Travamento no quadril: saiba como tratar o problema

travamento-quadrilQuem pratica algum esporte se queixa com frequência de um travamento no quadril muitas vezes acompanhado de fisgada. Isso ocorre devido à prática de movimentos de rotação do quadril.
Atletas que praticam artes marciais, futebol e outros esportes que exigem contato precisam ficar atentos a qualquer sinal de travamento, pois nestes casos esse problema pode indicar uma lesão no quadril denominada de impacto Femoroacetabular (IFA).
Essa síndrome é uma condição em que os ossos da pelve (acetábulo) e do fêmur (colo femoral) possuem uma alteração no seu formato causando uma deformidade. Esse problema causa um encaixe imperfeito dos ossos danificando a articulação.
Além da alteração dos ossos no quadril, modificações na placa de crescimento do quadril em desenvolvimento e alterações biomecânicas nos membros inferiores também podem ser uma das causas da síndrome.
Os pacientes com essa síndrome podem sentir dor muscular, travamento da articulação e dor inguinal (virilha).
É importante consultar um médico para que seja feito exames para identificar a síndrome. Exames de imagem com Raio-X, tomografia computadorizada, ressonância nuclear magnética, entre outros.
O tratamento pode ser conservador ou cirúrgico. No caso de um tratamento conservador, a fisioterapia pode ser indicada. Exercícios podem ser feitos para correção biomecânica, fortalecimento muscular, equilíbrio e propriocepção podem ser associados à tecnologia de Eletrotermofototerapia para diminuir a dor e a inflamação.
Os pacientes que se submeteram a uma cirurgia também podem optar pela fisioterapia para recuperar o quadril no pós-operatório três ou quatro meses depois.

4 comentários em “Travamento no quadril: saiba como tratar o problema

  1. Boa tarde, eu fiz todos esses exames e fui diagnosticada com o pactofemuroacetabular.ja fiz infiltração viscobiolagica,mas agora as dores voltaram, ñ tomo antinflamatorios pois sou alérgica a vários, fui bailarina e prof de ballet e pilates clássico. Tenho indicação cirúrgica, mas gostaria de melhorar até lá.tenho 61 anos . É possível diminuir as dores , pois já estou bem limitada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 18 =