Tendinite Glútea: sintomas, fisioterapia e exercícios

A tendinite glútea, também conhecida como tendinite do glúteo médio ou tendinite trocantérica, é uma condição em que o tendão que conecta os músculos glúteos à parte superior do osso do fêmur (osso da coxa) fica inflamado.

Nesse artigo você descobrir tudo sobre essa condição!

Agendar sua Avaliação

O que é tendinite?

A tendinite é uma condição caracterizada pela inflamação de um tendão, que é a estrutura fibrosa que conecta um músculo ao osso.

Os tendões desempenham um papel crucial na transmissão da força gerada pelos músculos para os ossos, permitindo assim o movimento das articulações.

Quando um tendão é submetido a um estresse excessivo ou repetitivo, pode ocorrer inflamação, levando à tendinite.

Agendar sua Avaliação

Saiba mais sobre os tendões do glúteo

Os músculos do glúteo são um grupo de músculos localizados na região das nádegas e desempenham um papel fundamental no suporte e movimento do quadril.

Dentre esses músculos, o glúteo máximo, o glúteo médio e o glúteo mínimo são os mais destacados.

Os tendões do glúteo estão associados principalmente ao glúteo médio e ao glúteo máximo.

Tendão do glúteo médio

O tendão do glúteo médio é a estrutura fibrosa que conecta o músculo glúteo médio ao osso.

Esse tendão é espesso e se estende da parte externa da pelve até a região lateral da coxa, onde se insere no trocânter maior do fêmur.

O trocânter maior é uma proeminência óssea no fêmur, localizada na parte superior da coxa.

Tendão do glúteo mínimo

Assim como o glúteo médio, o glúteo mínimo possui um tendão que o conecta ao osso.

O tendão do glúteo mínimo também se insere no trocânter maior do fêmur, mas geralmente em uma posição mais inferior em comparação ao tendão do glúteo médio.

Tendão do glúteo máximo

O tendão do glúteo máximo é robusto e se estende desde o músculo até a região posterior da coxa. Este tendão é importante para a extensão do quadril e contribui para a estabilidade do quadril durante atividades como caminhar, correr e subir escadas.

O tendão do glúteo máximo se insere na linha áspera do fêmur, uma crista óssea ao longo da parte posterior do osso.

Quais são os sintomas da tendinite glútea?

foto de tendinite glútea

A tendinite glútea, especialmente envolvendo o glúteo médio, pode apresentar diversos sintomas. Descubra abaixo alguns dos sintomas comuns associados à tendinite do glúteo:

Dor na região do quadril e nádegas

A dor é geralmente sentida na parte externa do quadril e pode se estender para as nádegas.

A intensidade da dor pode variar de leve a intensa.

Dor ao caminhar ou subir escadas

A atividade física, especialmente aquelas que envolvem movimentos laterais da perna, como caminhar ou subir escadas, pode aumentar a dor.

Dor durante o repouso noturno

Alguns indivíduos podem experimentar dor ao deitar-se de lado, já que isso pode aumentar a pressão sobre a área afetada.

Dificuldade em deitar do lado afetado

Deitar-se sobre o lado afetado pode ser desconfortável e doloroso.

Rigidez na região do quadril

Pode haver sensação de rigidez na região do quadril, especialmente após períodos de inatividade.

Fraqueza muscular ou instabilidade

A tendinite do glúteo médio pode levar a fraqueza muscular na região, o que pode resultar em instabilidade ao caminhar ou realizar atividades físicas.

Sensibilidade ao toque

A área ao redor do tendão afetado pode ser sensível ao toque.

Inchaço localizado

Em alguns casos, pode ocorrer inchaço na área afetada.

Causas

foto de tendinite glútea

A tendinite do glúteo, em especial envolvendo o glúteo médio, pode ser causada por diversos fatores. Alguns dos principais incluem:

Sobrecarga e uso excessivo

Atividades repetitivas que envolvem movimentos laterais da perna, como correr, subir escadas ou praticar esportes que requerem mudanças frequentes de direção, podem sobrecarregar o tendão do glúteo médio e levar à tendinite.

Lesões traumáticas

Lesões agudas, como quedas, impactos diretos na região do quadril ou acidentes, podem causar danos ao tendão do glúteo médio e desencadear a tendinite.

Desequilíbrios musculares

Desequilíbrios na musculatura ao redor do quadril, como fraqueza em certos grupos musculares e excesso de atividade em outros, podem contribuir para o desenvolvimento da tendinite.

Alterações na marcha ou postura

Problemas na marcha ou postura podem aumentar a carga sobre os tendões do glúteo, aumentando o risco de tendinite.

Envelhecimento

O envelhecimento natural pode desempenhar um papel, já que os tendões tendem a perder um pouco da sua elasticidade com o tempo, tornando-se mais suscetíveis a lesões e inflamações.

Atividade física repetitiva

Participar regularmente de atividades físicas que enfatizam os músculos do quadril sem o devido descanso pode aumentar o risco de tendinite.

Outras condições

Condições como a síndrome da banda iliotibial (BIT) ou bursite trocantérica também podem contribuir para a tendinite do glúteo, já que afetam a região do quadril e podem levar a irritação dos tendões.

Fatores anatomia e genética:

Algumas pessoas podem ter predisposição genética ou variações anatômicas que as tornam mais propensas a desenvolver tendinite do glúteo.

Tratamento para tendinite glútea

foto de tendinite glútea

O tratamento da tendinite glútea envolve abordagens que visam reduzir a inflamação, aliviar a dor e promover a recuperação. As principais estratégias incluem:

Repouso e modificação da atividade

Redução temporária ou modificação de atividades que possam contribuir para a tendinite, permitindo a recuperação.

Gelo

Aplicação de gelo para reduzir a inflamação.

Fisioterapia

Exercícios específicos e técnicas de fisioterapia para fortalecer os músculos, melhorar a postura e promover a recuperação.

foto de tendinite glútea

Injeções de corticosteroides

Administração de injeções de corticosteroides para aliviar a inflamação e a dor, especialmente se houver inflamação significativa.

Dicas para prevenir tendinite glútea na pratica de atividade física

foto de tendinite glútea

A prevenção da tendinite glútea, ou de qualquer tipo de tendinite, envolve práticas que visam reduzir o estresse nos tendões, promover a saúde muscular e articular, e minimizar fatores de risco.

Aquecimento adequado

Antes de iniciar qualquer atividade física, realize um aquecimento adequado para preparar os músculos e tendões para o esforço.

Fortalecimento muscular

Inclua exercícios de fortalecimento para os músculos do quadril, especialmente os glúteos médio e máximo.

Técnica adequada

Ao praticar esportes ou exercícios, mantenha uma técnica adequada para evitar padrões de movimento que possam sobrecarregar os tendões do glúteo.

Progressão gradual

Evite aumentar a intensidade ou a duração do exercício de forma abrupta.

Descanso adequado

Permita tempo suficiente para recuperação entre as sessões de treino.

Variedade de atividades

Evite a prática excessiva de uma única atividade física.

Calçados adequados

Utilize calçados apropriados para a atividade física escolhida.

Treinamento funcional

Inclua exercícios de treinamento funcional que melhorem a estabilidade e o controle do quadril.

Monitoramento dos sintomas

Esteja atento a qualquer sinal de desconforto ou dor durante ou após o exercício. Se detectar sintomas precoces, considere uma avaliação especializada antes que a condição se agrave.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé).

A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

Avaliação clínica detalhada

O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe.

É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

Avaliação cinemática dos movimentos do corpo

A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo.

Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

Protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores

O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas.

O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro.

A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: