Pubalgia

Pubalgia é um termo que indica dor na sínfise púbica, com a dor irradiada para a região da virilha e parte inferior do abdômen. Esse tipo de quadro é bem mais comum em homens do que em mulheres e pode estar relacionada à prática de atividade física ou então, outras patologias. 

De fato, a pubalgia é uma lesão bastante comum em homens que praticam futebol, por exemplo.

Agendar sua Avaliação

Leia mais sobre o assunto abaixo!

Quais são as causas da pubalgia?

desenho em 3D dos ossos da pelve mostrando pubalgia
A causa da pubalgia pode ter relação com desequilíbrio muscular.

As causas que levam à pubalgia ainda são controversas. Mas, acredita-se que o quadro de dor na região do púbis seja resultado de desequilíbrio muscular, entre os músculos reto abdominal e adutores. 

Com esse desequilíbrio, os tendões musculares dessa região ficam inflamados, o que leva ao quadro de dor. 

Agendar sua Avaliação

No futebol, por exemplo, as lesões de pubalgia pode responder por até 60% de todas as lesões sofridas pelos atletas. Dessa forma, nota-se como ela é uma lesão bastante comum nos praticantes desse esporte. 

Em corredores, a pubalgia está bastante associada a treinos em terrenos muito irregulares, o que pode causar impactos na região do púbis, de uma forma que aumenta o risco de desenvolvimento do quadro de dor na região. 

Sintomas 

O principal sintoma da pubalgia é a dor na região inferior do abdômen e pode irradiar tanto para a virilha quanto para a parte interna das coxas. Em alguns casos, a dor pode incomodar bastante e o paciente pode sentir incômodo ao simplesmente caminhar, por exemplo. 

Dessa forma, a dor é mais sentida durante movimentos de chute, por exemplo, ou de exercícios de abdominais. A dor, inclusive, pode piorar quando o paciente tenta ficar em pé usando uma perna só. 

Além disso, alguns homens podem sentir na região do períneo durante o ato sexual.

Diagnóstico 

O diagnóstico de pubalgia deve ser feito pelo médico através da descrição da dor do paciente, bem como por exames de imagem que auxiliam no diagnóstico da doença. 

Algumas outras doenças também podem apresentar sintomas semelhantes à pubalgia, tais como hérnia inguinal e também síndrome do impacto femoroacetabular, por exemplo. Portanto, a avaliação criteriosa e exames clínicos de imagem são importantes para descartar outras hipóteses diagnósticas. 

No caso da pubalgia, os exames de imagem evidenciarão os tendões dos músculos reto abdominal e adutores inflamados. Além disso, as imagens também mostrarão inflamação nos ossos púbicos. 

Dentre os exames mais solicitados, primeiramente, é importante a solicitação de radiografias dos ossos do quadril, sobretudo se houve algum trauma recentemente, para descartar fraturas ósseas. 

Já o exame de ultrassom é importante para descartar a presença de hérnia inguinal. Por último, a ressonância magnética pode ser solicitada em casos de dúvida no diagnóstico inicial ou se há necessidade de informações mais detalhadas. 

Tratamento da pubalgia

imagem de homem correndo com dor na pelve por pubalgia
Existem algumas opções de tratamento para a pubalgia

 

O tratamento da pubalgia é, inicialmente, clínico e conservador, baseando-se em prescrição médica adequada e fisioterapia, além do repouso inicial. 

De fato, o repouso nos primeiros dias é importante para não trazer mais sobrecarga à região, que já está inflamada.

Mas, quando houver melhora do quadro doloroso, o paciente deve investir em tratamento fisioterapêutico, devido ao alto grau de reincidência da pubalgia, quando não há tratamento. 

Por ser um quadro doloroso causado por inflamação local, os medicamentos prescritos pelo médico ortopedista são analgésicos e anti-inflamatórios, os quais já costumam fornecer bom alívio dos sintomas. 

Porém, somente o tratamento medicamentoso não faz a pubalgia desaparecer e nem evita que o quadro retorne. Portanto, a fisioterapia é essencial no tratamento dos pacientes. 

Entretanto, o plano de tratamento fisioterapêutico para pubalgia costuma ser longo, mas é fundamental o paciente entender que necessita fortalecer a musculatura do abdômen e do quadril. 

Essa musculatura do abdômen é denominada CORE e quando fortalecida, há diminuição considerável no risco do retorno da pubalgia. 

Cirurgia para pubalgia 

A cirurgia para pubalgia só é recomendada quando o tratamento conservador não apresenta os resultados desejados. 

Para isso, a avaliação de um cirurgião ortopédico é essencial. Durante a cirurgia, os tendões dos músculos reto abdominal e adutores são soltos, promovendo alívio. Mas, a fisioterapia também é necessária após a cirurgia, no intuito de fortalecer a musculatura local. 

Fisioterapia para pubalgia 

A fisioterapia é parte integrante do tratamento para pubalgia. Assim, o profissional fisioterapeuta estabelecerá um plano de tratamento individualizado, buscando fortalecer a musculatura do abdômen, quadril e coxas de acordo com a necessidade de cada paciente.

Portanto, exercícios, como os descritos a seguir, podem fazer parte do plano de tratamento do paciente com pubalgia. 

Exercícios para pubalgia 

Fortalecimento das coxas 

Deitado de costas, coloque uma bola entre as pernas e eleve as pernas, pressionando a bola. Faça ao menos 15 repetições de pressão das pernas sobre a bola. 

Esse exercício também pode ser feito com uma banda de elástico. Assim, posicione a banda de elástico ligeiramente abaixo dos joelhos e force as pernas esticadas para fora. 

Mantenha a posição do elástico contraído por pelo menos 30 segundos e também faça 15 repetições. 

Elevação lateral da coxa 

Deitar de lado. Dobrar a perna de cima, apoiando a sola do pé no chão. Elevar a perna de baixo, porém tomando cuidado para não dobrar o joelho. 

Faça ao menos 15 repetições e depois deite-se sobre o outro lado e faça o mesmo exercício com a outra perna. 

Extensão lombar 

Deitado de barriga para baixo, coloque as mãos sobre a cabeça. Então, tente elevar os pés e os braços, tirando o peito do chão. 

Vá sempre no seu limite e respeite sua dor, caso comece a sentir incômodo. Esse é um exercício de fortalecimento e extensão lombar, o qual ajuda no tratamento da pubalgia. 

Exercícios de equilíbrio 

Exercícios que demandam equilíbrio (podendo ser realizados sobre uma prancha de equilíbrio ou bozu, por exemplo), são ótimos exercícios para pubalgia. 

Isso porque  o praticante deve contrair o abdômen para conseguir manter-se equilibrado, o que ajuda no fortalecimento do CORE. 

Pubalgia tem cura? 

Sim, o tratamento conservador costuma apresentar excelentes resultados em pacientes com pubalgia. Somente casos mais resistentes ou complexos têm indicação cirúrgica. A fisioterapia é um forte aliado na resolução do problema, prevenindo sua volta. 

Como prevenir pubalgia? 

A prevenção da pubalgia e de várias lesões ortopédicas, passa sempre pelo fortalecimento muscular adequado. Infelizmente, muitos atletas, tanto amadores quanto profissionais não levam o fortalecimento muscular tão a sério quanto deveriam. 

Com isso, a musculatura fragilizada é um forte fator de risco para o desenvolvimento de quadros de pubalgia. 

Outro fator importante é que muitos pacientes não fazem a fisioterapia necessária, quando a dor da pubalgia melhora com medicação. E assim, correm o risco do quadro de dor se tornar recorrente. 

No caso de corredores, treinos em regiões mais planas, com tênis com amortecimento adequado, além de exercícios próprios de fortalecimento para corredores, podem auxiliar a prevenção da pubalgia. 

Dessa forma, a melhor forma de prevenir a pubalgia é não exagerar nos treinamentos ou jogos, bem como fazer fortalecimento muscular adequado. 

E quando surgir dor na região, interromper a atividade e buscar diagnóstico adequado, além de ter boa aderência ao tratamento proposto.

Agendar sua Avaliação