Tendinites e Tendinopatias do Quadril

No quadril, os tendões dos músculos glúteos (máximo, médio e mínimo) são os mais acometidos por tendinites e tendinopatias. Nestes casos a dor se localiza na região lateral do quadril (sobre o trocânter do fêmur) podendo irradiar pela lateral da perna. Apesar de menos incidente, o tendão do músculo ílio-psoas e dos músculos adutores também são regiões comumente acometidas por processos degenerativos.

Atletas ou praticantes de atividades físicas que envolvem o uso excessivo das pernas são os mais afetados por tendinopatias/tendinites, como por exemplo o ciclismo, futebol e corrida. Os idosos também podem ser acometidos por esta condição devido às alterações estruturais nos tendões concomitantes ao envelhecimento.

Agendar sua Avaliação

Causas

Tendinites e Tendinopatias do quadril podem ser causadas por cargas excessivas.
Tendinites e Tendinopatias do quadril podem ser causadas por cargas excessivas.

 

O principal fator de risco para o aparecimento das tendinites ou tendinopatias envolve a relação de demanda e capacidade em músculos e tendões, ou seja, muitas vezes o indivíduo exige que os tendões suportem uma carga ou um volume de exercícios que esta estrutura AINDA não está preparada. Esta sobrecarga ocasiona alterações estruturais nos tendões desencadeando as tendinopatias/tendinites.

Além da relação de capacidade e demanda, outro fator de risco para o aparecimento das tendinopatias envolve o excesso de impacto do tendão contra proeminências ósseas. Além disso, pacientes que apresentam algumas anormalidades biomecânicas como o “valgo dinâmico” podem potencializar a sobrecarga em tendões específicos e alterar o vetor de força incidente sobre os mesmos, esta combinação de fatores pode acelerar o aparecimento das tendinites ou tendinopatias.

Agendar sua Avaliação

Estas alterações podem acometer, principalmente, corredores de longa distância e aqueles que fazem muitas provas de alta intensidade como provas que incluem subidas ou corridas de montanha. Entretanto, os sedentários podem desenvolver este tipo de patologia devido a falta de estímulos nos tendões, indivíduos sobrepesos apresentam alterações metabólicas e sistêmicas que influenciam no surgimento de tendinopatias e pacientes com disfunções biomecânicas sobrecarregam uma estrutura em detrimento de outras durante atividades de vida diária e/ou e podem apresentar este mesmo quadro clínico.

Sintomas

As tendinopatias geralmente causam dor próximo à articulações com piora à noite e são comumente conhecidas pela presença de um incômodo ao exigir de uma estrutura durante exercícios físicos ou atividades esportivas. Estas dores cessam com o repouso e reaparecem mas intensas quando o indivíduo retoma os exercício físico. Se não tratadas, o processo degenerativo se acentua cada vez mais, obrigando o paciente a abandonar a atividade física e o incapacitando de realizar atividades do dia a dia sem o incômodo da dor.

A espessura do tendão acometido pode estar aumentada dependendo do grau da tendinopatia. No quadril, a condição dolorosa pode irradiar para a perna. O paciente geralmente apresenta dificuldades para caminhar, correr, deitar e sentar sobre o lado afetado, nos joelhos é comum a queixa principal ser a incapacidade de subir e descer escadas em decorrências das fortes dores.

Diagnóstico e exames

O diagnóstico é feito por meio de um exame físico em que busca sinais de dor, sensibilidade, alteração da espessura do tendão acometido e perda de função. O paciente poderá realizar um exame de ressonância nuclear magnética (RNM) ou ultra-som (USG) para avaliação do nível de comprometimento do tendão e indicar o melhor tratamento.

Tratamento

O tratamento fisioterapêutico das tendinopatias é baseado em ajustar a carga ideal para a estrutura acometida, mantendo o paciente o mais ativo possível, utilizar exercícios de contrações isométricas visando o recrutamento muscular, o alívio da dor e o início à exposição gradativa a carga visando o fortalecimento muscular, além de recursos da eletrotermofoterapia como o laser e terapia combinada, além de liberação miofascial e terapia manual.

Após a diminuição do quadro álgico, o tratamento é direcionado para potencializar o ganho de força muscular e readaptar o tendão para que absorva e transmita cargas, flexibilidade e controle motor. O tratamento conservador apresenta ótimos resultados, podendo resolver completamente o caso em algumas semanas.

O tratamento que vai devolver a saúde dos seus membros inferiores

A proposta do Instituto TRATA está fundamentada no conceito de inovação, no que se refere ao tratamento de membros inferiores (quadril, joelho e pé). A garantia de resultados eficazes reflete os procedimentos adotados pela equipe:

– O paciente é submetido a uma avaliação clínica detalhada, feita por um especialista da equipe. É esse primeiro passo que viabiliza um direcionamento específico ao tratamento, de acordo com o quadro particular de cada paciente.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação

– A seguir, o paciente é levado a uma avaliação cinemática dos movimentos do corpo. A finalidade é analisar como os ossos e os músculos estão organizados na reação à gravidade e às forças atuantes no corpo humano. Para isso, utilizamos um software exclusivo de análise de movimento chamado TrataScan, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso, por exemplo. Assimetrias, padrões motores, lesões associadas, existência de compensações e quais estruturas devem ser trabalhadas são alguns pontos que podem ser avaliados durante essa etapa.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: avaliação cinemática 2D

– O último passo consiste na aplicação do protocolo de tratamento das lesões dos membros inferiores, formulado pela rede e baseado em evidências científicas. O foco se concentra no alinhamento biomecânico dos membros inferiores com o objetivo final de melhora do quadro do paciente (sem recidivas) e, por conseguinte, de uma maior qualidade de vida.

 Fisioterapia ortopédica e esportiva: exercício de fortalecimento

Nenhum atendimento é padrão. Avaliamos as necessidades específicas de cada paciente e montamos a abordagem de tratamento mais assertiva para cada quadro. A tecnologia faz parte do nosso programa de tratamento com o objetivo de oferecer aos pacientes o que há de mais avançado no tratamento conservador de Fisioterapia.

Agendar sua Avaliação

Esse Guia Exclusivo foi elaborado pelos Fisioterapeutas do maior grupo especializado da América Latina.

Preencha os dados para receber acesso de forma segura: