

O problema se dá quando o desalinhamento não se corrige na vida adulta.

Agendar sua Avaliação

Joelho valgo e Joelho varo

tipos de joelho

O joelho alinhado tem o seu eixo de carga em uma linha que desce pelo meio da perna, e passa pelo quadril, joelho e tornozelo. Entretanto, podem surgir desalinhamentos ósseos com direções distintas, chamados de:

Joelho varo: são os joelhos “para fora” da linha média do corpo. As pernas lembram um alicate, daí a denominação popular da condição “perna de alicate”. O eixo de suporte de carga da perna se desloca para dentro, o que causa mais estresse e força na estrutura interna do joelho. Além da presença (mais comum) do desalinhamento em crianças até dois anos de idade, a perna de alicate pode surgir em pessoas com raquitismo ou malformações congênitas.

Joelho valgo: são as pernas em formato de X. Aqui os joelhos já estão bem próximos e os pés afastados, deslocando o eixo de suporte de carga para fora. Mulheres são mais acometidas, em virtude do quadril mais largo e da menor quantidade de massa muscular na região. Joelho valgo com desalinhamento acentuado pode ser fator de risco para alguns problemas, como tendinites, bursites e artrose.

Tem tratamento para perna de alicate?

Tanto as “pernas em x” como a “perna de alicate” são condições que colocam maior estresse nos joelhos, em especial na cartilagem articular que cobre as superfícies ósseas.

Existe tratamento!

Diferentes recursos podem ser empregados para corrigir o desvio e fortalecer a musculatura das estruturas envolvidas. Técnicas conservadoras, sem procedimentos mais invasivos, podem ser suficientes para tratar a perna de alicate e as pernas em X, bem como as consequências associadas a essas condições.

Mas é fundamental procurar um especialista para avaliar o quadro e indicar a melhor abordagem de tratamento para cada caso.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

fisioterapeuta liberando o joelho

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé). A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

– O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe. É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

fisioterapeuta avaliando paciente

– A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo. Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

avaliação cinemática dos movimentos do corpo

– O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas. O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro. A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: