Impacto Femoroacetabular tipo Pincer: sintomas, causas e tratamento

O Impacto Femoroacetabular (IFA) tipo Pincer representa uma condição desafiadora que afeta a articulação do quadril.

Este artigo visa fornecer uma visão abrangente sobre o IFA tipo Pincer, abordando suas causas, sintomas e possíveis tratamentos para essa condição.

Agendar sua Avaliação

foto de pincer

O que é o Impacto femoroacetabular?

O Impacto Femoroacetabular (IFA) refere-se a um conjunto de condições em que há um contato anormal entre a cabeça do fêmur (osso da coxa) e o acetábulo (parte do osso da pelve que forma a articulação do quadril).

Esse contato anormal pode levar a danos nas estruturas articulares e causar dor no quadril.

Agendar sua Avaliação

Quais são os tipos?

foto de pincer

Os tipos de Impacto Femoroacetabular (IFA) estão relacionados às características anatômicas específicas que causam o contato anormal entre a cabeça do fêmur e o acetábulo.

Tipo Pincer

Descrição: No tipo pincer, há uma cobertura excessiva da cabeça do fêmur sobre o acetábulo.

Isso pode resultar de um acetábulo mais profundo ou de uma cobertura óssea extra ao redor da borda do acetábulo.

Impacto: O encaixe excessivamente apertado pode levar a um contato aumentado entre a cabeça do fêmur e o acetábulo, resultando em fricção e desgaste anormal.

Tipo Cam

Descrição: Neste tipo, há uma deformidade na cabeça do fêmur, geralmente na área do colo femoral ou da transição entre a cabeça e o colo.
Essa deformidade pode causar um formato mais arredondado ou protuberante na cabeça do fêmur.

Impacto: Durante certos movimentos do quadril, a protuberância da cabeça do fêmur pode entrar em contato anormal com o acetábulo, levando a danos nas estruturas articulares.

Tipo Misto

Descrição: O tipo misto envolve características de ambos os tipos cam e pincer.

Pode haver uma deformidade na cabeça do fêmur e uma cobertura excessiva do acetábulo, combinando os elementos dos dois tipos.

Quais são os sintomas do Impacto femoroacetabular tipo Pincer?

foto de pincer

Os sintomas associados ao Impacto Femoroacetabular tipo Pincer podem incluir:

Dor no quadril

Dor é um sintoma comum e pode ocorrer na virilha, na parte frontal do quadril ou na região lombar.

A dor pode ser sentida durante a atividade física, especialmente ao realizar movimentos específicos do quadril.

Rigidez ou limitação de movimento

O encaixe apertado pode levar a uma sensação de rigidez no quadril, dificultando a realização de certos movimentos, como flexão ou rotação.

Estalos ou cliques no quadril

O contato anormal entre a cabeça do fêmur e o acetábulo pode resultar em sons audíveis, como estalos ou cliques, durante os movimentos do quadril.

Desenvolvimento de labrum do quadril

O impacto pincer pode causar lesões no labrum do quadril, que é uma cartilagem em forma de anel que reveste a borda do acetábulo. Lesões no labrum podem contribuir para a dor e a limitação de movimento.

Possível desenvolvimento de artrose

Se não for tratado, o impacto pincer pode levar a danos progressivos nas estruturas articulares, aumentando o risco de desenvolvimento de osteoartrite do quadril ao longo do tempo.

 

É importante notar que os sintomas podem variar de pessoa para pessoa, e nem todos os indivíduos com Impacto Femoroacetabular tipo Pincer experimentarão todos esses sintomas.

Além disso, a gravidade dos sintomas também pode variar.

Quais são as causas do Impacto femoroacetabular tipo Pincer?

Descubra algumas das causas possíveis abaixo.

Desenvolvimento ósseo anormal

O IFA tipo Pincer pode resultar de um desenvolvimento ósseo anormal no acetábulo, levando a uma cobertura excessiva da cabeça do fêmur.
Isso pode ser causado por fatores genéticos ou ocorrer durante o crescimento.

Alterações morfológicas

Certas características morfológicas, como um acetábulo mais profundo ou uma protusão óssea extra na borda do acetábulo, podem contribuir para o encaixe apertado.

Fatores genéticos

A predisposição genética pode desempenhar um papel no desenvolvimento de deformidades ósseas que contribuem para o Impacto Femoroacetabular tipo Pincer.

Histórico de lesões ou traumas

Lesões ou traumas anteriores na articulação do quadril podem contribuir para mudanças anatômicas que levam ao encaixe apertado.

Estilo de vida e atividades físicas

Algumas atividades físicas, especialmente aquelas que envolvem movimentos repetitivos do quadril, podem contribuir para o desenvolvimento do IFA tipo Pincer em indivíduos predispostos.

 

É importante observar que, em muitos casos, a causa exata do Impacto Femoroacetabular pode ser multifatorial, envolvendo uma combinação de fatores genéticos e ambientais.

Além disso, o IFA pode se desenvolver ao longo do tempo e se tornar aparente em adultos jovens, especialmente aqueles envolvidos em atividades físicas intensas.

Impacto femoroacetabular tipo Pincer tem cura?

O tratamento do Impacto Femoroacetabular (IFA), incluindo o tipo Pincer, depende de vários fatores, como a gravidade dos sintomas, a idade do paciente, a presença de lesões adicionais e a resposta ao tratamento.

Embora o termo “cura” possa ser complexo quando se trata de condições ortopédicas, muitas pessoas experimentam alívio significativo dos sintomas com intervenções apropriadas.

Tratamento para Impacto femoroacetabular tipo Pincer

foto de pincer

O tratamento para o Impacto Femoroacetabular (IFA) tipo Pincer pode variar de acordo com a gravidade dos sintomas, a presença de lesões adicionais, a idade do paciente e outros fatores individuais.

Geralmente, o tratamento pode envolver uma combinação de abordagens conservadoras e, em alguns casos, intervenções cirúrgicas.

Tratamento Conservador

Fisioterapia

foto de pincer

Um programa de exercícios supervisionado por um fisioterapeuta pode ser prescrito para fortalecer os músculos ao redor do quadril, melhorar a estabilidade e a flexibilidade, e ajudar a aliviar a dor.

Injeções intra-articulares

Injeções de corticosteroides ou ácido hialurônico podem ser administradas diretamente na articulação do quadril para proporcionar alívio temporário da dor e reduzir a inflamação.

Modificação da atividade

Evitar atividades que exacerbem os sintomas pode ser recomendado para reduzir a carga na articulação do quadril.

Perda de peso

Em casos em que o excesso de peso está contribuindo para os sintomas, a perda de peso pode ser aconselhada para reduzir a carga na articulação do quadril.

Cirurgia

Se o tratamento conservador não for eficaz ou se houver danos significativos na articulação, a cirurgia pode ser considerada.

Artroscopia do quadril

Um procedimento minimamente invasivo no qual o cirurgião utiliza pequenas incisões e instrumentos especiais para corrigir a anatomia e reparar lesões.

Osteotomia

Em casos mais graves, pode ser realizada uma osteotomia para remodelar o osso e corrigir a anatomia.

A escolha do tratamento dependerá da avaliação do especialista, que levará em consideração a condição específica do paciente.
A cirurgia é geralmente reservada para casos mais graves ou quando o tratamento conservador não é eficaz.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé).

A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe.

É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo.

Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas.

O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro.

A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: